Tag "poesia"

Voltar à página inicial
Cultura

Poesia | Prenda mais, morro por ti – II

  esquerdo direiro um dois esquerdo direito um dois e a florista o carteiro a recoveira o barbeiro o boticário a seraninha das castanhas (fogareiro barro arames panelas velhas) todos

Arte

Arte no Parque | Domingo é Dia das Artes no Parque da Devesa

  No próximo dia 17 de junho, domingo, ‘Arte no Parque’ será um dia dedicado às artes, com diversos artistas a trabalhar ao vivo nas áreas da pintura, desenho, escultura,

Sociedade

Surrealizar | Marcelo Rebelo de Sousa: Vila Nova de Famalicão é o lugar do surrealismo em Portugal

  “Encontrou-se um lugar para o surrealismo em Portugal. O lugar é Vila Nova de Famalicão. Aqui e agora o surrealismo português pode passear enfim o seu esplendor”. Foi desta forma

Cultura

Raias Poéticas, 7ª ed -2018 | Quatro poemas de visitação a Marrakesh

Jardim de Ménara e devagar fomos chegando pelas ruas e múltiplas portas da cidade cor rosavelho aromatizada de especiarias de incensos e véus inesperados ao longe enquadrando o imenso jardim

Cultura

Entrevista | Tiago Alves Costa: A forma mais radical de liberdade é da ordem do poético

. “Do que nós precisávamos era de uma salva de palmas no final de cada sonho”   Assim se iniciou, em novembro do ano passado, a colaboração do poeta Tiago Alves

Cultura

Raias Poéticas, 7ª ed – 2018 | Poesia: o limão fruto do mês

no tópico a penumbra limita o céu a deus a mesma paragem passa em liberdade suave textura a mulher tarde horizontal de estrutura espessa o género substantiva camada passa a

Cultura

Raias Poéticas, 7ª ed – 2018 | Poesia: Palavras de Mármore

Cada palavra que escrevo, cada palavra que chamo, aproxima-me da morte da qual até agora escapei. Todo silêncio que concedo todo sonho que durmo conduz-me mais perto do nada que

Cultura

Raias Poéticas, 7ª edição – 2018 | Poesia: Raiz

A vertigem da mudança estoura em faúlhas Centelhas multicolores dos tubérculos até às flores E das flores sedutoras aos frutos nutrientes Dos tresloucados agitados viventes Tudo se enleia se embaraça

Cultura

Raias poéticas, 7ª ed – 2018 | Poesia: Não é dos horizontes que se espera mistérios

Não é dos horizontes que se espera mistérios – talvez danças crepusculares – mas do lugar presente, à hora do inferno, o inesperado enigma do sangue que se liquefaz na

Cultura

Raias Poéticas, 7ª edição – 2018 | RAIAS: CONCEITOS RITORNÉLICOS

AS RAIAS POÉTICAS: AFLUENTES IBERO AFRO AMERICANOS DE ARTE E PENSAMENTO, acontecem há 7 anos na CASA DAS ARTES de VILA NOVA FAMALICÃO, PORTUGAL. Professores, escritores, poetas, tradutores, críticos, ensaístas,

Agenda Cultura

Poesia | Raias Poéticas: Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento. ***************************************** Haja Raias!… Mergulhar na IMPERCEPTIBILIDADE

ESCRITORES, ACADÉMICOS, PROFESSORES, ARQUITECTOS, POETAS, ARTISTAS CONVIDADOS: María Ángeles Pérez Lopez( Poeta, ensaísta, professora Univ.Salamanca; José António Franco Taboada( artista plástico, professor catedrático Univ.Corunha); Montserrat Villar Gonzalez( poeta, ensaísta, Espanha);

Agenda

Poesia para a Infância | O Gato Pingente e o Coelho Folião são algumas das personagens reunidas em Lições Rimadas, de Gonçalves de Oliveira, a ser apresentado na Gerações

Gonçalves de Oliveira, pediatra famalicense recentemente condecorado pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com a Comenda de Benemerência, apresenta, no próximo dia 28 de abril, pelas 11h00, no

Cultura

Correntes d’Escritas | Na Póvoa de Varzim… Há mar e mar, há ir, escrever, ler e voltar (1ª pt.)

Dia 1º (21 de Fevereiro) É dia 21 de Fevereiro e está prestes a ser anunciado o Prémio Correntes d’Escritas 2018, na manhã do primeiro dia do Festival de Literaturas

Crónica

Dar coisas aos nomes | Dizer adeus às coisas

Tanta coisa depende daquilo que decidimos escrever no início de um texto. Houve alturas em que uma folha em branco me deixava em pânico. Um pânico absoluto, paralisante: levantava-me da

Cultura

Poesia | Enquanto os jornais anunciavam o fim do mundo, meu amor

Enquanto os jornais anunciavam o fim do mundo, meu amor nós contávamos o dinheiro que nos sobrava para ver a deslocação das nuvens olhávamos na superfície dos dedos o duelo

Crónica

Dar coisas aos nomes | Aproximações (notas sobre fotografar)

As primeiras vezes, a primeira vez de cada primeira vez. Primeiro, mergulha-se a fundo. É-se irresponsável, faz-se como os putos diante o mar e o rebentar das ondas, sempre primeiras,

Cultura

Poesia | Do que nós precisávamos era de uma salva de palmas no final de cada sonho

Do que nós precisávamos era de uma salva de palmas no final de cada sonho e de assobiar com os dedos, de assobiar com os dedos como faziam antigamente os

Cultura

Poesia | Vemo-nos amanhã

Vemo-nos amanhã. Amanhã talvez o dia esteja mais luminoso e eu te encontre quando o sol estiver no momento do entardecer não sabendo se vá ou se fique, amanhã vemo-nos

Cultura

Luís de Camões | “Os Lusíadas” e a exaltação do povo português

Todos os alunos portugueses, quer no 9º quer no 10º ano, estudam “Os Lusíadas”, de Luís de Camões, obra publicada no ano de 1572. Apesar dos mais de quatrocentos anos