Casa da Memória de Guimarães organiza oficina de voz e movimento

Casa da Memória de Guimarães organiza oficina de voz e movimento

Pub

 

 

“As canções que cantamos contra os muros que limpamos” é uma criação para o espaço público, em torno da figura de um coro de mulheres, inspirado na prática de grupos corais que se juntam para cantar músicas de protesto. Para esta criação, terá lugar na Casa da Memória de Guimarães uma oficina de voz e movimento, com a participação de 15 mulheres, que integrarão e serão coautoras do material criado.

Nesta oficina será trabalhada a relação entre corpo, voz e vulnerabilidade, com exercícios de canto, dança e escrita. O que é uma voz vulnerável? Pode a vulnerabilidade comunicar? Este gesto artístico feminista pretende criar um espaço de encontro para as vozes, emoções e biografias de cada mulher. Que palavras podemos criar juntas? Que melodias se inscrevem nas diferentes partes do nosso corpo? Como podemos movê-las para que comecem a falar e a cantar?

No final da oficina serão feitas duas apresentações públicas do espetáculo cocriado. Dirigida a pessoas de todas as nacionalidades, profissões, religiões, ocupações, origens étnicas, com ou sem deficiência, que gostem de cantar e de dançar, e sintam uma urgência em dar voz às palavras silenciadas.

Oficina ‘As canções que cantamos contra os muros que limpamos’ na Casa da Memória em Guimarães

Público-alvo: pessoas que se identifiquem com o género feminino maiores 18 anos; Duração – 180 min. / 7 dias ; Lotação 15 pessoas; Acesso gratuito mediante inscrição prévia, até ao dia 10 de outubro, através do formulário disponível online.

casa da memória - guimarães - oficina - movimento - voz - mulher - mulheres - coro feminino - protesto - as acanções que cantamos contra os muros que limpamos

Imagens: CdM

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - jornal diário digital generalista com sede em vila nova de famalicão

Imagem: CDMG

‘Carnes e Caldos’ leva sabores de outono a Guimarães

De regresso às ‘Viúvas de Braga’

Pais e professores resignados e o modo de vida dos jovens universitários

Pessoas e fronteiras em tempos de ascensão da extrema-direita

Pub

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.