Prevenção e resolução das situações de alto risco já detetadas nos lares de terceira idade em causa

Coronavírus | Comunidades Intermunicipais do Minho pedem ao Governo cuidados especiais

Coronavírus | Comunidades Intermunicipais do Minho pedem ao Governo cuidados especiais

Pub

 

 

As Comunidades Intermunicipais do Ave, do Cávado e do Alto Minho, em tomada de posição conjunta esta tarde, pedem urgência ao Governo no reforço imediato das medidas de prevenção e resolução das situações de alto risco já detetadas nos lares de terceira idade situados na região Minho. Esta tomada de posição resulta de reunião decorrida entre os presidentes das três regiões – respetivamente Raul Cunha, Ricardo Rio e José Maria Costa – e segue-se a uma preocupação tornada pública, através da CIM do Ave, após a Reunião do Conselho Intermunicipal, realizada no passado dia 31 de março.

Atendendo ao elevado número de infetados pela Covid-19 nesta região do país, com especial incidência em lares de idosos, estão a verificar–se múltiplas dificuldades de resposta do setor da Saúde. Têm faltado a disponibilização de testes e celeridade de outras respostas igualmente indispensáveis, nomeadamente da Segurança Social, no encaminhamento de situações críticas. Só assim se poderá diminuir a gravidade do problema.

Assim, as três comunidades intermunicipais regionais pretendem ação imediato do Governo em relação a:

1) Disponibilização de testes de despistagem para as situações críticas que sejam referenciadas pelas autoridades de saúde nos lares de idosos do Minho; e

2) Implementação de medidas de prevenção e contenção mais rígidas nos lares, nomeadamente nas admissões, nos controlos de temperatura à entrada e no aumento dos turnos dos colaboradores e funcionários dos lares.

 

Fonte e Imagem: CIMAve

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

Como qualquer outra, a Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.