Elaboração da 2ª fase do projeto em curso avança no sentido de conseguir reabilitação integral da única escola secundária do concelho

Ensino | Esposende requalifica Escola Secundária Henrique Medina

Ensino | Esposende requalifica Escola Secundária Henrique Medina

Pub

 

Esposende vai avançar com a segunda fase do projeto de requalificação da Escola Secundária Henrique Medina.

Ainda antes da conclusão da primeira fase da obra, que se prevê ocorra até ao arranque do próximo ano letivo, empreitada executada pela respetiva Câmara Municipal, em articulação com o Ministério da Ciência e Educação, num investimento superior a 2.200.000 euros, o Município decidiu avançar, desde já, com a elaboração do projeto da segunda e última fase de intervenção, com vista à reabilitação integral desta que é a única escola secundária do concelho, construída há 39 anos.

“O objetivo é garantir, caso surja a oportunidade de candidatar a obra a fundos comunitários, que o projeto esteja concluído e pronto a executar. Trata-se, pois, de acautelar, em devido tempo, a elaboração do projeto necessário para a eventualidade de surgir oportunidade de financiamento”, refere Benjamim Pereira, o Presidente da Câmara Municipal, considerando da maior justiça a requalificação total da escola, dado que a mesma não foi considerada no âmbito das intervenções do Parque Escolar.

Benjamim Pereira lembra que, “apesar de não ter quaisquer responsabilidades sobre a Escola Secundária Henrique Medina, o Município de Esposende sempre se empenhou no sentido de assegurar a sua requalificação, razão pela qual assumiu uma significativa fatia dos encargos da primeira fase da intervenção”.

Além de ter tomado em conta a harmonia paisagística, esta intervenção possibilitou tornar o espaço mais funcional, criando melhores condições para acolher a comunidade escolar, pretendendo-se que a linha urbanística seja mantida na fase posterior.

Fonte e Imagens: Município de Esposende

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.