Tag "poesia"

Voltar à homepage
Cultura

Poesia | Não gosto de poemas

    Não gosto de poemas, porque me fazem espirrar. Eles fazem-me cuspir sangue que não é meu, recitar orações subordinadas pouco valiosas, dançar uma valsa com um destino que

Cultura

Dar Coisas aos Nomes | Falhar com verdade

    1. No Natal de 1996, o meu pai deu-me como presente a antologia Primeiro Livro de Poesia, organizada por Sophia de Mello Breyner Andresen. Já antes havia recebido

Cultura

Poesia | Dejá-vu

    ezra pound descalço canta: “tree you are, / moss you are, / you are violets with wind / above them…” cantam os pés brancos sobre as tábuas oscilando

Cultura

Literatura | Bernardo Santareno alvo de homenagem no Gil Eannes

    Bernardo Santareno foi alvo de homenagem no antigo navio-hospital Gil Eannes, palco das comemorações do centenário do nascimento de Martinho do Rosário, médico que escreveu sob aquele pseudónimo e

Agenda Cultura

Música | António Variações condecorado pelo Presidente da República

    António Variações vai ser condecorado pelo Presidente da República a 17 de novembro. O poeta, cantor e compositor pop de humildes origens minhotas e que, de ano para

Cultura

Entrevista | José Ilídio Torres à conversa com… José Ilídio Torres

    José Ilídio Torres acaba de publicar um novo livro: «O romântico que lia Bukowski». Pelos escaparates ainda se vão encontrando alguns dos seus trabalhos anteriores. No entanto, a

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | Criar relações pela arte: livros e fotografia, um projecto da Terceira Pessoa

    No dia 6 de Novembro, a Casa Amarela – Galeria Municipal de Castelo Branco abriu as portas ao público para inaugurar a exposição de três criações fotográficas integradas

Cultura Sociedade

Pesar | Cruzeiro Seixas: 99 anos a surrealizar por aí

    Faria 100 anos a 3 de dezembro. Artur do Cruzeiro Seixas nasceu a 3 de dezembro de 1920 na Amadora, Lisboa. Frequentou a Escola de Artes Decorativas António

Cultura

Literatura | José Ilídio Torres realiza viragem na sua carreira literária com publicação de ‘O romântico que lia Bukowski’

    Não era importante para a narrativa.   ‘O romântico que lia Bukowski‘ marca o regresso à ficção de José Ilídio Torres, depois de, em 2009, ter publicado o

Cultura Ensaio

Dar Coisas aos Nomes | A vida é puta: ou a poesia face à iminência da morte

    1. Vinte e cinco anos depois da sua estreia, o filme Se7en – Sete Pecados Mortais, com realização de David Fincher, continua a ser elevado como precursor de

Cultura

Livros | Em ‘Poemas Dramáticos e Pictopoemas’ Cesariny revela a síntese perfeita do poeta e do artista plástico

    A Assírio & Alvim acaba de publicar Poemas Dramáticos e Pictopoemas, de Mário Cesariny. A obra conta com edição, prefácio e notas do investigador Perfecto E. Cuadrado. O

Agenda Cultura

Performance | Terceira Pessoa estreia nova criação multidisciplinar no Teatro Municipal da Guarda

  A Terceira Pessoa vai estrear a performance “Querer-se morrer confortavelmente na dor”, criada por Filipa Matta e Óscar Silva no contexto do projeto pluridisciplinar “Rastro, Margem, Clarão“. A estreia

Agenda Cultura

Música | Borealis Ensemble estreia ‘ Este som de o mar praiar’ na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão

    A Casa das Artes de Famalicão assinala as comemorações do Dia Mundial da Música com uma estreia mundial, pelas 19h00 do dia 1 de outubro, Em palco estará

Cultura

Livros | Assírio & Alvim (re)antologia Luís Miguel Nava com ‘Poesia’

    A pele era o que de mais solitário havia no seu corpo. Há quem, tendo-a metida num cofre até às mais fundas raízes, simule não ter pele, quando

Crónica Cultura Sociedade

Dar Coisas aos Nomes | Quem da pátria sai a si mesmo escapa?

    1. Há uma ideia solenemente repetida, e com profunda e misteriosa razão (dessa que nem a própria razão entende), de que os poetas e os artistas nunca interpelam

Cultura

Dar Coisas aos Nomes | Um osso exposto fractura quem o vê (Caderno da Residência, nº 3)

    2 de Agosto, Montemor-o-Novo / 5 de Agosto, Nine (15:16)   A explosão nuclear na cidade de Beirute impressiona-nos por um terrível efeito de corroboração: a imagem do

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | Equívocos, dissensos, desvios (Caderno da Residência, n.º 2)

    1 de Agosto, Montemor-o-Novo (tarde) Galerias, museus, salas de espectáculo – espaços afins nunca foram propriamente a minha praia. Não por desinteresse, muito pelo contrário: os objectos artísticos,

Crónica Política

Gente | Poesia popular e o edil bracarense

    António Aleixo deixou-nos um vasto exemplo do saber popular traduzido em quadras soltas que dizia nos locais que frequentava. Numa delas, dizia António Aleixo: – “Eu não sei

Cultura

Poesia | Afinal onde está o meu berço?

    Se digo mãe, digo Itália; se digo avó, digo ilha, se digo bisavô, digo Galiza; se digo trisavó, digo França um tetravô na Grécia outro em Damasco; um

Cultura

Livros | Reeditado primeiro volume da obra poética do surrealista Cruzeiro Seixas

      A 18 de junho, chega às livrarias o primeiro volume da Obra Poética de Artur do Cruzeiro Seixas, que a Porto Editora decidiu agora republicar integrado na elogio

Cultura

Livros | Sandy Kilpatrick prepara lançamento de ‘Origins # 1 Portugal’

    Sandy Kilpatrick, o músico escocês nascido em East Kilbride que adotou Famalicão para viver em 2001, está a ultimar a publicação do seu primeiro livro, que deverá ser

Cultura

Livros | Editora Albatroz publica ‘O Livro da Sabedoria’ nas palavras de Khalil Gibran

    A Albatroz faz chegar às livrarias de todo o país, a 18 de junho, O Livro da Sabedoria, de Kahlil Gibran. Trata-de de uma obra profundamente sensível e

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | António Barahona: outra vez um menino já depois de velho

    É dia da criança, tudo sol e passarinhos, com as devidas distâncias sanitárias. Há que imaginar grandes relvados abertos, um pouco de água brilhando ao fundo, muitas árvores,

Cultura

Livros | ‘Apresentação do Rosto’ de Herberto Helder reeditada pela primeira vez

    “Há a tentação de escrever um texto inabitável, uma espécie de mapa solitário e limpo, diante do qual o engenheiro da fábula não possa maquinar o seu empenho