Marco Alves

Mobilidade | Por uma Braga mais segura

Mobilidade | Por uma Braga mais segura

Pub

 

 

Já não se pode “brincar” nas ruas, as crianças não se sentem seguras.

Não sendo a cidade mais jovem do país, Braga é a capital do distrito mais jovem de Portugal. Uma cidade com ótima qualidade de vida, onde cada vez mais os jovens se procuram fixar por motivos profissionais e constituir família. As boas escolas profissionais, do ensino básico e secundário e o polo universitário da Universidade do Minho têm grande peso para esse crescimento jovem, porém a segurança rodoviária, no distrito e município, é um dos pontos mais preocupantes entre os jovens e moradores, pois continua a existir um elevado número de acidentes e vítimas.

Braga é o segundo distrito do país com mais mortes por acidentes rodoviários, segundo a Associação Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR). Em 2018, os números de acidentes com vítimas foi de 3.139, acidentes com mortos 38, com mortos e feridos graves 153, registando-se ainda cerca de 3.924 feridos leves, o que contabiliza um total de 4.090 vítimas.

Grande parte dos acidentes com vítimas acontecem durante o dia, com bom estado de tempo, dentro das localidades e em arruamentos. Atropelamento de peões, colisão frontal, colisão lateral com outro veículo em movimento, despiste com capotamento e despiste simples são, entre outros, os acidentes com maior número de vítimas. O Município de Braga é o maior concelho do distrito, com 685 acidentes com vítimas. Entre as vítimas, contam-se 7 mortos, 32 feridos graves e 821 feridos leves.

O município bracarense previa a implantação de 61 passadeiras inteligentes, travessia sobrelevada, que consiste num sistema de sensores instalados na própria passadeira e na torre “Omniflow” associada, que fará o controlo do comando, permitindo a alimentação da passadeira alimentadas por energias renováveis. Ao detetar um peão que pretenda atravessar, este sistema ativa automaticamente a iluminação do pavimento e a iluminação superior de forma a garantir uma boa visibilidade da passadeira aos condutores. Um investimento de cerca de 3,5 milhões de euros, onde estão incluídas correções de passeios.

O custo económico e social dos acidentes rodoviários em Braga é cerca de 35 milhões de euros, em Portugal cerca de dois mil milhões de euros. É necessário implementar mais e novas medidas preventivas, de modo a assegurar a segurança rodoviária de moradores e turistas. Mais policiamento efetivo, mais sinalização luminosa e acústica, menos tráfego de veículos em zonas críticas de grande movimento de pessoas, reduzir limites de velocidade dentro das localidades, coimas mais pesadas, sensibilizar a população em cuidados rodoviários, entre outras, são também medidas a concretizar.

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Crónica, Política, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Marco Alves

Marco Alves nasceu no dia de São João de 1977, natural do Porto. Reside no concelho da laranja de Amares há quase duas décadas. Atualmente é técnico especializado em tecnologia electromecânica e mecatrónica com funções na área hospitalar. Frequenta neste momento a Universidade com objectivo de concluir um sonho não concluído. Militante e coordenador concelhio do partido Aliança, integrou a lista de candidatos à Assembleia da República pelo círculo de Braga. Gosta de ler,escrever e viajar. Praticante de desporto para cuidar a imagem e saúde pessoal. Amigo dos animais, defensor do ambiente. As pessoas em primeiro lugar.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.