Depois de ‘Zero’, saxofonista e compositor regressa com a sua banda para dar a conhecer o novo disco ‘Um’

João Guimarães volta a Famalicão para tocar no Espaço Cultural CRÚ

João Guimarães volta a Famalicão para tocar no Espaço Cultural CRÚ

Pub

 

 

O João Guimarães Group apresenta, este domingo, 19 de dezembro, pelas 18h00, o álbum Um, mais recente gravação desta banda de jazz, no Crú – Espaço Cultural, de Vila Nova de Famalicão. O mais recente trabalho, sucede a Zero, sendo estes os dois registos sonoros que a banda publicou até agora.

“O facto de [este] ser um grupo alargado abre espaço para a polifonia, onde se expressam diversas vozes em simultâneo’, apresentando ‘diversos jogos de equilíbrio’ e ‘diferentes estratégias dentro do mesmo tema’, disse o crítico Nuno catarino, no Público. Segundo acrescenta, ‘neste Um, (…) a música soa mais relaxada, flui com tranquilidade. João Guimarães já não é apenas um saxofonista interessante, é agora um músico completo, destacando-se como compositor original e arrojado. E, como os grandes líderes, sabe que o seu trabalho mais brilha se estiver escoltado por boas companhias’.

Para retomar o trabalho, numa nova tour, neste ano de 2021, o grupo recorreu aos apoios “Garantir Cultura”, assim tencionando dar a conhecer o resultado do disco através de música ao vivo, em contacto com o público e em espaços culturais menos centralizados, cultivando a apetência por este estilo através da música ao vivo.

João Guimarães, líder, compositor, saxofone

Já antes de rumar para Nova Iorque para estudar na Manhattan School of Music, depois de concluída a sua formação na ESMAE (Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo) João Guimarães (saxofone) era membro da Orquestra de Jazz de Matosinhos. João é exemplo cimeiro, entre os músicos da sua geração, de um instrumentista simultaneamente detentor de competências técnicas invejáveis, por um lado, e da manutenção da curiosidade e gosto pela experimentação, por outro.

A música de João Guimarães tem à partida um tipo claro de sonoridade com o rock e o funk presentes, que surgem com nuances e diluídos num caldo de jazz. O fator melódico funde com o estilo pós-cool destes quatro músicos. Uma música que apela à dança. O Grupo de João Guimarães é a reunião dos músicos com quem o músico quis trabalhar a sua música atual. Parte de uma base de composição, mas não prescinde do momento e da voz particular e tão genuína e única que se encontra neste conjunto de músicos.

Este quarteto está presente em Portugal desde 2017, tendo sido apresentado em Coimbra, no Quebra- Costas, em Lisboa no HCP, na Porta – Jazz no Porto e no Museu Bernardino Machado, no Dia Internacional do Jazz 2019, promovido pelo Eixo do Jazz, sendo dos poucos vídeos de músicos portugueses a integrar a playlist do site International Jazz Day.

O saxofonista João Guimarães é atualmente membro da Orquestra de Jazz de Matosinhos, do trio Hitchpop e fez parte da banda portuense Insert Coin, do Miguel Ângelo Quarteto, entre outros. Depois do seu primeiro trabalho como líder, Zero, para octeto, lançado pela TOAP e encomendado Festival de Jazz de Guimarães em 2013, lança em 2020 um novo disco, UM,

Eduardo Cardinho, vibrafone

Leiria, 1993. Iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música do Orfeão de Leiria. Estudou na Escola Profissional de Música de Espinho e mais tarde concluiu com distinção a Licenciatura em Vibrafone Jazz na Escola Superior de Música Artes e Espetáculo do Porto. Em 2013 conquistou o prémio ex-aequo na 27ª edição do “Prémio Jovens Músicos” na categoria de Combo Jazz – nível superior com o projeto “Eduardo Cardinho Quinteto”, recebendo um ótima crítica de Mário Laginha.

Gravou o seu primeiro CD em 2015, “Eduardo Cardinho Quinteto – Black Hole”, aclamado como um dos melhores discos nacionais de 2016.

Em 2018, Eduardo Cadinho terminou o mestrado em Vibrafone Jazz no Conservatório de Amesterdão com nota máxima e distinção “cum laude”, apresentou-se como solista convidado da Orquestra de Jazz de Matosinhos e gravou o seu segundo álbum, “In Search of Light”.

É regularmente convidado para lecionar mastercalsses em território nacional e estrangeiro, e leciona na Escola Profissional de Música de Espinho e na Universidade de Aveiro.

Marcos Cavaleiro, bateria

De nacionalidade portuguesa, o fantástico baterista Marcos Cavaleiro nasceu em Basel, Suíça, e iniciou os seus estudos musicais na cidade da Guarda. Estudou na escola Taller de Musics em Barcelona e, mais tarde, licenciou-se pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto. É membro da Orquestra Jazz de Matosinhos desde 2007. Em 2020 lançou o primeiro disco em nome próprio, “Sete” (Carimbo PortaJazz). Atualmente leciona a disciplina de bateria e fundamentos rítmicos no Curso Superior de Jazz da ESMAE. É endorser das marcas Turkish e Craviotto.

Francisco Brito, contrabaixo

Iniciou os seus estudos no Hot Clube de Portugal no ano de 2004, em  guitarra, com Bruno Santos. Em 2006, muda para o instrumento com que mais se identi fica, o contrabaixo. Entre 2006 e 2008 frequenta o curso de Jazz do Hot Clube onde es tuda com professores como Bernardo Moreira, Nelson Cascais, André Fernandes e João  Moreira, entre outros.

Em 2008, Francsico Brito ingressa na Licenciatura em Jazz da Escola Superior de Música de Lisboa,  onde estuda actualmente com Afonso Pais, Lars Arens, Bernardo Moreira, Pedro Moreira,  Óscar Graça e Gonçalo Marques, entre outros.

É actualmente professor na Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal.

joão guimarães grupo - saxofone - compositor - jazz - crú cultural - vila nova de famalicão - joão guimarães - marcos cavaleiro - francisco brito - eduardo cadinho - jazz - um - zero - disco - gravação - música - espaço cultural crú - famalicão - concerto

O João Guimarães Group apresentou-se, em 2019, em Famalicão. Nessa altura, a banda esteve presente no Museu Bernardino Machado a assinalar o International Jazz Day.

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - 1ª página - notícias - informação - jornal - diário digital generalista de âmbito regional

Imagens: JGG

VILA NOVA, o seu diário digital. Conte connosco, nós contamos consigo.

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade, entre outros.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta. A melhor forma de o fazermos é dispormos de independência financeira.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os seus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Gratos pela sua colaboração.

Publicidade | VILA NOVA: deixe aqui a sua Marca

Pub

Categorias: Agenda, Cultura, Famalicão, Música

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.