Votar Rui Rio a Primeiro-Ministro

Votar Rui Rio a Primeiro-Ministro

Pub

 

 

Após uma semana de campanha eleitoral e de debates televisivos, a grande conclusão objectiva que se vislumbra é que nem o Partido Social Democrata (PSD), nem o Partido Socialista (PS), conseguem atingir uma maioria absoluta monopartidária.

Segundo determinadas sondagens diárias indicativas do sentido actual do voto, dá a sensação que o PSD e Rui Rio estarão à beira de fazer um “milagre”, porém os sociais democratas não podem nem devem, embandeirar em arco, devendo o que aconteceu com Carlos Moedas em Lisboa, servir de exemplo para os dois lados do espectro político.
Nada está garantido.

Esta próxima semana vai ser decisiva para aquilatar se o PSD pode ou não vencer o PS.
Mas o vencer pode não chegar.

Pelo sim, pelo não, uma maioria de direita 116 deputados na Assembleia da República é absoluta e inequivocamente necessária, para que caso Rio fique à frente de Costa o primeiro possa ser empossado Primeir-Ministro de Portugal.

Rui Rio tinha razão quando apresentou à Comissão Política Nacional a possibilidade de uma coligação pré eleitoral com o CDS;  mas poderia ter ido mais longe, tambem com a IL. Nestas eleições o método de Hondt, favorece as coligações. Não aconteceu.

Neste momento, a sete dias do acto eleitoral, é quase “obrigatório” que todo o eleitorado não socialista vá votar. Votar com consciência, sabedoria e conhecimento da realidade do Distrito, colocar em primeiro lugar a eleição do deputado que mais perto está de ser eleito e não o Partido de “coração”.

Existe um ou outro círculo eleitoral em que votar PSD não dá mais deputado, mas votar Chega ou IL garante mais um deputado à ala direita do Hemiciclo, da mesma firma que em outros círculos eleitorais votar em outros partidos que não o PSD só favorece a esquerda.

É de maior importância que o eleitor não socialista, no seu Distrito, verifique, em número de votos na eleição anterior, qual o Partido que mais perto esteve de eleger mais um deputado, e se o mesmo é retirado à Esquerda.
A dinâmica de vitória que aqui e ali se vai visualizando no PSD, de per si não é suficiente, nem de longe nem de perto para uma maioria absoluta.

Relativamente ao círculo eleitoral onde voto – Braga -, embora conservador e muito tradicional no seu sentido de voto, creio que possa haver, como no País, alguma fragmentação, mas sem que se evidenciem grandes diferenças.
PS e PSD poderão manter a sua representação, ou mesmo, perderem um deputado, em especial o Partido Socialista.

Quanto aos pequenos partidos, estou em crer que o CDS, a muito custo, poderá manter o seu deputado. Caso não o consiga, talvez a IL possa eleger por Braga. O BE tudo indica poderá perder um deputado, podendo este ser transferido para a representação do Chega.

Por todo o País, à excepção dos grandes círculos eleitorais, Lisboa e Porto, com premência nos distritos intermédios, mas sobretudo nos pequenos que elegem 2 a 3 deputados, é fundamental que todos, à direita do PS, façam bem as contas e votem essencialmente para que se atinja uma maioria de direita no Parlamento. Só assim Rui Rio será Primeiro-Ministro.

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - 1ª página - jornal diário digital generalista de âmbito regional

VILA NOVA, o seu diário digital. Conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os seus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Gratos pela sua colaboração.

Publicidade | VILA NOVA: deixe aqui a sua Marca

Pub

Acerca do Autor

António Manuel Reis

António Manuel Reis, nasceu em Barcelos a 07-10-1963. Concluiu em 1985, o curso na área de tinturaria têxtil UM/Mazagão. Formação em colorimetria, recursos humanos, automatização, sistemas de qualidade ISSO, planeamento, processos, produção. Industrial Têxtil de 1996 a 2009. Dirigente desportivo 1998 a 2004.Gestor empresarial de 2010 a 2013. Concluiu curso de formação de formadores em 2014. Trabalhador independente Real Estate Consultan 2018. Em curso, Licenciatura Ciências Sociais e Ciência Politica. Militante da JSD desde 1978/ Militante PSD desde 1981, delegado e Observador a Congressos, Delegado CPD, TSD, Membro da CPS, candidato a Presidente de Junta da UF Barcelos, deputado a UF. Candidato á Presidência da CPS. Membro independente da UF Barcelos. Partido Aliança em 2018.

Comente este artigo

Only registered users can comment.