Empreitada financiada pelo POSEUR permite cumprir Programa de Reabilitação de Áreas Classificadas do concelho

Ambiente | Viana do Castelo inicia recuperação de monumentos naturais

Ambiente | Viana do Castelo inicia recuperação de monumentos naturais

Pub

 

 

Teve início hoje, 1 de julho, a empreitada, no valor global de meio milhão de euros, que irá permitir a recuperação ecológica de 5 dos 13 monumentos naturais do concelho – Pavimentos Graníticos da Gatenha, Cemitério das Praias Antigas de Alcantilado de Montedor, Ribeira de Anha, Cascatas da Ferida Má e Falhas das Ínsuas do Lima – , áreas únicas para o conhecimento da história geológica da Península Ibérica desde há mais de 500 milhões de anos e que fazem parte da candidatura que o Município vianense se encontra a preparar para reconhecimento de território Geoparque Mundial da UNESCO.

Esta empreitada acontece no âmbito da Estratégia Municipal para a Conservação da Natureza, cujo plano se encontra inscrito na Agenda de Ambiente e Biodiversidade em curso para o quadriénio 2017-2021 do  Município de Viana do Castelo e que obteve aprovação do POSEUR para a execução do Programa de Reabilitação Ecológica das Áreas Classificadas do respetivo concelho.

O programa de recuperação ecológica das áreas classificadas de Viana do Castelo, candidatado em agosto de 2019 e aprovado pelo POSEUR no início de 2020, contou com a colaboração de todas entidades hoje representadas. As ações de erradicação e controlo de espécies exóticas, principalmente de Acacia dealbata (Mimosa), Acacia longifolia (Acácia-de-espigas) e Acacia Melanoxylon (Austrália), Carpobrotus edulis (chorão das praias), Arundo donax (cana gigante), Trandescantia fluminencis (erva-da-fortuna ou tradescância) e Cortaderia selloana (erva das pampas ou plumas) foi candidatada tendo em conta que Viana do Castelo é um território rico do ponto de vista do Património Natural e Cultural, com cerca de 4.800 hectares especificamente designados para a proteção de habitats da fauna e da flora (3 sítios de importância comunitária da Rede Natura 2000), sendo o único concelho do país com o inventário do património geológico concluído e devidamente classificado como 13 monumentos naturais, perfazendo uma área total de cerca de 2.832 hectares.

Para lá da empreitada em curso, o programa de reabilitação ecológica inclui um plano de monitorização a 5 anos que contará com o apoio e intervenção das Juntas e Uniões de Freguesia, Agrupamentos de Escuteiros, Associações de Caçadores e Comissões Diretivas de Baldios do concelho vianês, premissa necessária a garantir a perenidade do sucesso da intervenção agora iniciada.

A empreitada arrancou no Monumento Natural dos Pavimentos Graníticos da Gatenha, na costa de Afife, tendo marcado presença o Presidente da Câmara Municipal e o Vereador do Ambiente e Biodiversidade, bem como os Presidentes das Juntas de Freguesia de Afife, Carreço, Vila Nova de Anha, de Santa Marta de Portuzelo, de Amonde e de Freixeiro de Soutelo, e ainda o Presidente da União de Freguesias de Mazarefes e Vila Fria.

Estiveram ainda presentes nesta cerimónia de arranque da empreitada, a cargo da empresa Ambiflora, a Direção da Associação de Caçadores de Vila Nova de Anha, o Presidente da Comissão Diretiva dos Baldios da Montaria e a equipa técnica da Divisão de Ambiente e Sustentabilidade da Câmara Municipal de Viana do Castelo.

 

Fonte: Município de Viana do Castelo; Imagens: (0) José Mário Pires, (1, 2) Município de Viana do Castelo

 

Fonte e Imagens: Município de Viana do Castelo

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

A Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e plural, é gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.