Preservação de espécies e soberania alimentar são uma das preocupações do partido no plano ambiental

Bloco | Bloco propõe programa de transição ecológica agroflorestal

Bloco | Bloco propõe programa de transição ecológica agroflorestal

Pub

 

 

O Bloco de Esquerda visitou, na manhã desta sexta-feira, 30 de agosto, o Banco Português de Germoplasma Vegetal, do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, em Braga, para abordar questões relacionadas com a preservação de espécies e a soberania alimentar. No final do encontro, José Maria Cardoso, cabeça de lista do Bloco pelo círculo eleitoral de Braga, salientou a importância deste Banco para “a preservação de espécies, a investigação científica e o trabalho de proximidade junto dos agricultores”.

 

 

José Maria Cardoso destacou ainda que “o Bloco tem vindo a acompanhar este organismo e percebe a falta de recursos deste, tendo inclusivamente apresentado, em janeiro de 2018, um projeto de resolução na Assembleia da República, para que o Governo valorize devidamente a atividade”. Em relação aos recursos humanos, José Maria Cardoso destacou o Programa de Regularização dos Vínculos Laborais Precários (PREVPAP), “cuja concretização dependeu do empenho do Bloco” e que permitiu a regularização da situação laboral de duas pessoas neste organismo.

O dirigente bloquista salientou também algumas propostas do partido nesta matéria, nomeadamente “a criação do Ministério da Ação Climática, responsável pela supervisão e transformação da economia e dos processos produtivos, articulando as pastas da Agricultura, Florestas, Ambiente, Indústria, Energia, Transportes e Ordenamento do Território no sentido da descarbonização; a transformação da agricultura e da floresta, através de um programa de transição ecológica agroflorestal, para garantir a transformação do atual modelo, centrado na monocultura e no elevado consumo de água e fatores de produção poluentes, para uma nova agricultura de menor incorporação”.

“A temperatura do planeta está a aumentar e, com isso, os fenómenos meteorológicos extremos são mais frequentes, pelo que temos de agir rapidamente para garantir a neutralidade carbónica da nossa economia até 2030”, conclui.
Fonte e Imagens: BE

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária.

MB Way: 919983484

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Política

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.