‘Reconectar a mulher à linguagem’ soltando ‘medos, sensações, mas também subtilezas e subjetividades da existência’ serão chamados à colação em oficina destinada ao público feminino

Laboratório Poético para Mulheres acontece em Guimarães

Laboratório Poético para Mulheres acontece em Guimarães

Pub

 

 

Reconectar a mulher à linguagem, este é o objetivo principal do Laboratório Poético para Mulheres, uma oficina de escrita criativa desafiante desenvolvida pela investigadora, escritora e curadora literária Manuella Bezerra de Melo, que irá acontecer no próximo dia 5 de março de 2022, entre as 10h00 e as 17h00, com um intervalo de duas horas para almoço, no CAAA (Centro para os Assuntos de Arte e Arquitectura) de Guimarães, às portas do Dia Internacional da Mulher.

Para participar deste laboratório, é preciso ser capaz de soltar a linguagem. Será, por isso, ‘necessário disposição para um ambiente de entrega, confiança e liberdade’, refere a poetisa Manuella Bezerra de Melo, de naturalidade brasileira, mas residente na cidade há vários anos. A facilitadora promoverá neste Laboratório Poético para Mulheres diversas ‘atividades propiciadoras de experiências e experimentações’, com o intuito de trazer à superfície de cada uma das intervenientes alguns ‘elementos crus’ destinados ‘à produção de uma escrita de sobrevivência’. ‘Medos, sensações, mas também subtilezas e subjetividades da existência no feminino’ serão, assim, chamados à colação.

Os temas do Laboratório Poético para Mulheres orientado por Manuella Bezerra de Melo serão abordados em três diferentes módulos ‘com o objetivo de restabelecer a conexão da mulher com a linguagem e transformar estas experiências numa produção capaz de tornar-se ofício’.

‘Nós, mulheres, também nascemos com a potência da palavra’, explica Manuella Bezerra de Melo, a apresentadora deste Laboratório Poético para Mulheres. ‘Quando somos miúdas temos uma relação especial com ela, com a sua descoberta, os seus significados, os seus sons. Entretanto, na medida que passamos por um processo de socialização, somos desencorajadas a brincar com as palavras, somos até desautorizadas, como se utilizar a palavra não fosse um privilégio nosso, como se fosse algo somente para alguns notáveis especialistas’, complementa a escritora. ‘Esta noção está equivocada. Literatura é trabalho e entrega, e cada vez mais as mulheres precisam estimular esta atividade’, conclui.

Módulos do Laboratório Poético para Mulheres

Para esta oficina, estão previstos três módulos: 1) Leitura e Interpretação 2) Interartes e Produção 3) Expressão e Poesia Corpo. Podem inscrever-se mulheres a partir dos 18 anos de idade pelo email lusofolivros@gmail.com. As inscrições têm um preço de apenas 5,00 euros, sendo de assinalar o facto de haver bolsas para mulheres imigrantes em situação vulnerável.

Módulo I – Leitura e Interpretação

Neste módulo inicial, o trabalho começará com o conhecimento e inspiração em poesias de mulheres de língua portuguesa. Será realizado um pequeno passeio pela palavra a fim de as intervenientes se deleitarem nos seus aspetos poéticos. Esta fase propicia às participantes uma imersão no mundo da poesia, levando-as à abstração necessária para o nível seguinte. 

Módulo II – Interartes e produção

Com o auxílio de outras linguagens artísticas, as participantes serão estimuladas, mediadas e conduzidas para a sua própria produção. Alguns exercícios irão ajudar as participantes a colocar no papel aquilo que experimentaram no laboratório, aprendendo métodos para serem o seu próprio autoavaliador no espaço de criação.

Módulo III – Expressão e poesia-corpo

Nenhum poema é escrito para morrer numa gaveta. Neste espaço, as participantes tomarão contacto com técnicas de expressão corporal e de voz das palavras que escrevemos, de forma a que o outro, o ouvinte-leitor, alcance sensações e emoções aproximadas daquelas que o levaram a produzir. Assim será presente o Corpo-poder do feminino transferido à linguagem.

Um mundo com mais respeito e tolerância com as mulheres

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - jornal diário digital generalista com sede em vila nova de famalicão

https://vilanovaonline.pt/2021/06/21/andrea-bracelis-explica-como-encontrar-a-felicidade-por-meio-dos-alimentos/

Richard Zimler explica a vida e a morte aos mais pequenos

Sara Barros Leitão diretora artística convidada do Teatro Oficina

Imagens:  DR

VILA NOVA, o seu diário digital. Conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade, entre outros.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta. A melhor forma de o fazermos é dispormos de independência financeira.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os seus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Visite também os nossos anunciantes.

Gratos pela sua colaboração.

Papéis de Género e Dia da Mulher: para uns um exagero, para outros um dia de celebração

Violência doméstica: crime ou/e castigo?

Pub

Categorias: Agenda, Escrita, Literatura, Mulher

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.