Tiago Simães

Talento Made in Guimarães | Manuel de Oliveira

Talento Made in Guimarães | Manuel de Oliveira

Pub

 

Talento Made in Guimarães, nº

A pessoa

Conheço o Manel há muitos, muitos anos e tive já o prazer de o acompanhar várias vezes (uma delas com os Muxima, quinze dias em Macau, uma viagem de recordações épicas!

É uma pessoa ponderada, calma mas sempre a ferver de ideias. Além de ser um músico incrível – e em grande parte autodidacta – está sempre em busca de novas formas de se exprimir na sua arte, e de cada vez que cria um projecto reinventa-se, enquanto pessoa e enquanto artista.

Empreendedor e organizado, gosta de desafios e é muito exigente com a qualidade daquilo que faz, tanto como produtor, agente cultural, músico, compositor e pessoa ligada ao mundo da música em geral. Preza muito a sua privacidade e gosta de falar pouco – mas geralmente na altura certa.

O trabalho e a criação

Vimaranense e Nicolino de gema, o Manuel de Oliveira começou a dar os primeiros toques na guitarra através do pai (todos se recordam do Sr. Aprígio Oliveira, certamente) e, enquanto vimaranenses, é certa a emoção e nostalgia que temas como “Praça de Santiago” e outros momentos de alma musical continuam a provocar em todos nós.

Um músico talentoso, emocionante e curioso, disposto a abraçar novos desafios. Compôs já música para cinema (“Caminhos Magnétikos”, de Edgar Pêra) e entrega às suas composições os reflexos de uma alma ibérica que lhe corre nas veias, sem contudo perder o respeito pelas suas origens e tradições.

Com um vasto percurso internacional, do seu currículo enquanto autor destaca-se o primeiro álbum “Ibéria”, a edição internacional do álbum “Amarte” e a presença em alguns dos mais importantes festivais europeus – “Emociona Jazz!!” (Espanha) e “Couleurs Jazz” (França), ao lado de nomes como Brad Mehldau, Chick Corea, Mike Stern e Richard Galliano, entre muitos outros.

Manuel de Oliveira concebeu “Os Nossos Afetos”, espetáculo da cerimónia de abertura da Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura, com Cristina Branco, Chico César e Rão Kyao. O album “Ibéria Live” tem a participação de conceituados músicos fundadores do Flamenco Jazz – Jorge Pardo e Carles Benavent, tendo esgotado o CCB e a Casa da Música em 2016.

Recentemente, Manuel de Oliveira apresentou [ENTRE], novo trabalho em digressão nacional da qual resulta o novo disco.

O Manuel é também desde há algum tempo director artístico do Santa Luzia Art Hotel, tendo vindo a fazer um trabalho muito interessante de “culturização” do espaço, com convidados e concertos de grande qualidade. Como produtor e como músico é grande a sua experiência, tendo trabalhado e elaborado projectos comuns com alguns dos maiores artistas nacionais e internacionais.

#talentomadeinguimaraes  #manueldeoliveira

**

*

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco (preferencial), mbway ou paypal.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

MBWay: 919983484

*

Obs: envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

*

Gratos pela sua colaboração.

*

Pub

Categorias: Crónica, Sociedade

About Author

Tiago Simães

Tiago Simães é natural de Guimarães, onde nasceu em 1980. Após frequentar o Conservatório Regional de Guimarães e a Academia Valentim Moreira de Sá, ingressa na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto, onde se graduou em Formação Musical Específica. Em Itália e Portugal, Estuda Regência Coral, Piano e Composição e Música - Teoria e Pedagogia, na Universidade de Aveiro. Tem participado em inúmeros projectos como artista integrante ou convidado, concertista ou maestro, a solo ou ensemble, tendo-se apresentado em diferentes palcos nacionais e internacionais e em vários estilos musicais e artísticos Lecciona Formação Musical e Classes de Conjunto no Conservatório de Música de Felgueiras desde 2005, tendo aí sido Director Pedagógico. Entre 2009 e 2014 exerce o cargo de Coordenador da Licenciatura em Educação Musical, no Instituto Superior de Ciências Educativas de Odivelas – Pólo de Felgueiras. Foi Director Artístico e Programador da Associação Círculo de Arte e Recreio, entre 2009 e 2013. Colaborou activamente na organização e execução do evento Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura, tendo sido convidado a integrar o Projecto da Área de Comunidade “Outra Voz” como Regente Coral. Compõe o tema sinfónico “Guimarães 2012 – Obra para Orquestra e Coro” interpretado pela FOE sob a direção de Rui Massena. Foi ainda membro da Direcção do Projecto Tempos Cruzados. Enquanto membro directivo da Associação Convívio - entre 2011 e 2013 – é co-fundador e criador da Escola de Jazz do Convívio (Outubro de 2012), da qual foi docente e Director Pedagógico. É fundador do festival “O Verão é Jazz!”. Em 2013 cria o B-JAZZ: Convívio Jazz Choir, do qual é Maestro e Director Artístico até ao presente.. Colabora activamente com inúmeros projectos musicais de todas as áreas, enquanto produtor, músico de estúdio ou/e performer (Let the Jam Roll, José Malhoa, Azeitonas, etc...). É co-responsável pela componente musical do Festival Guimarães Noc Noc. Foi membro da Direcção Executiva e Coordenador do FMRG (Festival de Música Religiosa de Guimarães) desde a sua fundação até 2017 e exerceu as funções de coordenador do FIGG (Festival Internacional de Guitarra de Guimarães) entre 2016 e 2018. Foi co-regente e membro do projecto. Exerceu as funções de co-gestor e programador do São Mamede Centro de Artes e Espectáculos, Director Musical do espectáulo “Humanário Paralelamente à carreira de músico e pedagogo, é empresário, nomeadamente da MVJ e da Relógio de Ideias Produções. É programador do evento anual “Os Clássicos vão ao Interior”, divulgando música erudita pelo interior remoto. Escreve regularmente textos, crónicas e artigos de opinião para vários suportes e sobre os mais variados temas. Lançou o seu primeiro livro “Todos os dias ou não” em Março de 2020 pela Editora Astronauta e está previsto o lançamento do segundo ainda durante o mesmo ano.

Write a Comment

Only registered users can comment.