Consumo | DECO quer descontos e promoções reais na Black Friday

Consumo | DECO quer descontos e promoções reais na Black Friday

Pub

 

 

 

Na Black Friday, a DECO reforça a necessidade de divulgação dos preços praticados nos 30 dias anteriores ao desconto ou promoção anunciado, para acabar com a manipulação de preços e práticas comerciais lesivas para os consumidores.

 

 

Além das habituais e tracionais épocas de saldos, assistimos, ao longo do ano, a campanhas de promoção como a mediática Black Friday que todos os anos movimenta milhões de euros. Este ano, a Black Friday decorre a 23 de novembro,em algumas lojas estendendo-se por mais dias. Mas não há ano em que não se registem vários relatos e denúncias, por parte dos consumidores, de falsos descontos ou de descontos menos interessantes que o anunciado, ou seja, de manipulação de preços dos produtos em promoção.

Desde 2015 que esta Associação tem acompanhado e monitorizado o comportamento e evolução dos preços praticados, antes e durante as promoções, e tem verificado a existência de oscilações dos preços, com aumentos em vésperas de épocas de promoções ou saldos. Esta manipulação de preços não é generalizada, mas põe em xeque a Lei dos Saldos e das Promoções e a Lei das Práticas Comerciais Desleais, pois leva o consumidor a acreditar que está a comprar com um desconto real, quando, na verdade, não está.

Ainda em 2015, a DECO denunciou o caso à ASAE e à Direção-Geral do Consumidor, solicitando-lhes mais fiscalização e a respetiva sanção das infrações. Junto do Ministério da Economia reforçou a necessidade da divulgação do preço mínimo praticado nos 30 dias anteriores ao desconto ou promoção anunciado e, nas lojas online, a apresentação gráfica da variação dos preços praticados, ao menos, nos últimos 30 dias.

Enquanto não são implementadas estas ou outras medidas que evitem estas práticas por parte das empresas, e para garantir que os consumidores fazem bons negócios, a DECO aconselha a que, antes da compra de um produto que implique um investimento mais avultado, se proceda a uma consulta ampla de preços, recorrendo à ferramenta de comparação e evolução de preços disponível no seu site.

A ferramenta Comparar Preços ajuda a perceber se os descontos anunciados em épocas como a Black Friday ou a Cyber Monday são boas oportunidades de compra. Esta ferramenta de pesquisa regista a evolução dos preços dos produtos nas lojas online ao longo dos últimos dias, para aconselhar ou não a sua compra.

Basta pesquisar o nome da loja e do produto, ou, mais simples ainda, inserir na caixa “Pesquisa pelo URL” o link completo do produto tal como surge na loja online. O resultado devolvido é um semáforo com três cores e significados diferentes, baseados no histórico de preços dos últimos 7 e 30 dias:

  • verde, caso se trate de um bom negócio face ao histórico de preços do produto na loja pesquisada;
  • amarelo, para produtos cujos preços atuais exibam pouca diferença em relação aos 30 dias precedentes;
  • vermelho, quando a compra é desaconselhada porque o preço do produto já esteve mais baixo.

O veredicto surge acompanhado por informação sobre a evolução dos preços registada nos últimos 7 dias, 1 mês e 3 meses.

A título de exemplo a DECO pesquisou um modelo específico de portátil da Lenovo, o Ideapad 330 15” 855 6676458. Viu-o à venda na Worten, mas não sabe se se trata de um bom preço. Hoje, o produto custa € 849,99 e a Worten alega uma redução de preço, pois o portátil chegava aos € 999,99, no passado dia 1 de outubro. Mas se colar o link do produto na caixa de pesquisa do nosso Comparar Preços verifica que no dia 29 de outubro este mesmo produto esteve a € 724,99, o que é menos € 125 do que o preço atual. Por isso, a ferramenta alerta-o com um semáforo vermelho.

Antes de avançar para a compra, é aconselhável pesquisar sobre os produtos e confrontar os preços de várias lojas.

Para esclarecimento de dúvidas sobre saldos e promoções, os consumidores podem contactar a DECO através do 218410858, e em caso de conflito utilizar a plataforma online para reclamações desta Associação.

 

Fonte: DECO

 

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver. 

A Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. 

No entanto, a Vila Nova tem custos. Gostaríamos de poder vir a admitir pelo menos um jornalista a tempo inteiro que dinamizasse a área de reportagem e necessitamos manter e adquirir equipamento. Para além disso, há ainda uma série de outros custos associados à manutenção da Vila Nova na rede. 

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de multibanco ou netbanking.

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

 

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.