Lucros mantêm-se semelhantes, mas base de clientes alarga-se em direção ao objetivo de liderança do mercado em todos os segmentos

Negócios | Altice Portugal encerra o ano 2019 com receitas superiores a 2.100 Milhões de euros

Negócios | Altice Portugal encerra o ano 2019 com receitas superiores a 2.100 Milhões de euros

 

Altice Portugal garante que “continua a dar passos sólidos no sentido da liderança na televisão”, destacando as 56 mil adições líquidas no total do ano anterior que a ajudaram a conseguir “uma redução de dois pontos percentuais para 0,5 pontos percentuais da diferença de quota de mercado face ao operador ainda líder – [a NOS] -, em apenas um ano” e que lhe permitiram também atingir uma Receita superior a 2.100 Milhões de euros.

“O crescimento das receitas em todos os segmentos, aliado ao continuado controlo ao nível da margem bruta e a cada vez maior eficiência e disciplina de gestão dos restantes custos operacionais, foram as alavancas que permitiram atingir esta boa performance“, destaca a Altice Portugal em nota informativa de divulgação dos seus resultados de 2019.

Apesar disso, a Altice Portugal viu o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) recuar 1% em 2019, para 832 milhões de euros, uma “estabilização” face à queda de mais de 11% que tinha sido registada em 2018. 

Após 4 trimestres consecutivos de crescimentos homólogos positivos, a Altice Portugal, atual proprietária da MEO – Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A., antiga Portugal Telecom, termina o ano 2019 com crescimento de Receita de +1,7% (+36M€), fixando-se em 2.110M€, resultado este que inverte a queda de -67M€ registada em 2018 vs. 2017.

O último trimestre do ano foi muito marcante para a empresa, uma vez que conseguiu que a Receita crescesse +17M€ (+3,3%), a que acresce ainda uma clara tendência de sustentabilidade com aumentos consecutivos trimestre a trimestre ao longo do ano 2019.

A excelente performance da Altice Portugal foi transversal a todos os Segmentos de Negócio, com o Segmento de Consumo a encerrar o exercício de 2019 a registar um crescimento de +0,9% e o Segmento de Serviços Empresariais – que combina B2B [business-to-business], segmento grossista e restantes unidades de negócio da companhia – a assinalar um crescimento de +2,8%. Ambos os Segmentos invertem, de forma significativa, a performance negativa registada no ano de 2018 com -3,8% e -2,3%, respetivamente para Consumo e Serviços Empresariais.

Os resultados observados resultam da aposta na expansão da rede Móvel 4G, transformação da rede de Transporte, investimento na Plataforma de Televisão e em particular no reforço da Infraestrutura de Fibra Ótica, para alcançar a meta de 5,3 milhões de fogos em 2020. O último trimestre do ano, em particular, é revelador dessa estratégia com um Investimento de 140M€, o mais elevado dos últimos 16 trimestres.

A Altice Portugal tem vindo a cumprir, trimestre após trimestre, todas as metas e estratégia definidas, com vista a disponibilizar a maior rede de Fibra Ótica e o acesso ao maior número de Clientes, sem qualquer discriminação, mesmo nas áreas mais remotas. No final de 2019, a Altice Portugal atingiu 4,9 milhões de casas passadas com fibra ótica, 425 mil das quais passadas ao longo deste ano.

MEO quer liderar mercado português de televisão 

A 12 de março, a Anacom publicou dados estatísticos sobre os serviços de televisão por subscrição. Nessa altura, o regulador revelou que, no final de 2019, a NOS detinha a maior quota de assinantes (40,1%), seguindo-se-lhe a MEO (39,6%) e a Vodafone (16,3%), salientando que estas duas últimas operadoras foram as que mais assinantes captaram face a 2018, refere Flávio Nunes, no Eco – Economia Online.

A empresa pretende alcançar o primeiro lugar na televisão paga, declarou Alexandre Lourenço àquele diário digital, administrador executivo da empresa em finais do ano passado: “2020 vai ser o ano da liderança total na Altice Portugal. A MEO será líder em todos os segmentos, destronando o incumbente de televisão e consolidando a sua posição como primeira escolha e marca de confiança dos portugueses”.

Fonte e Imagem: Altice

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Categories: Economia

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.