António Manuel Reis

Autárquicas | Quem quer ser Presidente da Câmara de Barcelos?

Autárquicas | Quem quer ser Presidente da Câmara de Barcelos?

Pub

 

 

Em Portugal, as eleições autárquicas são as eleições mais importantes para os partidos políticos, principalmente para aqueles que têm forte implantação autárquica. São estas que despoletam a ânsia de poder dos senhores feudais, os reis e vice-reis dos pequenos condados.

Os partidos salivam por este momento, os caciques, os boys, os lambe-botas digladiam-se quase até à morte por um naco nos Paços do Concelho, numa Empresa Municipal, num cargo de nomeação política para qualquer órgão autónomo e/ou em qualquer emprego ligado à estrutura.

Aqueles que estão dentro dos serviços e foram ostracizados pelo poder vigente ao momento, aparecem agora com um suplemento de alma, induzidos no pensamento da mudança que os catapulte para um lugar ao sol, simplesmente pelo facto de terem um cartão partidário.

Os ‘chega-rebos’, que são aqueles que no terreno efectuam todo o tipo de trabalho, à espera das sobras ou da pequena migalha, aparecem e dão tudo de si.

A todos estes lhes é dito que há lugares para todos, o que é preciso é vencer.

Por fim, aparecem os carolas que mais não são que personalidades sem qualquer interesse, desprovidas de qualquer objectivo político que estão presentes por conotação ideológica, convicção e sentimento de pertença, com disponibilidade franca, séria e verdadeira de ajudar à mudança.

Dito isto, a maior parte desta gente não se encontra minimamente preocupada em percepcionar uma ideia, um pensamento, o perfil da personalidade para ser candidato autárquico.

Requisitos gerais do bom candidato

Portugal tem, por todo o seu continente e ilhas, excelentes autarcas, como também tem péssimos autarcas.

Para se concorrer a uma Autarquia e, de igual forma, a uma Junta ou União de Freguesia, existem requisitos gerais (além dos obrigatórios por lei) inerentes a todos os candidatos, independentemente da sua área geográfica.

  • Sentido de Missão e Causa Pública, porquanto o autarca é um prestador de serviços, um “empregado”, que está para servir os seus munícipes enquanto estes o quiserem, uma vez que este não é emprego vitalício, muito menos um cargo de enriquecimento patrimonial pessoal;
  • Responsabilidade e transparência na sua acção;
  • Solidário e verdadeiro para com a sua população;
  • Pluralista e não discriminatório nas suas decisões; e
  • Humilde e acolhedor, principalmente para aqueles que mais necessitam.

Estes são alguns dos princípios que devem sempre nortear um autarca. A estes, indubitavelmente, juntar-se-á o perfil pessoal e indicado para cada local específico.

Necessidades específicas do Concelho de Barcelos

No que diz respeito ao Concelho de Barcelos, e especificamente ao candidato à liderança do Município, o perfil pessoal indicado poderá ainda passar por:

  • Personalidade ser conhecida e reconhecida, pelo seu historial de vida pessoal, profissional e social e não só pelo cartão partidário;
  • Personalidade com vida feita, tranquila, sossegada, desafogada financeiramente;
  • Personalidade conhecedora de todo o concelho, suas idiossincrasias, douta e reconhecida no meio rural e área urbana;
  • Personalidade empreendedora que lutou de baixo para cima, conhecedora do sector público, social e privado, das associações, das IPSS, do sector industrial, comercial e de serviços;
  • Personalidade que tenha e apresente um projecto, um rumo.

O candidato precisará de ter um desígnio de uma década para Barcelos que contemple as seguintes áreas:

  • Saúde (dotação no concelho de infra-estruturas, recursos humanos e meios que salvaguardem a qualidade dos serviços e a saúde da população);
  • Transportes Públicos (rede viária e ferroviária, passes sociais) (descarbonização);
  • Educação (creches, modernização e obras de reabilitação, acção social); Habitação (social, arrendamento, reabilitação urbana);
  • Água/Saneamento Básico (poupança, tratamento e melhoramento ecológico); Acção Social (apoio às famílias, aos mais necessitados, coordenação e parcerias com IPSS e associações de cariz social);
  • Redução de assimetrias entre o mundo rural e o urbano (formação, tecnologias, digitalização e transição digital, social e empresarial, também nos meios públicos e empresas rurais);
  • Cultura (a nossa História, os Caminhos de Santiago, o nosso espólio religioso, o apoio as associações culturais e recreativas);
  • Desenvolvimento Económico e Social – redução da pegada ecológica, convergência com o Quadrilátero Urbano do Distrito de Braga (agenda 4.0, empresas, comércio, serviços, turismo, bem-estar social das famílias);
  • Lazer (espaços públicos de excelência, um olhar para o Cávado);
  • Desporto- saúde e bem-estar (infra-estruturas – trilhos, ecovia beira rio, apoio às associações desportivas não profissionais).

Em resumo, o candidato deverá ter uma personalidade que personifique a credibilidade, a confiança e coloque os Barcelenses e o Município de Barcelos em primeiro lugar.

Ser Presidente

Ser Presidente de Câmara não é para todos, é só para alguns. Para quem pode e não para quem quer, mas também para quem tem competência e aptidão para o ser.

Até ver, ainda não se vislumbrou um putativo candidato que cumpra na íntegra todos estes pressupostos, um ou outro andam perto. Contudo, é necessário, ao estilo da história da Branca de Neve, que se olhe para o espelho e questione se existe candidato melhor do que ele próprio.Talvez a resposta do espelho mágico não seja a que se anseia.

Pode ser que ainda se vá a tempo, haja vontade, unidade na acção.

Quem quer ser Presidente de Câmara?

 

Obs: Rui Rio e PSD muito mal na fotografia, referente à  tentativa de através de projecto de lei, dificultar as iniciativas de candidaturas independentes às eleições autárquicas. Ficou a sensação de o PSD ter receio de perder as autarquias, uniões de freguesia e freguesias para movimentos independentes.

A cartelização do bloco central PS/PSD, aprovada em junho do ano passado, foi desfeita pelo Partido Socialista e muito bem.

 

Caros Leitores,

A Pandemia, embora com menos força, ainda se encontra entre nós.

Não vacilemos, continuemos a proteger-nos e a proteger os outros. Cumprir as regras sanitárias é norma obrigatória.

Em VILA NOVA Online, a melhor Informação e Opinião.

Clique aqui e saiba as últimas que temos para lhe dar sobre o Minho e mais alguns concelhos do Douro Litoral: as gentes e as cidades de Barcelos, Braga, Famalicão, Esposende, Guimarães, Póvoa de Varzim, Santo Tirso, Trofa, Viana do Castelo. E mais, muito mais: política, economia, ambiente, ensino, trabalho, cultura, desporto em geral. Visite-nos.

**

*
VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

A Vila Nova é cidadania e serviço público. Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial) ou mbway.

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL
MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros. Obrigado pelo seu apoio e colaboração.

*

 

Pub

Categorias: Barcelos, Crónica, Local, Política

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.