Projeto resulta do entrecruzamento de 2 grupos liderados pelo compositor, baixista e guitarrista americano

Uma proposta pouco usual no Guimarães Jazz: Chris Lightcap’s SuperBigmouth

Uma proposta pouco usual no Guimarães Jazz: Chris Lightcap’s SuperBigmouth

Pub

 

 

Chris Lightcap’s SuperBigmouth foi a proposta para o final de tarde de sábado, 13 de novembro, da edição 30 do Guimarães Jazz. Azar foi para o «ausente» por motivos burocráticos – já que estaria para se apresentar um octeto e não a formação em septeto, como aconteceu. Dúvida que infelizmente ficou no ar, pois um combo de jazz com 2 bateristas é muito pouco usual, mesmo para o surf totalmente eléctrico do projecto, pois gostaríamos de saber como soaria LIVE, restando apenas a hipótese de a ouvir em registo digital.

Este projecto é reconhecido pela beleza e graça, soando entre o jazz de fusão e o tradicional hard-rock. Chris Lightcap, sendo o elo de ligação entre 2 projectos por si liderados, é um dos expoentes da fresh sound.

Concerto muito bem alinhado, apesar do contratempo já referido. Ficam 3 registos de relevo: 1 baterista, que não esconde a sua escola rock ; 1 pianista talvez delirante; e 1 cover de Lou Reed & Nico do lendário álbum da banana – All Tomorrow’s Parties. O grupo SuperBigmouth resulta da ponte entre dois projetos anteriores liderados por Lightcap – o quinteto Bigmouth por um lado, que editou dois registos discográficos pela editora portuguesa Clean Feed, e no outro a banda Superette, uma formação de sonoridade elétrica e cujo álbum de estreia contou com as participações de Nels Cline e John Medeski. Este octeto é formado por alguns dos mais influentes e respeitados músicos do jazz contemporâneo (sendo naturalmente de destacar os saxofonistas Tony Malaby e Chris Cheek, o pianista Craig Taborn e o baterista Gerald Cleaver) e representa a combinação de duas vertentes do trabalho de Lightcap – por um lado a desconstrução de matriz rock praticada pela fação Superette e, pelo outro lado, o groove e a expansividade melódica de sensibilidade pós-bop da secção de sopros e secção rítmica do grupo Bigmouth.

Guimarães Jazz apresenta alguma da melhor música de alcance global

Imagens: DR

VILA NOVA, o seu diário digital. Conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Gratos pela sua colaboração.

Pub

Categorias: Cultura, Guimarães, Música

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.