18/4 a 24/5 Vila Nova de Famalicão

Cerâmica | ‘Agnus Dei’ evidencia excelência da arte sacra de Bairro nos Paços do Concelho de Famalicão

Cerâmica | ‘Agnus Dei’ evidencia excelência da arte sacra de Bairro nos Paços do Concelho de Famalicão

Pub

 

 

Oito peças únicas, produzidas minuciosamente com a chancela de qualidade da Escola de Cerâmica Artística da Fundação Castro Alves, de Bairrro, Vila Nova de Famalicão, compõem a exposição “Agnus Dei”, inaugurada esta quinta-feira, 18 de abril, nos Paços do Concelho de Famalicão.

 

 

A época pascal dá o mote para esta nova mostra da escola e museu da freguesia de Bairro que vai estar patente no átrio do edifício principal da Câmara Municipal até dia 24 de maio.

“Natividade”, “Esplendor do Nascimento”, “O amor de Deus que se fez criança”, “Sagrada Família”, “Última Ceia”, “Crucificação”, “Deposição de Cristo no Túmulo” e “Ressurreição”, assim se chamam as oito peças de cerâmica, moldadas em barro, expostas nesta exposição de natureza religiosa.

Uma coleção heterogénea e única que pretende divulgar o património de arte sacra em cerâmica desenvolvido em Vila Nova de Famalicão pela Escola de Cerâmica Artística da Fundação Castro Alves.

A exposição deste conjunto de belos trabalhos saídos das mãos dos artistas da Fundação Castro Alves insere-se, segundo refere, “no âmbito da sua política de promoção e descentralização cultural”. A mostra pode ser visitada gratuitamente de segunda a quinta, entre as 9h00 e as 18h00, e à sexta-feira, das 9h00 às 12h00.

Recorde-se que a Fundação Castro Alves foi fundada em 1991 pela mão do Comendador Manuel Maria Castro Alves (1935-1998), como sequência natural da necessidade de enquadramento jurídico favorável à meritória obra educativa, artística e cultural, iniciada, em 1971, através da criação do então Centro de Arte e Cultura Popular de S. Pedro de Bairro. Mais tarde, em 1979, o Comendador Castro Alves aumenta as valências do centro, com a criação da Escola de Cerâmica Artística, que teve como grandes impulsionadores os Pintores Júlio Resende e Francisco Laranjo, numa fase intermédia o oleiro Fernando Sousa e, numa fase posterior, o Arquiteto Fernando Lanhas, que frutificou o Museu de Cerâmica Artística.

A Escola de Cerâmica Artística permitiu formar artesãos que, pelos seus trabalhos e qualidade artística, permitiram que, em 1987, fosse edificado o Museu de Cerâmica Artística. O Museu possui em exposição permanente coleções constituídas por dois núcleos, um de olaria e outro de esculturas de cerâmica, o que representa um espólio de 1336 peças distribuídas por três salas com uma área total de 400 m2.

Na atualidade a Fundação Castro Alves tem como valências âncora o Museu de Cerâmica Artística, a Escola Oficina de Cerâmica Artística e a Escola de Música que se encontra sob a direção pedagógica do CCM, e tem consolidado as suas respostas ao nível do Serviço Educativo e Social e da Programação Cultural.

Presente na cerimónia de inauguração da exposição “Agnus Dei”, Paulo Cunha, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, salientou ser esta “uma pequena amostra da enorme riqueza e qualidade da arte da Fundação Castro Alves e uma nova razão para que [munícipes e turistas] venham até aos Paços do Concelho desfrutar deste magnífico espaço”.

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à sua manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária.

MB Way: 919983404

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Agenda, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.