Cultura | Braga Capital Europeia da Cultura 2027? ‘Braga Cultura 2030’ diz que sim

Cultura | Braga Capital Europeia da Cultura 2027? ‘Braga Cultura 2030’ diz que sim

 

 

 

O Município de Braga apresentou esta sexta-feira, 7 de dezembro, o processo de desenvolvimento de uma estratégia cultural, denominada ´Braga Cultura 2030´, para o horizonte temporal de 2020-2030. Este é um primeiro passo para a futura candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura (CEC) 2027.

 

 

“A candidatura a CEC 2027 foi o mote para pensar e definir esta estratégia cultural a longo prazo para a cidade de Braga, da qual a candidatura é parte integrante, mas independente da mesma. Assim se garante que a cidade está a construir uma estratégia sólida e que a CEC será, mais do que um evento marcado no tempo, parte integrante do caminho que o Município se compromete a percorrer”, indica o Município de Braga em nota emitida sobre o assunto.

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, para projetar o futuro é essencial não só pensar nos desafios que este nos traz, mas também olhar o passado para perceber o legado cultural da cidade e compreender o momento presente.

“Queremos pensar a estratégia cultural num horizonte mais alargado, que não se guie apenas por um momento de celebração mas que reflicta as necessidades actuais e futuras da cidade e dos seus agentes e responda aos desafios e ambições de uma cidade que quer fazer da Cultura um dos seus pilares de desenvolvimento, constituindo um guião para os próximos 10 anos”, referiu, lembrando que o desenho desta estratégia irá ficar concluído em 2019 e que as primeiras acções piloto deverão estar em prática já no final do próximo ano.

Por seu turno, Lídia Dias, vereadora da Cultura, sublinhou que o objetivo é que este horizonte ´Braga Cultura 2030´ esteja integrado com as restantes linhas estratégicas definidas para o futuro da cidade em diversas áreas de atuação.

“Desde o início deste ano estamos a realizar um trabalho de prospeção e diagnóstico, que inclui o tratamento detalhado da informação já existente e a condução de mais de 100 entrevistas a artistas, criadores, artesãos, programadores, representantes de associações, museus e espaços culturais e sociais, assim como responsáveis por empresas e instituições públicas e privadas nas áreas da economia, património, ambiente, turismo e comércio local”, disse, explicando que este trabalho exaustivo permitirá elaborar um plano estratégico ´informado e plural, no qual a cidade se poderá rever´.

Já Cláudia Leite, administradora do Theatro Circo, adiantou que serão ainda criados órgãos consultivos com representatividade local, nacional e internacional para apoiar a definição da estratégia e a preparação da candidatura à Capital Europeia da Cultura 2027.

Envolvimento dos agentes locais e da comunidade é fundamental

Esta estratégia cultural, que pretende refletir as necessidades atuais e futuras da cidade, terá obrigatoriamente que contar com um envolvimento ativo de todos os agentes da cidade e da sociedade civil.

Nesse âmbito, foi apresentado o website Braga Cultura 2030 que partilha a evolução do processo, assim como a sua metodologia e calendário. No portal serão divulgadas as ações que estão a ser desenvolvidas desde o início deste ano no âmbito do desenvolvimento de um diagnóstico prospetivo que ficará concluído até final do presente mês de dezembro.

Serão também partilhadas informações sobre a equipa de trabalho que está a desenvolver o projeco, bem como sobre o fundamental envolvimento dos agentes locais e da comunidade no processo de diagnóstico e na construção da estratégia cultural ‘Braga Cultura 2030’.

Este processo de auscultação pública pretende ser ainda mais lato. Neste sentido, o website apresenta já alguma informação decorrente do diagnóstico e das entrevistas realizadas e irá ser sempre atualizado com nova informação e documentos para consulta pública. Desta forma será sempre possível acompanhar o desenvolvimento deste trabalho. Por outro lado, no portal estará disponível um inquérito online que qualquer cidadão poderá responder, enviando o seu contributo para o desenvolvimento do projeto.

 

Fonte: Município de Braga

 

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver. 

A Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. 

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à sua manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de multibanco, netbanking ou, mais fácil ainda, MB Way: 919 983 484.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

 

Pub

Categorias: Cultura, Política

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.