14/2 a 13/4 | Semana Santa. Tradições religiosa e cultural cada vez mais interligadas

14/2 a 13/4 | Semana Santa. Tradições religiosa e cultural cada vez mais interligadas

A Páscoa é, depois do Natal, a mais importante celebração das Igrejas cristãs. Apesar da diminuição de algumas tradições entre famílias, como a receção do Jesus Ressuscitado na sua casa levado pelos compassos, sinal dos tempos, esta é uma festa religiosa que une os cristãos em todo o mundo.

.

.

Embora a Páscoa seja, de facto, apenas um dia, as celebrações que lhe estão afetas desenvolvem-se ao longo de 40 dias, naquilo a que se chama a Quaresma. Neste período, destaca-se uma semana em particular, a Semana Santa.

Nomeadamente no mundo católico, a homenagem à ressurreição de Jesus Cristo, e as celebrações associadas – a Paixão e a Morte – movimentam milhões de fiéis. Em determinados regiões, como é o caso de Sevilha, em Espanha, ou de Braga, aqui mesmo ao lado de Famalicão, as cerimónias que lhes estão associadas atraem visitantes de todo o mundo.

Semana Santa, em Braga, é considerada a principal atração turística da cidade. Nessa semana realizam-se todo um conjunto de manifestações culturais e religiosas como exposições, concertos, procissões e outras. Durante toda essa semana os altares das Igrejas, cada um invocando uma cena da Paixão de Cristo, encontram-se decorados com flores e velas.

De todas as que se realizam em Portugal, a Semana Santa de Braga é a mais imponente e a mais divulgada, atraindo muitos turistas à cidade. Os visitantes procuram essencialmente as grandes procissões noturnas, que se caracterizam pelas centenas de figurantes. Nela se conjugam harmoniosamente elementos da liturgia e da religiosidade popular, bem como antigas tradições e inovação. Desde 2011, a cidade está oficialmente “Declarada de Interesse para o Turismo.”

De acordo com o calendário cristão, a Páscoa consiste no encerramento da chamada Semana Santa. As comemorações referentes à Páscoa começam na “Sexta Feira Santa”, onde é celebrada a crucificação de Jesus, terminando no “Domingo de Páscoa”, que celebra a sua ressurreição e o primeiro aparecimento aos seus discípulos.

A Semana Santa é a última semana da Quaresma, período em que os fiéis cristãos devem permanecer por 40 dias em constante jejum e penitências.

O dia da Páscoa foi estabelecido por decreto do Primeiro Concílio de Niceia (ano de 325 d.C), devendo ser celebrado sempre ao domingo após a primeira lua cheia do equinócio da primavera (no Hemisfério Norte) e outono (no Hemisfério Sul).

A Páscoa é classificada como uma festa móvel, assim como todas as demais festividades que estão relacionadas a esta data, como o Carnaval, por exemplo.

A comemoração da Páscoa, no entanto, costuma ser entre os dias 22 de março a 25 de abril.

A Páscoa é comemorada em vários países, principalmente aqueles com fortes influências do cristianismo. Os espanhóis chamam a data de Pascua, os italianos de Pasqua e os franceses de Pâques.

Etimologicamente, o termo Páscoa se originou a partir do latim Pascha, que por sua vez, deriva do hebraico Pessach / Pesach, que significa “a passagem”.

A Semana Santa é a tradição religiosa católica que celebra a Paixão, a Morte e a Ressurreição de Jesus Cristo. A Semana Santa inicia-se no Domingo de Ramos, que relembra a entrada de Jesus em Jerusalém e termina com a ressurreição de Jesus, que ocorre no Domingo de Páscoa.

 

Vila Nova Online | Quaresma, Semana Santa e Páscoa..

Semana Santa em Vila Nova de Famalicão

Esta tradição é celebrada em todo o mundo católico, sendo uma daquelas que mantém forte expressão popular, mesmo nas pequenas localidades. Vila Nova de Famalicão, como não podia deixar de ser, de forma fervorosa, também vive a sua Semana Santa.

Para 2018, a respetiva Comissão organizadora, a Confraria das Santas Chagas da Paróquia de Santo Adrião, preparou todo um conjunto de atividades, conforme se está a tornar hábito em muitas localidades, umas mais outras menos religiosas, embora todas elas, como não podia deixar de ser, se relacionem com o espírito da época.

As atividades religiosas tradiconais deste período de Quaresma iniciaram-se em 14 de fevereiro passado, com a bênção e imposição das cinzas.

No próximo dia 23 de março, realiza-se a procissão da Via Sacra, descreve-se o percurso de Cristo, desde a sua condenação à morte até à crucifixação. Nesta procissão participarão os diversos movimentos paroquiais, o Coro de Santa Cecília e os Bombeiros Famalicenses. No que se refere ao percurso, a Via Sacra sai da igreja Matriz Nova, na Rua Manuel Pinto de Sousa, passa pelas ruas Adriano Pinto Bastos, Praça D. Maria I, de Santo António e desagua na Praça 9 de Abril, na igreja Matriz Velha.

Alguns dias depois, a 29, chega a Quinta-Feira Santa. Nesse dia ocorrem a Missa da Ceia do Senhor, que inclui a cerimónia de Lava-pés e a procissão do Senhor Ecce Homo. Esta procissão teve origem num cortejo de penitentes que habitualmente se realizava tendo em vista uma reconciliação pública. Desta vez, a saída da Procissão será realizada a partir da Matriz Velha. Esta procissão contará com a presença das mais altas individualidades religiosas, nomeadamente do Arcebispo D. Jorge Ortiga, e civis, como os dignitários da autarquia e das associações locais mais representativas. Participarão ainda o Orfeão Famalicense, a Junta de Núcleo do CNE Vila Nova de Famalicão, as Guias de Portugal, as Confrarias de Oliveira S. Mateus, Carreira, Landim, Ruivães, Santa Casa da Misericórdia e Santas Chagas de Stº. Adrião, para além de outros. Partindo da Matriz Velha, a procissão seguirá pela rua de Santo António, prosseguindo depois pela Praça d. Maria II e ruas Álvaro Roçadas, S. João de Deus, Adriano Pinto, de Santo António por aí regressando à Praça 9 de Abril e à igreja Matriz Velha.

No dia seguinte, 30 de março, haverá a procissão do Enterro do Senhor. Pela manhã, na Matriz Velha, haverá a Oração de Laudes, ou Liturgia das Horas. Desta feita, a mais alta individualidade da Igreja Católica presente será o Bispo Auxiliar, Dom Nuno Almeida, estando também previstas as presenças das individualidades locais e a participação da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários Famalicenses e das outras entidades já anteriormente referidas e participantes na procissão Ecce Homo.

O mês encerra com a Vigília Pascal, a 31, na igreja Matriz Nova.

No dia seguinte, 1 de abril, é dia de Páscoa. O dia iniciar-se-á com a Eucaristia, a realizar, na Matriz Velha, a que se seguirá a tradicional visita às casas dos paroquianos a realizar pelos diversos compassos pascais em toda a cidade. Pelas 12h30, haverá ainda uma Missa Solene do Domingo de Páscoa da Ressureição.

A última cerimónia religiosa da época acontecerá a 13 de abril. Trata-se da Via Lucci, em que diversos movimentos paroquiais e os cidadãos que se lhes queiram juntar realizarão um percurso, pelo centro da cidade, saindo da Matriz Nova em direção à Matriz velha,  em que a meditação e a oração se farão sentir.

Em complemento às atividades reiligiosas, a Confraria das Santas Chagas preparou diversas atividades de cariz cultural que, conforme se vem tornando hábito por todo o lado, mesmo em Braga, capital turística e religiosa destas cerimónias, se têm vindo a impor e a revelar cada vez mais importantes na forma como este período se assinala e vive.

Assim, entre outras, destacamos uma Ceia-conferência, realizada já no passado dia 10 de março, no Centro Paroquial intitulada “Ao sabor da Bíblia”, dirigida pelo mediático Chefe Luís Lavrador, Cozinheiro Chefe da principal Selecção Nacional de Futebol, que teve em conta a matriz cultural e religiosa da época.

Entretanto, ainda para acontecer, teremos no próximo dia 24 um Concerto a não perder. Na igreja Matriz Velha, com o apoio da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, sob a direção de Alberto Carrilho, poderemos ouvir o agrupamento La Paix du Parnasse, com destaque para as solistas Carla Caramujo (soprano) e Carla Moreso (mezzo soprano), a tocar peças clássicas de Vivaldi e Pergolesi. Serão três obras emblemáticas que despertam o sentimento de sublimação da dor através do belo e da espiritualidade que só a música consegue transmitir, das quais salientamos, em especial, as duas peças deste último compositor, Salve Regina e Stabat Mater. Assim, no pungente Salve Regina roga-se à Virgem Maria pedindo misericórdia, chamando Jesus, seu filho. Por seu lado, no comovente Stabat Mater, num crescendo de sofrimento sublimado na fé, narra-se a angústia de Maria aos pés de Cristo crucificado. Repleto de dissonâncias que descrevem o sofrimento de Jesus, o dramatismo da obra acentua, sobretudo, a dor de Maria, mãe perante o tormento de Seu Filho, restando-lhe apenas a esperança d’ Este encontrar a Paz junto a Seu Pai.

Por último, integrado no programa desta época pascal de Famalicão, haverá ainda lugar para um curto ciclo de cinema que já se tornou habitual: Sementes de Esperança. Em 2018, os filmes serão projetados nos dias 26, 27 e 28, no Pequeno Auditório da Casa das Artes. Os filmes a apresentar, segundo refere o programa, possuem em comum “”um outro olhar sobre o mundo e a vida com esperança.” Aí de acrescenta, citando Pablo Neruda, que a esperança “é o novo dia, a extirpação da imobilidade, a
sacudidela duma prostração negativa.” Os filmes a apresentar, todos eles altamente recomendáveis, serão Le Havre, de Aki Kaurismaki, Fátima, de João Canijo, com quem contamos apresentar uma entrevista, e Minha Alma Por Ti Liberta, de François Dupeyron.

.

.

Quaresma, Semana Santa e Páscoa – Programa Completo 2018

 

.

Imagem de destaque: Capa do programa da Semana Santa 2018 (adaptação – detalhe)

.

Outras imagens:

Igreja Matriz Velha (desenho de autor não identificado; Eu sou Matriz)

La Paix du Parnasse (flyer; Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão)

Minha Alma Por Ti Liberta, de François Dupeyron (capa; Público)

 

Pub

Categorias: Agenda

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Pedro Costa

Diretor e editor.

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos de preenchimento obrigatório*