Daniel Basílio

Projetos | ‘Castanhas & Companhia’, espírito empreendedor em Valença do Minho

Projetos | ‘Castanhas & Companhia’, espírito empreendedor em Valença do Minho

 

 

 

No passado mês de outubro, tive a honra de demonstrar, perante a comunidade académica, a evolução do meu Projeto Integrado Individual (PII) que desenvolvi durante toda a licenciatura em Marketing e Comunicação Empresarial da Escola Superior de Ciências Empresariais (ESCE), que é uma das unidades orgânicas do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC). Este projeto é parte obrigatória de todas as licenciaturas deste local de ensino, que aposta na formação do carácter empreendedor dos alunos.

Esta ideia de negócio surgiu por ter sido observado que existia uma estagnação da imagem na venda ambulante de castanhas, as vendedoras tradicionais se tornavam cada vez mais idosas e escassas. A promessa de valor sugere a melhoria da imagem estrutural do ponto de venda assim como do próprio colaborador(a).

Nesta palestra – ”Projeto PI/Leaders for the Future 2018/2019‘ – foram elencadas as principais alterações que foram existindo no meu projeto, com o nome de “Castanhas e Companhia”, e quais as correções que a equipa de docentes da ESCE identificava serem alvo de revisão. Do painel desta sessão, também fizeram parte: Álvaro Cairrão, docente do IPVC; Tiago Fernandes presidente da rede Scientiae; e Luís Deber, presidente da Fundação Ronsel. O projeto começou numa simples estrutura móvel para venda de artigos alimentares, do estilo foodtruck e terminou numa pequena estrutura sem motor, prática, flexível, de venda de castanhas assadas e outros produtos complementares para a época de Verão. No entanto, todos os artigos vendidos, teriam como base a castanha e um conceito tradicional, mas uma decoração bem mais apelativa.

Durante todo o meu percurso académico, participei em várias atividades promovidas pela ESCE e por outras entidades ou grupo de alunos, que potenciaram os meus horizontes transversalmente. Devo realçar: as “Jornadas de Marketing de Valença”; o “Encontro Internacional de Jovens Empreendedores”; e os “Open Days”. Todos eles contribuíram para que o culminar desta ideia de negócio fosse a tentativa da implementação da mesma.

Concluída a licenciatura e com o projeto terminado, surgiu a oportunidade de participar em concursos de ideias de negócio desde o “Poliempreende”, até ao “Ágora Business Academy”. Com esta participação, consegui reunir as verbas necessárias para possibilitar a implementação do projeto ‘Castanhas e Companhia’ sem ter de recorrer a financiamento de terceiros. Isto demonstra que é possível implementar a nossa ideia de negócio através da participação em programas que incentivam o espírito empreendedor e que potenciam a criação do próprio emprego.

Tenho de agradecer à ESCE por me ter proporcionado todas estas experiências. Obrigado!!

 

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver. 

A Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. 

No entanto, a Vila Nova tem custos. Gostaríamos de poder vir a admitir pelo menos um jornalista a tempo inteiro que dinamizasse a área de reportagem e necessitamos manter e adquirir equipamento. Para além disso, há ainda uma série de outros custos associados à manutenção da Vila Nova na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de multibanco ou netbanking.

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

 

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.