Solstício de Inverno – o dia mais curto

Solstício de Inverno – o dia mais curto

Pub

 

 

A partir de 21 de dezembro os dias, no hemisfério Norte, começam a crescer, acontecimento que, numa repetição astronómica, marca o ritmo das nossas vidas. Passa quase sempre neste dia o Solstício de Inverno, momento que marca o início do Inverno, a estação mais fria do ano, no hemisfério Norte, e também o dia mais curto, no mesmo hemisfério: cerca de 9 horas e meia.

O solstício (do latim solstitium (“sol” + “stit”-, derivado de “sistere”, que não se mexe) é um fenómeno astronómico a que se liga “uma celebração muito antiga, que presta homenagem ao regresso da luz e ao nascimento do deus Sol”. A palavra surgiu associada à ideia de que o Sol devia estar estacionário ao atingir a sua posição mais baixa (no Inverno) ou mais alta (no Verão).

Solstício é o momento do ano em que o Sol, durante seu movimento aparente, na eclíptica (o plano da órbita da Terra em torno do Sol), atinge a maior declinação em latitude, medida a partir da linha do equador. Se o Sol aparecer, as nossas sombras no chão serão as mais compridas de sempre, isto porque os raios solares nos atingiram com a sua maior inclinação.

A partir do Solstício de Inverno, os dias, no hemisfério Norte, serão cada vez mais longos, receberão cada vez mais luz solar, numa área maior e durante cada vez mais horas, até ao Solstício de Verão, o dia mais longo do ano e, consequentemente, o da noite mais curta, quando tudo se inverte.

Tradicionalmente celebrados como momentos especiais do ano, estão desde a Antiguidade associados a rituais sagrados e festividades que a História regista. O Natal, que os cristãos irão celebrar dentro de dias, é visto como uma continuação deste ritual.

Algumas notas sobre o Solstício de Inverno:

Altura do Sol – é a distância angular entre o Sol e o horizonte. Iniciada no horizonte (o nível do mar) com o valor de 0º, cresce verticalmente até atingir os 90º no zénite, entendido como o ponto situado por cima da cabeça do observador.

Declinação Solar – ângulo formado entre o plano do equador e uma linha imaginária ligando o centro da Terra ao centro do sol.

Inverno – a palavra deriva do latim, “hibernum”, que significa tempo frio. Acrescente-se que o inverno do hemisfério norte é chamado “inverno boreal”. Saiba-se, ainda, que o adjectivo “boreal” tem raiz em Bóreas, o deus grego do vento frio vindo do Norte. Boréas foi, ainda, o nome do vento que trazia o Inverno.

Quem não sabe que fique também a saber que a palavra Verão radica no latim “veris”, que quer dizer “bom tempo”.

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - jornal diário digital generalista - solidariedade social - voluntariado - dar-as-mãos - reffod - famalicão - mário passos - chma - raquel varela - escola - escola pública - docência - docentes - professores - escolas privadas - retrocesso social - reformas - classe social - liberdade - amor - gays - lésbicas - direito à diferença - migrantes - migrações - cgtp-in - nações unidas - antónio guterres

Obs: texto com publicação original na página facebook do Professor Galopim de Carvalho, tendo sofrido ligeiras adequações na presente edição que, apesar de alheias ao texto original e ao autor, são fiéis ao trabalho original.

Imagem de destaque: Kacper Szczechla / Unsplash

Espumantes mais populares para celebrar a Passagem de Ano

Pub

Categorias: Ciência

Acerca do Autor

António Galopim de Carvalho

Professor de Geologia na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Investigador na Universidade de Lisboa.

Comente este artigo

Only registered users can comment.