Portugal sucumbiu como D. Sebastião frente a Marrocos

Portugal sucumbiu como D. Sebastião frente a Marrocos

Pub

 

 

Nesta tarde de sábado, a Seleção de Portugal defrontou a Seleção de Marrocos. O jogo decorreu no Al Thumama Stadium e, infelizmente para os portugueses, viria a perder – talvez de forma injusta, pela forma como a equipa portuguesa lutou, em especial na segunda metade – por uma bola a zero, dizendo ‘Adeus’ ao Campeonato Mundial de Futebol Qatar 2022. Marrocos, apesar disso, foi mais objetivo e logrou conseguir que uma equipa africana se qualificasse pela primeira vez para as meias-finais da Competição.

Depois um último jogo que tinha sido épico, esta foi uma partida demasiado tática e que exigiu muita paciência a todos os adeptos. O equilíbrio foi a nota predominante durante os 90 e mais alguns minutos.

Desde o início do jogo, sentia-se a tensão no ar. Depois de um jogo ‘do outro mundo’, que levou Portugal a marcar 6 golos quase sem resposta à Suíça. Talvez essa ténue marca, que se fazia sentir no rosto dos jogadores portugueses que pisavam o relvado, fosse a causa primeira desta derrota. Do outro lado, sentia-se no rosto dos Marroquinos uma certa força anímica e leveza que os terão ajudado a vencer o encontro.

En-Nesyri ‘Ameaçou e Marcou’

O avançado En-Nesryri tinha já ameaçado Poertugal, num cabeceamento frontal, a meio da primeira parte. Foi, no enatnto, quando quase se chegava ao final da mesma, aos 42 minutos, que aconteceu o pior para a Seleção Nacional com Attiyat Allah a assistir eximiamente En-Nesryri para o primeiro golo do encontro, quando este aproveita uma errada saída dos postes de Diogo Costa.

Ninguém disse que ia ser fácil.

Portugal tentou ‘Sair do Colete de Forças’ Marroquino

Passados poucos minutos , mesmo a chegar ao fim da primeira parte e Bruno Fernandes rematou á trave num lance de ataque na faixa esquerda.

João Félix já tinha aos 4 minutos rematado para defesa de Bounou – guarda redes do Sevilha em Espanha.

E esteve em mais dois actos a tentar alvejar a baliza dos ‘Leões do Atlas’.

‘My name is Ronaldo’

Os Grandes futebolistas normalmente não  baixam muito de rendimento; eles reiventam-se.

C. Ronaldo já há muito tempo que deixou de ser um extremo que jogava nas faixas laterais, passando a ser um futebolista mais cerebral e com uma referência mais posicional no ataque. E agora é uma ‘arma secreta’.

Lançado aos 51 minutos para cumprir a sua ‘Missão para com os Portugueses e Sua Majestade – Marcelo Rebelo de Sousa’,  que queria ver cumpridos com distinção a ‘Missão Qatar 2022’ e galardoar no seu Palácio de S. Bento a Seleção de Portugal com o título do Mundial, tentou, em fogachos, mostrar porque foi enviado para o Qatar.

Porém, o esférico – ou as munições – não chegaram ao  ‘007 – Ronaldo’ em condições oportunas para ter ‘Ordem para Matar’.

Arranjou, ainda assim, artes para, ao minuto 82, combinar com João Félix para este último rematar à bakliza Marroquina. Bounou só conseguiu defender para canto.

Momento-chave

Quase no final do jogo, corriam 90 minutos, quando Bruno Fernandes desmarcou C. Ronaldo, mas um defensor Marroquino dificultou o remate e aconteceu mais uma defesa de Bounou.

Era o Momento-chave, estava na ‘hora H’ de Portugal virar o rumo dos acontecimentos. Infelizmente, não foi assim que aconteceu.

Tal como D. Sebastião ‘sucumbiu’ frente a Marrocos, Portugal…

Portugal ‘sucumbiu’ da mesma forma que D. Sebastião a 4 Agosto de 1578, na batalha de Alcácer Quibir. Todas as tentativas portuguesas para ultrapassar a Muralha Marroquina resultaram infrutíferas.

A Selecção Portuguesa de Futebol sai de cena e deixa para trás o sonho de vitória deste Mundial de Futebol Qatar 2022.

Tínhamos tudo para ir à final desta competição, até o melhor jogador do mundo. Teríamos!?

Cristiano Ronaldo saiu em Lágrimas do seu último Mundial, motivado pela perda deste último (?) objetivo pessoal e colectivo que se propunha conseguir.

Registe-se, também, por último, que Portugal (ou boa parte dele) se mostrou, nos últimos dias, um País Ingrato para com quem eleva o seu nome além fronteiras! Cristiano não o merecia. E nós, apesar do desalento momentâneo, estamos orgulhosos do conjunto da produção nacional. Voltará a haver outros mundiais de futebol, outras competições, e os nossos craques terão novas oportunidades para brilhar e levar alto e longe o nome do nosso País.

portugal - orgulho - seleção de futebol - mundial - catar 2022

‘Até onde irá Marrocos’!?

Quem diria! Antes de o Qatar 2022 ter início poucos ou mesmo quase nenhuns apostariam em Marrocos para chegar a esta fase do Campeonato.

Os ‘Leões do Atlas’ seguem em frente, com base numa defesa sólida e uma atitude de verdadeiros ‘reis da selva’.

Marrocos torna-se, assim, a primeira seleção de origem africana a chegar aos quartos-de-final de um Mundial de futebol, logo a primeira a seguir em frente até às meias-finais.

marrocos - seleção de futebol - vitória - jogo - qatar 2022 - marrocos 1 - portugal 0

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - jornal diário digital generalista com sede em vila nova de famalicão - braga - plogging - reflorestar braga - árvores - arvoredo - arbustos - escolas - alunos - floresta - monte picoto - guimarães - política - partido scocislaista - ps - ricardo costa - saúde - aces alto ave - viana do castelo - vestuário - calçado - reutilização - campanha - recolha - resíduos - campanha

Imagens: 0, 1) Seleções de Portugal / FPF 2) Équipe du Maroc / FRMF

Portugal oferece ‘Cabaz de Natal’ à Suíça

Superorganização Sul-coreana vence Portugal no Qatar 2022

Voar em grande na ‘B. Fernandes & C. Ronaldo Airlines’

Vitória Portuguesa frente a Ganeses com ‘muchas ganas’

Um sonho para Portugal

Monumentos ao Emigrante em Portugal

Pub

Categorias: Desporto, Futebol

Acerca do Autor

Francisco Oliveira

Viciado em Imprensa Futebolística desde miúdo, época em que devorava Jornais & Revistas Futebolísticas. Desfruta da Escrita Futebolística desde que começou a escrever para a Página Só nas 4 Linhas na temporada 2018/19. Criador & Pensador da Página Culto Futebolístico nos tempos livres (como sempre!).

Comente este artigo

Only registered users can comment.