Para responder aos desafios da cidade de Braga, movimento organiza encontro informal na Av. Central

Autárquicas | Braga para Todos quer retirar maioria a Ricardo Rio

Autárquicas | Braga para Todos quer retirar maioria a Ricardo Rio

Pub

 

 

O movimento Braga para Todos organiza, esta quinta-feira, 24 de outubro, pelas 18h00, um encontro informal na Avenida Central, à volta de um café, para debater uma possível candidatura às eleições autárquicas de 2021 com o objetivo de retirar a maioria a Ricardo Rio.

Esta primeira reunião contará com a presença de diversos elementos do movimento e será também o primeiro de vários encontros que acontecerão até final de janeiro, altura em que o movimento irá comunicar a forma como vai concorrer às eleições não estando descartado possíveis apoios de outros movimentos independentes e partidos políticos.

O movimento cívico Braga para Todos  foi fundado a 31 de julho de 2017 com o objetivo de fazer cumprir na cidade a nova lei dos animais, mas também influenciar a aplicação de políticas eficientes na cidade. Os seus objetivos foram levados à Assembleia da República através de petição, avaliada duas vezes em plenário, que resultou  nas políticas animais hoje aplicadas hoje no Município: Capturar-Esterilizar-Devolver (CED) para gatos, com uma verba de 80 mil euros a distribuir ao longo de 4 anos, a existência de uma ambulância de socorro animal, disponibilização de verba destinada a cuidados médico-veterinários aos animais do Centro de Recolha Oficial de Braga (CROB), entrega para adoção de animais esterilizados, apoio a famílias carenciadas e ainda abrigos para animais de rua.

Além de algumas vitórias políticas nesta área, desde que surgiu o movimento apresentou também dezenas de queixas e reclamações sobre as descargas poluidoras no Rio Este, a  feira semanal, a toxicodependência no Monte do Picoto, aquilo que considera ser a ausência de políticas ambientais na cidade e ainda problemas de segurança e obras em várias escolas do concelho.

Ao nível da realização de eventos e ações destinadas aos bracarenses, o Braga para Todos foi pioneiro em ações de veganismo como o S. João Vegan, o Festival Vegan, Dia Mundial do Veganismo e na realização de ações de sensibilização, nomeadamente sobre a violência doméstica, que o movimento considera uma situação de emergência no concelho.

Em cerca de dois anos e meio de vida, o Braga para Todos conta com mais de 30 ações públicas realizadas e centenas de notícias na imprensa. Neste momento, prepara o seu maior desafio político: fazer frente a Ricardo Rio, a quem não poupa críticas sobre a governação ao longo dos últimos 6 anos.

BpT não poupa críticas à ação de Ricardo Rio e da sua vereação

Ricardo Rio e os demais vereadores, na sua maioria, não têm preparação para a função política. Ricardo Rio esteve na oposição vários anos, mas na nossa ótica aprendeu muito pouco e acaba por reagir mais que agir. Muitas vezes dizemos, de forma simplória, que Rio é mais  organizador de eventos que um bom  político. A política, para nós, é algo sério. Nela devem estar pessoas com vontade genuína de servir os outros, de os auscultar e de lhes dar o melhor possível defendendo sempre quem vive em Braga e quem nos visita. A política é demasiado séria  para permitir que as festas ofusquem a gravidade de certas situações da cidade, acerca das quais Ricardo Rio e a sua equipa de vereadores se fecham em copas tentam ser autoritários, ao não responder a ninguém. Isso não  podemos permitimos, porque viver em democracia significa exigir aos políticos com cargos executivos humildade e sentido de servir e não mandar”, afirma, de forma clara, Elda Fernandes, uma das  fundadora e porta -voz do movimento.

Na sua candidatura às eleições autárquicas, o movimento cívico pretende dar destaque ao ambiente, educação e mobilidade e recorrer a investigadores de diversas áreas para ajudarem a traçar linhas eficazes e possíveis para a cidade: “Pela nossa análise nos últimos 6 anos de governação de Ricardo Rio, a educação é das áreas mais mal geridas e que tem um impacto mais negativo na cidade, educação e cultura não podem ser unicamente festas temáticas. Deve haver mais programas de intervenção social e mesmo política e isso não acontece. A par disso há situações graves nas escolas, como já denunciamos no passado, que perduram; isto parece-nos inaceitável. Este é um dos pelouros que carece de mudança, a par com o ambiente e mobilidade onde sobressai a dificuldade dos vereadores responderem aos desafios da cidade.”

O Braga para Todos afirma, em nota de imprensa, ter consciência que a agenda iniciada tem algumas semelhanças com o PAN, mas mostra-se distanciado e contra a postura do partido no concelho. “O PAN mudou. Era um partido construtivo, agora é agressivo, como foi com o vereador do ambiente apenas porque ele vê o mundo de outra forma, ou seja, usou uma opinião pessoal  para se posicionar porque o partido não tem trabalho político no terreno. Nós não temos nada a ver com o caráter proibicionista do PAN, nem queremos impor nada, apenas queremos mostrar que há outros caminhos, outras políticas que podem ser mais positivas e melhorar a qualidade de vida de todos”, refere Elda Fernandes. “O que propomos para Braga, e será apresentado em breve, é inovador, racional e possível. A política local deve traduzir-se em ações e não em utopias. Como andamos há mais de dois anos a trabalhar no terreno e a ouvir as pessoas, temos a certeza que não somos como os outros, porque os outros a que os políticos se referem somos nós todos,  os cidadãos e cidadãs que apenas querem uma cidade mais solidária, amiga do ambiente, mais competitiva a nível económico, que não esqueça o passado, mas tenha os olhos no futuro“.

O encontro é aberto a todos.

Fonte: BpT; Imagens: (0, 1) Chico Dias, (2, 3) BpT

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Agenda, Política

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.