Banda deu-se a escutar em Braga ‘com um som renovado e em excelente forma’

Música | PAUS animam ‘Quintas Felizes’ no Theatro Circo

Música | PAUS animam ‘Quintas Felizes’ no Theatro Circo

 

 

Palavra dada, palavra honrada. Os PAUS apresentaram-se em Braga, conforme prometido, para fazerem o seu regresso aos palcos após o confinamento da pandemia. Foi, assim, ao som intenso de «Sebo na estrada» que o quarteto lisboeta PAUS –  composto por Fábio Jevelim, nas teclas, Hélio Morais, na bateria, Joaquim Albergaria, na bateria, e Makoto Yagyu, no baixo -, cumpriram a sua estreia em Braga, na sempre bela sala que é o o Theatro Circo.

Fizeram-no perante uma sala relativamente bem composta, que limitava o público apenas à plateia, de um lado, e pela concorrência do futebol, de outro – e logo com um derby ‘Braga vs Vitória de Guimarães’ na TV.

O Theatro Circo apresentou-se renovado e seguro, sobretudo muito arejado, em noite que se mostrava tépida.

Os PAUS estiveram nas suas ‘sete quintas’, afirmaram. Ao longo do descontraído concerto deu para contar histórias sobre as “vivências da música com o Covid” e rever alguns dos êxitos da banda, tais como: “Pela boca» e “Deixa-me ser”. O concerto centrou-se no álbum “Madeira” e no mais recente, de 2019, “YESS”, o último da banda da bateria siamesa.

Soube a pouco, já que o espetáculo encerrou sem o tradicional encore. A singular banda rock, que se apresenta sempre com 2 baterias em palco – uma mais em força, outro num registo mais estilístico e suave -, e o poderoso baixo de Makoto, deu-se a escutar com um som renovado e em excelente forma.

Voltem Paus!… Aguardamos o vosso regresso.

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Categories: Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.