Universidade do Minho, Braga

Campus | Centro IDEA-UMinho lança concurso de projetos inovadores

Campus | Centro IDEA-UMinho lança concurso de projetos inovadores

Pub

 

 

 

 

O desenvolvimento das práticas da docência em Portugal tem vivido um crescendo nos últimos anos, materializado também nos centros de desenvolvimento do ensino e da aprendizagem. “Há cada vez mais oportunidades de financiamento para projetos de docência, mas também há cada vez mais investimento nas universidades em equipas que trabalham o desenvolvimento do ensino e da aprendizagem”, afirma  Manuel João Costa, pró-reitor para os Assuntos Estudantis e Inovação Pedagógica da Universidade do Minho, referindo-se ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo centro de inovação pedagógica IDEA-UMinho.

 

 

É nesse sentido que a Universidade do Minho destaca algumas iniciativas no âmbito do consórcio UNorte, em que três instituições de ensino superior – UMinho, UPorto e UTAD – se articulam numa partilha de valores e formadores, “o que se torna particularmente importante, através do alargamento desta comunidade, principalmente numa área que está a crescer”, acentua o responsável pela inovação pedagógica da UMinho.

Na UMinho, através do Centro IDEA, esta dinâmica tem sido desenvolvida desde a primeira hora por uma equipa com diferentes origens científicas. O pró-reitor considera que esta abordagem não exclusiva de especialistas da docência, incluindo de psicologia, das ciências, da educação, da engenharia, da medicina, entre outros, permite uma discussão mais transversal da docência na UMinho. Manuel João Costa crê que esta abordagem multidisciplinar “é muito diferente do que está a ser feito no resto do país e acredita-se que os resultados tenham uma capacidade crítica muito maior”, contribuindo para uma maior diversidade de perspetivas e riqueza de iniciativas.

Para a reitoria e respetivo pelouro, o projeto IDEA-UMinho é estratégico na medida em que, por um lado, permite pensar o ensino de forma mais ajustada aos seus públicos e, por outro lado, traz a possibilidade de a universidade pensar em formas mais atrativas nas suas atividades pedagógicas. No entanto, o pró-reitor enfatiza que os docentes são o foco principal deste trabalho, pois “muitas vezes um docente ingressa na academia, mesmo tendo sido em muitos casos aluno de excelência, e inicia logo uma carreira a dar aulas, o que potencia a impreparação para a função”. A proposta dos centros de inovação para o ensino e a aprendizagem vai no sentido de preparar os docentes com técnicas e metodologias contemporâneas, “independentemente de já terem uma carreira mais ou menos longa”, realça.

Contudo, entre os objetivos do IDEA-UMinho há também o aproveitamento de know-how já existente na própria UMinho. “Há projetos de ensino muito interessantes que muitas vezes estão fechados nas suas equipas e cursos, mas que devem ser partilhados com a academia, potenciando o seu valor”, afirma Manuel João Costa. Segundo o responsável, representa um grande desafio não fazer deste Centro um projeto de uma Reitoria, mas sim de uma universidade, “sendo transversal, assimilado pelas diversas UOEI, com equipas incorporadas, onde todos estão imbuídos e conscientes desta oportunidade de valorização do docente”.

Desde o seu lançamento, o Centro IDEA-UMinho é uma estrutura concebida para promover e valorizar a inovação e o desenvolvimento do ensino e da aprendizagem na UMinho. Exerce a sua atividade em articulação com os Conselhos Pedagógicos das unidades orgânicas de ensino e  investigação (UOEI), com o apoio do Gabinete de Apoio ao Ensino. Desde o nascimento, esteve nos seus horizontes – como na generalidade dos centros deste tipo que já existem um pouco por todo o mundo – estimular a melhoria do ensino e da aprendizagem, através do desenvolvimento profissional dos docentes. São objetivos que visam fomentar novas práticas docentes baseadas na inovação através de projetos de ensino e aprendizagem, parcerias e redes multidisciplinares centradas nas atividades docentes.

Manuel João Costa, revela que “a envolvência de todos é fulcral e um dos principais desafios é pôr a academia a vestir este fato”. Na verdade, o IDEA-UMinho promove um diálogo permanente com as UOEI e seus docentes, propondo oferta formativa regular, concursos de projetos e práticas de qualidade. Paralelamente, o Centro participa em fóruns e projetos internacionais, levando as boas práticas da docência da UMinho ao exterior, trazendo as abordagens e os recursos mais atuais.

Candidaturas a projetos até 31 de dezembro

No âmbito das suas ações, o Centro IDEA-UMinho lançou recentemente o Programa de Apoio a Projetos de Inovação e Desenvolvimento do Ensino e da Aprendizagem, financiando anualmente projetos pedagógicos que integrem dimensões inovadoras. Esta é uma aposta defendida por Flávia Vieira, membro da equipa do Centro e especialista na área da formação de professores. “O caminho da mudança é longo, apesar de o ensino ser a missão para a qual de forma natural as universidades existem”, diz, explicando que em Portugal e nomeadamente no IDEA-UMinho já se tem avançado bastante nesta vertente.

O Centro organizou em julho, na UMinho, a 5ª edição do Congresso Nacional de Práticas Pedagógicas do Ensino Superior (CNAPPES), um evento anual de partilha de práticas de inovação entre docentes dos ensinos universitário e politécnico de todo país. Nesse momento, cerca de 200 docentes dos mais diversos domínios científicos partilharam e discutiram as suas experiências pedagógicas, estando a ser preparadas as atas do congresso. Entretanto, o Centro tem organizado um programa de formação duas vezes por ano e, para julho de 2019, está já pensada uma formação específica para novos docentes.

Flávia Vieira realça a importância do Programa de Apoio a Projetos de Inovação e Desenvolvimento do Ensino e da Aprendizagem, considerando que constitui “uma iniciativa central do IDEA, que estimula o envolvimento dos colegas da universidade numa linha de inovação e, consequentemente, na melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem”. Estes projetos serão partilhados em contextos diversos, como seminários e jornadas, devendo integrar uma avaliação das práticas desenvolvidas, nomeadamente do seu impacto na aprendizagem nos estudantes. Atualmente está em curso um período de candidaturas, podendo candidatar-se os docentes da UMinho, individualmente ou em equipas, mediante o envio de um formulário de candidatura. Os projetos deverão estar alinhados com tendências atuais da docência no ensino superior e visar a melhoria da qualidade das aprendizagens dos estudantes.

Para Flávia Vieira, “apesar de o ensino ser muito valorizado nas políticas de qualidade das universidades”, sendo clara a preocupação das instituições com esta vertente, em termos práticos os docentes “no seu dia-a-dia sabem que a afirmação do seu mérito e a progressão na carreira passam sobretudo pela sua atividade de investigação e não de ensino”, o que constitui um desafio para centros como este, que procuram fomentar uma cultura de valorização da docência. Outro desafio é atender à diversidade no meio académico, “onde há necessidades e interesses comuns, mas também necessidades e interesses específicos das áreas disciplinares”. A responsável acredita que a iniciativa de apoio a projetos tem um papel importante na valorização da docência e permitirá trabalhar especificidades próprias de diferentes áreas, contribuindo de forma significativa para a inovação no seio da UMinho e para a consolidação da missão do Centro IDEA-UMinho.

Fonte: UMinho

 

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver. 

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. 

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária:

MB Way: 919983484

Netbanking ou Multibanco: 

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

 

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.