16/9 Braga

Animais Domésticos | Satisfeito com resultados obtidos na cidade, Braga para Todos promove debates sobre nova lei

Animais Domésticos | Satisfeito com resultados obtidos na cidade, Braga para Todos promove debates sobre nova lei

 

 

O Braga para Todos, em parceria com a associação de proteção de animais Abandoned Pets, promove, no próximo dia 16, uma tarde dedicada à nova lei dos animais com 4 debates relacionados com o assunto. A iniciativa visa a entrada  em vigor da lei 27/2016, a 23 de setembro, e decorrerá entre as 15h00 e as 18h00, no auditório da Junta de Freguesia de S. Victor. Este encontro é aberto à comunidade e serve para esclarecer e ajudar os bracarenses a perceber como a lei está a ser implementada em Braga.

 

Em Braga, a nova lei dos animais servirá de mote para 4 debates, que acontecerão a escassos dias da entrada em vigor da lei 27/2016 que proibe o abate de animais de rua por motivos de sobrelotação,  obriga a  entregar os animais para adoção esterilizados e obrigao ao controle das colónias de gatos através da CED (Captura-Esterilização-Devolução), tema próximo deste movimento político que desde há um ano tem vindo a trabalhar a temática junto da população e em reuniões com o executivo municipal.

Elda Fernandes, porta-voz do Braga para Todos, refere que este debate encerrará um ciclo: “O nosso movimento será sempre próximo destas políticas. Defendemos o ecocentrismo, a ação pelo todo, pelo planeta, e não pela parte, em que os humanos são o seu centro. A nossa visão holística da ação política faz com que os animais e a natureza sejam sempre integrantes da nossa agenda, bem como motivo de palestras para sensibilizar e informar, a par de alertar o executivo para erros que acontecem no terreno, e realizar propostas construtivas para melhoria. No caso das políticas públicas de proteção animal conseguimos algumas vitórias e esperamos que os compromissos assumidos pelo pelouro do ambiente também ganhem forma, para assim darmos por encerrado um capítulo de luta que nos enriqueceu como ativistas e, temos a certeza, que aproximou pessoas ao tema.”

Elda Fernandes declara também que o movimento, constituído e integrado também por ativistas da causa animal, está bastante preocupado com o futuro da lei a nível nacional. Admite não entenderem porque, na cidade, a luta aparenta ser apenas do Braga para Todos, numa altura em que a lei está do lado de quem pretende construir uma sociedade mais justa e que dignifique todos os seres vivos ao seu direito mais básico, a vida: “Infelizmente, há um ano que andamos nesta luta. A oposição, em Braga – referindo-se aos partidos que se encontram na vereação e na Assembleia Municipal -, não se tem pronunciado sobre o assunto. Não disseram nada, não se preocuparam e até ignoraram a  petição já analisada na Assembleia da República.” Afirma a ativista, em tom que se percebe agastado com a oposição camarária, mas de satisfação com a ação do movimento e o Executivo Municipal pelos resultados atingidos, que “em Braga, a evolução fez-se sentir unicamente porque Ricardo Rio ouviu os nossos apelos  no que às políticas públicas de proteção animal se refere. Assim, o Braga para Todos admite que a autarquia bracarense realizou “esforços e investimento superiores ao previsto. Braga deixou de abater animais por motivos de sobrelotação antes ainda da lei entrar em vigor, os animais saem agora esterilizados do CRO com despesas suportadas pela AGERE, face ao surto de esgana que abalou o CRO os animais serão vacinados também contra [doenças] infetocontagiosas que a  lei erradamente não contempla”. E Elda Fernandes conclui: “Para completar, Braga tem hoje uma ambulância de socorro a animais acidentados – outro pedido que fizemos, e aconteceu. Lamentamos o silêncio da oposição para melhorar outros aspetos”.

No entanto, Elda Fernandes, do Braga para Todos, refere algumas lacunas na atuação do edil. “Falta ainda implementar o CED (Captura – Esterilização – Devolução) destinado às colónias de gatos para a lei passar a ser cumprida. Esta é uma falha grave – a da demora da implementação do CED que, acreditamos, iniciará em breve”. Em relação à implementação deste sistema estará presente no debate a  associação Abandoned Pets que vai realizar o  processo em sinergia com a Câmara de Braga. A Casa dos Gatos, prometida há um ano pelo pelouro do ambiente é outra falha, mas como houve uma de palavra compromisso acreditamos  que irá acontecer também.”

Nos debates, para além do CED desenvolvido pela direção da Abandoned Pets, que será apresentado por Eduarda Palmeira, e do projeto “Casa dos Gatos” dinamizado pelo movimento Braga para Todos, que criou um projeto entregue ao pelouro do Ambiente com base no trabalho pioneiro realizado pela associação Movido a 4 Patas, de Sintra, apresentado por Elda Fernnades, e serão também analisados dois pedidos que o movimento pretende apresentar à Câmara Municipal de Braga: de um lado, o cão comunitário, por Liliana Barros, e, de outro, a permissão do edil para pessoas previamente identificadas pela veterinária municipal terem autorização para, sob determinados moldes, alimentar animais de rua com o objetivo de criar uma rede de cuidadores em que cada um faz a sua parte visando diminuir o número de animais na rua através do controle dos nascimentos, responsabilidade da autarquia,  e dar uma vida mais feliz e digna aos animais.

Os debates, como é hábito, têm entrada livre, com espaço para questões e convívio no final com lanche vegan.

 

Fonte: Braga para Todos

Imagem de destaque: Cão preto (Rodrigo Zadro; fotografia)

 

Pub

Categorias: Política, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.