Literatura, música, dança e artes visuais acontecem no Bar da Ramada

Tertúlia | Guimarães recebe Festival Palavra Voa

Tertúlia | Guimarães recebe Festival Palavra Voa

Pub

 

 

No próximo dia 25 de janeiro a cidade de Guimarães recebe a 1ª edição do Festival Palavra Voa. O evento, que é uma produção do Coletivo Palavra Voa, “diverso pelo coletivo, uno pela palavra, resistência na luta por uma sociedade justa, plural e democrática”, como refere a poetisa Manu Bezerra de Mello, ocorrerá no Bar da Ramada desde as 16h00 até a noite. O objetivo é preencher a tarde desse sábado com cultura, para o que contará com programação diversa de literatura, música, dança e artes visuais.

Para abertura, pelas 16h00, a aposta é na integração. Uma tertúlia poética pretende quebrar o gelo e estimular os participantes a soltarem sua veia poética com a leitura de textos autorais ou canónicos que lhes apeteçam partilhar. Ao final da secção, haverá mais um momento literário com apresentação coletiva de alguns títulos da Editora Urutau, entre eles o poemário Pés Pequenos pra Tanto Corpo, da escritora Manuella Bezerra de Melo, brasileira residente a Guimarães, que já teve sua obra previamente lançada oficialmente em Lisboa, Porto e Braga, além de autores de origem Galega.

Na sequência, pelas 17h00, o Coletivo Palavra Voa apresenta sua performance base, um poema escrito a duas mãos que trata sobre o poder da palavra e as consequências de negligenciá-la lido na voz de Manuella Bezerra de Melo com coreografia da multiartista e bailarina Isabella Maia, figurino da artista Visual Cleo do Vale e música de Darlan de Lima. Na cena seguinte, pelas 17h30, o músico português Pedro Godinho apresenta seu concerto em guitarra e voz com um repertório de temas de rebeldia. Mais tarde, outra performance dá seguimento às atividades. Desta vez, o português Pedro Tavares e a brasileira Isabella Maia unem os corpos numa dança-improviso para derrubar fronteiras e celebrar as semelhanças. Fecha a programação uma discotecagem com o melhor da música brasileira, “mas o melhor de facto, não de media”, explica a produção.

Em simultâneo ao programa, durante todo evento poderá ser apreciada a exposição de fotografiasCaminhar‘, assinada por Isabella Maia, que registou a sua peregrinação pelo Caminho de Santiago Português do Porto até Compostela sob a ótica de uma mulher que caminha sozinha, numa reflexão sobre solidão, género e auto-conhecimento. A artista plástica Vimaranense Natália Macedo também participa com a vernissage Paisagens de mim, trabalho em quadros feito em técnicas variadas como acrílico, colagens, esferovite, gesso e cartão; produção que nos conduz a uma imersão no universo da artista e que referenda a autenticidade da sua essência.

A intenção da produção do evento é manter sua realização com periodicidade, ao menos a cada dois meses, e tornar a tertúlia uma agenda fixa vimaranense.

O Coletivo Palavra Voa assina o festival Palavra Voa. Foi formado em 2019 por artistas brasileiros e portugueses com objetivo de fomentar integração cultural e produção de atividades que abram espaço para nova produção artística do norte de Portugal. Em 2018, realizou o Festival Palavra Brasil, na Casa Ninja, em Lisboa, além de estar presente na programação de vários eventos em Portugal.

Informações

Festival Palavra Voa – 1ª edição

Local: Bar da Ramada

Data: 25-01 pelas 16h00

Contacto: 910356828

Entrada: gratuita

Programa

16h00 Abertura

Tertúlia – Secção aberta

17h00 Apresentação de Livros – Editora Urutau

Pés Pequenos pra Tanto Corpo

Manuella Bezerra de Melo

Obra Galega a confirmar

17h30 Performance Palavra Voa

18h00 Concerto Pedro Godinho

19h00 Performance ‘sem fronteiras’

19h15 Discotecagem

Programa Permanente

Exposição fotográfica ‘Um Caminhar’ – Isabella Maia

Vernissage Paisagens de mim  – Natália Macedo

Fonte: LL

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Agenda, Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.