Nanotecnologia | CeNTI catapulta indústria do Norte para a vanguarda da inovação

Nanotecnologia | CeNTI catapulta indústria do Norte para a vanguarda da inovação

 

 

Soluções têxteis capazes de promover efeitos de luz através da integração de LED, rodapés que detetam inundações ou fios de pesca industrial com filamentos luminosos. Embora possam parecer ideias de um futuro distante, na realidade são apenas alguns dos inovadores produtos que incorporam nanotecnologia, produzidos por empresas do Norte de Portugal e que os investigadores do CeNTI –  Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes, têm ajudado a desenvolver.

 

 

São inúmeros os exemplos de sucesso da integração de nanotecnologia portuguesa. É o caso do desenvolvimento de novas funcionalidades, testes de conforto e de utilização para a TMG Automotive, dos sistemas protótipo tecnológicos que conferem propriedades inteligentes e interativas aos laminados da Surforma, ex-Sonae Indústria de Revestimento (SIR), ou o desenvolvimento de peças interativas para o interior automotivo por parte da Simoldes Plásticos.

A colaboração do CeNTI com o tecido empresarial levou também à criação de um sistema único, 100% amigo do ambiente, que substitui os sistemas atuais de iluminação na atividade pecuária por filamentos luminosos, utilizados atualmente em fios de pesca, sem a necessidade de uma fonte de energia adicional, propriedade da empresa Cadilhe & Santos. E ainda o exemplo de cortinas com iluminação LED incorporada, patente registada da Têxteis Penedo, que se estima gerar mais de um milhão de euros de faturação anual a curto prazo.

Esta utilização de matérias-primas com aditivos e novas aplicações, bem como a reformulação de produtos já existentes, permite não só abrir portas a uma série de novos mercados, mas reaproveitar de forma mais eficiente as tecnologias existentes e desenvolver novas soluções sem obrigar a alterações de larga escala nos tradicionais processos de fabrico.

 

Responder a necessidades do mercado e criar soluções únicas

Seja através da transferência direta de conhecimento dentro do mesmo setor – a Simoldes Plásticos SA procura aplicar as tecnologias interativas noutros componentes automóveis, nomeadamente em painéis interiores e de instrumentos, e existem variadíssimos outros usos dentro do têxtil lar para a tecnologia de iluminação da Têxteis Penedo – ou a comunhão tecnológica com outras indústrias – os filamentos luminosos da Cadilhe & Santos encontram-se em testes no setor agrícola. Os protótipos da Surforma deram origem, também, a um berço biométrico e a mesas interativas – os objetivos passam por aplicar a prática do conceito de economia circular, alargar a cadeia de valor de produto, criar sinergias entre indústrias e reforçar o seu posicionamento no mercado.

Ao longo de 12 anos, o CeNTI tem vindo a desenvolver projetos de nanotecnologia e a transferir para a indústria os resultados da investigação, dando resposta a necessidades vigentes no mercado, dotando as empresas com soluções inovadoras o que, por consequência, aumenta a qualidade de vida das populações. Além disso, ao longo dos últimos anos, tem sido implementado, através do projeto Nanotech@NortePT, um trabalho de formação e consciencialização, relevando a importância da aposta na nanotecnologia para a indústria portuguesa, tornando assim mais fácil o acesso a mercados globais e criando um polo de atração em setores, tradicionalmente, conservadores.

O CeNTI – Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes

Intimamente ligado ao tecido empresarial e à indústria, o CeNTI foi fundado em 2006, contando atualmente com cerca de 80 colaboradores e está vocacionado para o desenvolvimento de novos produtos e soluções, tendo por base a nanotecnologia, além de materiais funcionais e inteligentes.

Resulta de uma parceira entre três universidades – Aveiro, Minho e Porto – e três entidades tecnológicas, o CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, o CTIC – Centro Tecnológico das Indústrias do Couro e o CEIIA – Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel.

Neste percurso de 12 anos de atividade, o CeNTI já colaborou ativamente em mais de 170 projetos com a indústria, 20 projetos europeus, 111 projetos financiados a nível Nacional, 30 projetos diretos e 9 projetos em investigação fundamental, apoiados pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

Atualmente, encontram-se em desenvolvimento em 40 projetos no âmbito do PT2020, 12 projetos H2020 e 50 projetos diretos com clientes, nas mais diversas áreas de aplicação.

A visão de mercado e de transferência de tecnologia, valeram ao CeNTI cerca de 57 pedidos ativos de patente como requerente e/ou inventor.

 

Fonte: CeNTI

Imagens: (0, 1) CeNTI

 

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos. Gostaríamos de poder vir a admitir pelo menos um jornalista a tempo inteiro que dinamizasse a área de reportagem e necessitamos manter e adquirir equipamento. Para além disso, há ainda uma série de outros custos associados à manutenção da Vila Nova na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de multibanco ou netbankimg.

 

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

 

Pub

Categorias: Ciência, Economia

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.