20/9 Casa das Artes, Vila Nova de Famalicão

Cineclube de Joane | 20º aniversário. Filipe Raposo apresenta filme-concerto original para ‘O Vento’, de Sjoström

Cineclube de Joane | 20º aniversário. Filipe Raposo apresenta filme-concerto original para ‘O Vento’, de Sjoström

Pub

 

 

O Vento‘ é considerado por muitos a obra-prima absoluta de Victor Sjöström. Neste filme, este grande mestre da paisagem no cinema troca as gélidas paisagens  dos seus filmes suecos pela aridez de um deserto americano. ‘O Vento‘ trata-se de um filme mudo que nos faz “ouvir” o assobio ameaçador do vento, que sopra com violência em volta de uma casa no deserto, onde uma mulher tem de lutar também contra a paixão desenfreada de um homem.Victor Sjöström constrói, neste filme, uma atmosfera de pesadelo com base apenas na sugestão, o que é um dos pontos altos do cinema mudo, neste caso reforçado pela presença inesquecível de Lillian Gish.

Filipe Raposo é pianista residente da Cinemateca Portuguesa desde 2004, tendo editado recentemente o DVD “Lisboa Crónica Anedótica” com música composta para o filme de Leitão de Barros. Enquanto compositor, arranjador e pianista, trabalha, desde 2001, com muitos dos principais nomes da música portuguesa: Sérgio Godinho, José Mário Branco, Fausto, Vitorino, Janita Salomé, Amélia Muge, Camané, Carminho, Maria João. Como pianista tem-se apresentado em vários festivais de jazz europeus, tendo até agora editado três discos em nome próprio: First Falls (2012), A Hundred Silent Ways (2013), Inquiétude (2015). O objetivo de desenvolver a sua própria linguagem, em que música clássica, folk e jazz se entrecruzam, leva-o a procurar constantemente novos desafios como compositor e músico.

Ficha técnica

Título original: The Wind (EUA, 1928, 75 min.)
Realização: Victor Sjöström
Interpretação: Lillian Gish, Lars Hanson, Montagu Love, Dorothy Cumming
Argumento: Frances Marion a partir de The Wind de Dorothy Scarborough
Produção: André Paulvé
Fotografia: John Arnold
Montagem: Conrad A. Nervig
Classificação: M/12

 

20º aniversário do Cineclube de Joane

No próximo dia 20 de setembro, já depois de amanhã, o Cineclube de Joane comemora 20 anos de vida, período de tempo assinalável e que terá acontecido talvez de forma inesperada para os seus mentores, nomeadamente Vitor Ribeiro. A promoção do cinema, a vontade de dar a conhecer todos os espectros, geográficos e estilísticos, possibilitar o conhecimento da história do Cinema foi aquilo que moveu os seus fundadores. Quem se lembraria afinal de fundar um cineclube numa vila de um concelho, que embora fosse populoso, não tinha um público cinéfilo?

O Cineclube de Joane nasceu em Setembro de 1998 na vila de Joane, concelho de V. N. de Famalicão, tendo a sua data de fundação oficial a 20 de setembro.

Por esta altura, o concelho de Vila Nova de Famalicão dispunha de apenas duas salas de cinema, uma delas situada no centro da cidade de Famalicão, explorada pela Lusomundo, e a outra no Centro Cultural de Joane, sendo que esta apenas realizava sessões aos fins-de-semana. O auditório do Centro Cultural de Joane, com cerca de 200 lugares, oferecia, então, as condições técnicas e logísticas para a realização de sessões cineclubistas.

O projeto Cineclube de Joane surgiu, apesar de tudo, com alguma sustentação. Apesar de, no seu início, não contar com nenhum apoio institucional, o concelho de Vila Nova de Famalicão possuía cerca de 150 mil habitantes e a vila de Joane encontra-se situada, em termos geográficos, num ponto nuclear do Minho, a cerca de 10 km de Famalicão, 15 km de Guimarães, 20 km de Braga e a 30 km do Porto, o que fez com que as sessões tivessem, desde o início, público das mais variadas proveniências.

Ao longo destes anos, o Cineclube de Joane tem desenvolvido um trabalho constante de formação de públicos, apresentando sobretudo ao público famalicense uma panóplia de filmes que, de outra forma, dificilmente poderiam ser vistos pelos cinéfilos da região. Para além disso, têm sido regulares os encontros com realizadores, atores e outros pensadores sobre o cinema, o que ajuda a manter o interesse sobre a exemplar atividade desta associação.

Hoje em dia, 20 anos volvidos sobre o seu início, são muitos os que consideram o Cineclube de Joane como sendo o ‘Cineclube de Famalicão‘, uma vez que as suas sessões são quase todas apresentadas nesta cidade, isto embora o Cineclube desenvolva atividade por todo o concelho, nomeadamente com as suas sessões Cinema Paraíso; mas não só.

Parabéns pelo trabalho desenvolvido e  muitos anos de vida!

 

Fonte: Cineclube de Joane

 

 

Pub

Categorias: Cultura, LifeStyle, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.