Decisão divulgada esta noite terá apresentação oficial na próxima quinta-feira

Eleições | Ana Gomes candidata à Presidência da República

Eleições | Ana Gomes candidata à Presidência da República

 

 

“Serei candidata”, confirmou Ana Gomes, ex-embaixadora e ex-eurodeputada, após meses de silêncio em torno da sua eventual candidatura às eleições presidenciais do próximo ano guardando mais declarações para quinta-feira, 10 de setembro, dia de apresentação oficial da mesma, revelou, a noite passada, Luciano Alvarez, no Público.

Tendo realizado um trabalho notável em favor da independência de Timor-Leste, que o povo português acompanhou a par e passo e de mãos dadas, Ana Gomes tem pergaminhos na luta pelos Direitos Humanos, em diversas circunstâncias e mesmo afrontando as posições oficiais do seu próprio Partido Socialista, de que é militante destacada há muitos anos, bem como na luta contra a corrupção.

Mulher determinada e profundamente combativa, de coragem inabalável e com um percurso coerente, ainda que marcado por polémicas em torno de algumas posições, Ana Gomes possui também um passado de militante antifascista no tempo do Estado Novo.

Ana Gomes revelou a 17 de Maio estar a refletir sobre uma eventual entrada na corrida a Belém, depois de António Costa ter lançado Marcelo Rebelo de Sousa para um segundo mandato, o que, apesar de mais recentemente o primeiro-ministro ter afirmado que os membros do Governo deveriam manter reserva pessoal sobre tal assunto, foi na altura entendido por alguns como um apoio à sua futura candidatura.

Logo nessa altura, Ana Gomes manifestou-se veementemente contra a posição assumida por António Costa, considerando-o “absolutamente lamentável” e “deprimente mesmo”. Embora “em última análise, [esta se trate de] uma decisão que se tem de tomar solitariamente”, começou a ter vários encontros com personalidades por quem tem apreço político e pessoal, mostrando-se sempre determinada a avançar.

Porém, tanto esses encontros como a reflexão foram interrompidos em meados de julho, após a morte do seu marido, o embaixador António Franco. “Estava a fazer essa reflexão em conjunto com o meu marido, quando ele adoeceu e faleceu. Tive de continuar essa reflexão noutras condições, sozinha”,  afirmou há 15 dias na SIC Notícias.

E essa análise a prós e contras não foi fácil. Abalada pela morte do marido, Ana Gomes precisava de ter a certeza de que tinha condições anímicas para uma batalha que será dura. A ex-eurodeputada entende agora ter todas as condições para avançar.

Entretanto, no último domingo, no seu espaço habitual de comentário televisivo, Ana Gomes tinha dito que estava quase a concluir a sua reflexão sobre o tema. “Estou no fim da minha reflexão, dentro de dias estarei em condições de anunciar”, sublinhou Ana Gomes ao ser questionada sobre uma candidatura às presidenciais.

 

Fontes: Público, Observador; Imagem: Miguel Manso

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de multibanco ou netbanking.

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Categories: Política

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.