Sexteto de Nova Iorque prestou uma excelente actuação no Guimarães Jazz

A tradição ainda é o que é… e os Black Art Jazz Collective são tradição

A tradição ainda é o que é… e os Black Art Jazz Collective são tradição

Pub

 

 

“Hey man!… BLACK ART JAZZ COLLECTIVE. This is Jazz”. No penúltimo dia do Guimarães Jazz deste ano, a última sexta-feira, 19 de novembro, numa casa bem composta, pudemos assistir àquele que foi talvez o melhor concerto deste Festival (entre os que vimos, claro está). A tradição do jazz fez-se representar, em Guimarães, no seu melhor.

A tradição do grande jazz fez-se ouvir em Guimarães

A congregação BLACK ART JAZZ COLLECTIVE apareceu, viu e venceu, estando com um olho no passado, fazendo sentir as turbulências e forma de olhar para trás enquanto avançava, de forma muito particular e genuína.

Ao auditório do CCVF, para ser um autêntico clube de Jazz, durante 120 minutos bastante rápidos, só faltaram o fumo e os drinks. No resto nada faltou: fomos recebidos com uma excelente actuação, deste sexteto que Nova York adoptou como seu.

Músicos dos Black Art Jazz Collective na senda dos melhores da tradição

Além de Escoffery, Pelt e Blake, todos eles músicos com formação avançada em jazz e todos eles também cidadão adotivos de Nova Iorque, cidade onde chegaram sensivelmente pela mesma altura com o objetivo de singrar no meio jazzístico, os Black Art Jazz Collective são atualmente compostos pelo trombonista James Burton III, o pianista Victor Gould, o contrabaixista Rashaan Carter e o baterista Mark Whitfield Jr. Estamos, portanto, a falar de um conjunto de instrumentistas de inegável competência técnica e que têm consolidado o seu percurso do jazz através da aprendizagem com alguns dos nomes maiores deste género como Wallace Roney, Joe Lovano, Kenny Barron ou Bobby Hutcherson.

A fasquia ficou em nível bastante elevado para o último dia deste Festival.

black art jazz collective_2021-11-22_2007 ccvf - guimarães jazz 30ª edição 2021007

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - 1ª página

Uma proposta pouco usual no Guimarães Jazz: Chris Lightcap’s SuperBigmouth

Guimarães Jazz apresenta alguma da melhor música de alcance global

Imagens: AM

VILA NOVA, o seu diário digital. Conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade, entre outros.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta. A melhor forma de o fazermos é dispormos de independência financeira.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os seus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Gratos pela sua colaboração.

‘Vencidos pela Lei’, de Jim Jarmusch, de terra da imaginação a clássico do cinema

Publicidade | VILA NOVA: deixe aqui a sua Marca

Pub

Categorias: Comunidade, Guimarães, Música

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.