3 a 6/8 Guimarães

Festas Populares | Gualterianas levam programa recheado à cidade que viu nascer Portugal

Festas Populares | Gualterianas levam programa recheado à cidade que viu nascer Portugal

 

 

As Festas das Gualterianas, dedicadas a S. Gualter, o enviado de Francisco de Assis a Portugal e que tem um histórico de milagres que lhe são associados – afirmam-se como as festas do concelho de Guimarães. O programa deste ano estende-se ao longo do primeiro fim-de-semana de agosto, entre os dias 3 e 6 de agosto.

 

Do programa, há lugar de destaque para o cortejo gualteriano que se realiza no último dia, 6 de agosto, segunda-feira. Pela primeira vez, a Marcha Gualteriana terá início às 22h00, uma hora mais cedo que o habitual. Esta alteração vai ao encontro de senso comum, no sentido de ajustar o horário às famílias para para que todos possam assistir a esta marcha enraizada nas tradições vimaranenses.

O desfile da Marcha Gualteriana conta com 9 carros de diferentes temáticas: Cidade de Guimarães, República Checa, Brave, 115 anos da Sociedade Musical de Guimarães, Universidade do Minho, Havai, Música no Coração, Arte Barroca e o mítico Balonas. Entre os carros alegóricos haverá 13 números de animação a cargo de diversas associações vimaranenses.

“Queremos que as Gualterianas sejam as Festas do Concelho. É uma festa do povo, temos de manter as raízes e tradição, mas também introduzir elementos contemporâneos e inovadores”, realçou o presidente da Câmara Municipal de Guimarães na conferência que decorreu na Associação Artística da Marcha Gualteriana. “Esta inovação deve acontecer através da envolvência das entidades ou associações culturais, sendo uma oportunidade para aumentar a participação dos números vivos nesta marcha”, vincou.

Domingos Bragança mencionou, ainda, a intenção de “preencher” o espaço físico por onde se estende a programação das Festas Gualterianas, desde a Plataforma das Artes, passando pela Igreja de S. Francisco, Igreja de S. Gualter até à zona do teleférico.

A apresentação do programa das Festas da Cidade e Gualterianas, além do presidente da Câmara Municipal, contou com as presenças da vereadora da Cultura, Adelina Pinto, do Presidente da Associação Artística da Marcha Gualteriana, José Fontes e ainda Adriana Tavares em representação da Associação Comercial e Industrial de Guimarães (ACIG).

O programa deste ano está recheado, com várias iniciativas a decorrer entre os dias 3 e 6 de agosto, acompanhado por atividades paralelas, como a exposição “Da Muralha”, no GuimarãesShopping e ainda Visitas Orientadas à Casa da Memória e Convento de S. Francisco.

Na Praça da Plataforma das Artes está agendado o Concerto dos Blind Zero, na sexta-feira, 3 de agosto, às 22h30. No sábado, 4 de agosto, é o cantor Agir a subir ao palco e no domingo, 5 de agosto, Carlos Ribeiro convida José Figueiras (22h00).

vn online | Gualterianas saem à rua de 3 a 6 de agosto

 

As Festas Gualterianas realizam-se em Guimarães desde 1906. No primeiro fim-de-semana de agosto, milhares de vimaranenses e visitantes marcam encontro na cidade onde nasceu Portugal para participarem nos diferentes números apresentados nas Festas: Cortejo do Linho, Batalha das Flores, Marcha Gualteriana, entre outros.

O desfile de carros alegóricos, ponto sempre alto das Festas da Cidade, começou nesse mesmo ano de 1906. No ano seguinte, a Marcha voltou a sair à rua, sob a denominação de “Milaneza”, promovida por comerciantes em homenagem à Associação Comercial e Industrial de Guimarães, inspirada por Padre Gaspar Roriz, fervoroso entusiasta das Festas Gualterianas, que organizou a iniciativa em parceria com José Pina.

Com um espírito bairrista e apelando sempre ao empenho e dedicação dos vimaranenses, e com algumas interrupções pelo meio, a Marcha só adotaria o nome de Gualterianas em 1932.

Na década de 60, foi adquirido um imóvel onde ainda hoje está situada a sede dos obreiros da Casa da Marcha, atualmente designada de Associação Artística da Marcha Gualteriana.

Nos anos 70, uma edição da Marcha desfilou no então Estádio Municipal numa solução alternativa para evitar nova ausência no cartaz das Festas. Contudo, na década 80, voltou a não sair à rua.

Com maiores ou menores dificuldades, a Marcha chegou aos nossos dias com uma marca de qualidade que há muito ultrapassou fronteiras. Ao longo dos anos, com muito entusiasmo e a força de vontade que caracterizam os vimaranenses, a Marcha Gualteriana constitui a “jóia” da coroa das Festas da Cidade de Guimarães.

 

 

 

Fonte: Município de Guimarães

 

Pub

Categorias: Cultura, LifeStyle

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.