‘É preciso fortalecer a cultura institucional de democracia e transparência’

Bloco procura novas formas de fazer política autárquica em tempos de mudança

Bloco procura novas formas de fazer política autárquica em tempos de mudança

Pub

 

 

Tendo em conta as eleições autárquicas que se avizinham e por uma nova ‘Política autárquica em tempos de mudança’, o Bloco de Esquerda promoveu, na noite desta segunda-feira, 5 de julho, no auditório da Junta de Freguesia de Calendário, em Famalicão, uma sessão pública subordinada à necessidade de maior transparência e democracia efetiva na sociedade atual, com José Maria Cardoso, deputado à Assembleia da República, Paulo Costa, autarca e candidato à Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, e Catarina Ferraz, candidata à Assembleia Municipal.

Um concelho mais transparente e para as pessoas

Na intervenção inicial, Paulo Costa destacou as dimensões locais e globais dos problemas com que os autarcas de hoje são confrontados. “O impacto de projetos de mobilidade ou de saneamento, por exemplo, em relação a questões de recursos, energia e poluição, reflete-se em toda a área envolvente e não só na comunidade”, afirmou.

O candidato à presidência da Câmara considera que a nova geração de políticas autárquicas deve promover “um concelho para as pessoas”, propondo mecanismos urbanos de circulação coletiva assente em mobilidade suave e limitando a circulação automóvel, bem como preservação dos cursos de água, criando circuitos de fruição e espaços de sociabilidade para as comunidades.

Segundo o bloquista, o país é uma “democracia jovem” e o poder local assenta num “sistema presidencialista”, pelo que “é preciso fortalecer a cultura institucional de democracia e transparência” de forma a “confluir em soluções para o bem comum”.

Envolvimento da população assegura menor corrupção

No mesmo sentido, José Maria Cardoso frisou a necessidade de “aumentar os mecanismos de transparência nos processos”, através da consulta do PDM online e da tramitação de processos acessíveis que permitam a consulta do estado do pedido a todo momento.

O deputado salientou também que “a falta de envolvimento da população nas decisões subverte o poder de proximidade que deveriam ser as autarquias” e que “uma população mais informada e melhor capacitada assegura uma menor propensão à corrupção”.

‘Geração da urgência’ vive fortemente afetada pela precariedade

Catarina Ferraz sublinhou que a importância da participação jovem na política nunca foi tão urgente. “Somos a geração da urgência, a geração que enfrentará as maiores consequências das alterações climáticas, a geração mais bem preparada para o mundo do trabalho, mas a mais afetada pela precariedade, a geração do sonho longínquo da habitação digna e independente, a geração que sai à rua para garantir direitos, independentemente do género, orientação sexual, etnia”, concluiu.

5.7.2021

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.

Imagens: BE

**

VILA NOVA: conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque considera válido o trabalho realizado.

Apoie a VILA NOVA. Efetue um contributo sob a forma de donativo através de netbanking, multibanco ou mbway.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91 — BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

Envie-nos os seus dados fiscais. Na volta do correio, receberá o respetivo recibo.

Gratos pelo seu apoio e colaboração.

*

Publicidade | VILA NOVA: deixe aqui a sua Marca

Pub

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.