Iniciativas digitais envolvem Biblioteca Municipal Raúl Brandão, Curtir Ciência, Laboratório da Paisagem e Museu Alberto Sampaio

Infância | ‘O Direito de Continuar a Ser Criança’ assinala em Guimarães o Dia Mundial da Criança

Infância | ‘O Direito de Continuar a Ser Criança’ assinala em Guimarães o Dia Mundial da Criança

Pub

 

 

“O Direito de Continuar a Ser Criança” é o lema do programa que assinala o Dia Mundial da Criança, numa iniciativa promovida pelo Município de Guimarães, com participação de vários parceiros.

Em curso está a iniciativa do concurso de expressão, aberto à participação de todas as crianças vimaranenses. Através de um vídeo, desenho, texto ou fotografia, pretende-se ilustrar como mudou a vida das nossas crianças com a pandemia. Os trabalhos devem ser enviados por email e serão exibidos no Facebook do Município.

No dia 1 de junho, através das redes sociais, estão previstas várias iniciativas desde as 10h00 às 18h00. Começa pelo Teatro de Fantoches “Vem aí o Zé das Moscas”, numa adaptação de um conto tradicional da autoria de António Torrado, através do Facebook da Biblioteca Municipal Raúl Brandão. Na área da ciência, seguem-se dois filmes do Centro Curtir Ciência: O Ar Ocupa Espaço (10h30) e Indicador de PH (11h00), no canal do Facebook do Município.

A Biblioteca Municipal apresentará ainda a Oficina de Ciência Criativa – Atividade plástica de construção de aviões de papel e – ” Contos em Movimento – Yoga para crianças ” orientado por Maria Martins.

O tema do ambiente será abordado, através do Laboratório da Paisagem, com vídeos como “Vamos construir uma caixa ninho!”, “Vem conhecer a Biodiversidade de Guimarães” e “Qual é a tua Pegada Ecológica?”

A propósito deste último, o Laboratório da Paisagem lembra que os recursos do planeta, para este ano de 2020, se esgotariam a 25 de maio se todos os países consumissem como a média dos portugueses, segundo os cálculos da organização Global Footprint Network. Quer isto dizer que a partir daqui o país teria de viver a crédito dos recursos futuros.

Os dados sobre a pegadaecológica de Portugal, indicam que, para reduzir a dívida ambiental portuguesa, o consumo de alimentos (32% da pegada global do país), principalmente através do seu desperdício, e a mobilidade (18%) são das atividades que mais contribuem para a poluição sendo, por isso, necessário intervir ativamente nestes dois fatores poluidores.

O Laboratório da Paisagem oferece ainda, através do “Programa Escolhas” – Porta 7 (Fraterna) – dois filmes: “Como fazer um Shaker em casa?” e “Atividades de Pais e Filhos – Enraizamento”.

Por fim, o capítulo da história para a infância será assinalado, em Guimarães, pelo Museu Alberto Sampaio, com o vídeo “O Primeiro Rei”, sobre D. Afonso Henriques, do realizador Pedro Lino.

Ao longo do dia, representantes de várias instituições de Guimarães passam ainda mensagens sobre os Direitos da Criança. Recorde-se que o Município de Guimarães foi reconhecido pela UNICEF como “Cidade Amiga das Crianças”, ao abrigo do parecer que destaca o compromisso e o envolvimento ativo em promover e defender os direitos da criança e melhorar a situação das crianças no Município. O Presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, não podia deixar de se associar a estas iniciativas e vai deixar uma mensagem dedicada a todas as crianças.

Fonte: Município de Guimarães; Imagens: (0) IMCTVNet, (1) LP, (2) CM GMR

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.