Sonhar a liberdade | Projeto de vida e empreendedorismo

Sonhar a liberdade | Projeto de vida e empreendedorismo

Vivemos numa época em que é dada uma grande importância aos projetos de desenvolvimento pessoal revestidos da forma de autoemprego. Inúmeras instituições públicas e privadas promovem o espírito empreendedor, instigando nas pessoas, com especial preponderância nas camadas mais jovens da sociedade, a reflexão sobre as vantagens da iniciativa empresarial.

As estatísticas relativas à criação de empresas demonstram que as pessoas têm vindo a aderir com cada vez maior ensejo, ao sonho de criarem o seu próprio emprego, de criarem um negócio, de obterem mais rendimento, ao sonho da liberdade prometida por uma ideia de autonomia de gestão do seu tempo de vida e do seu quotidiano. De facto, de entre todas as pessoas que sonham, são cada vez mais, aquelas que avançam.

Mas, nem sempre o sonho está bem definido. Nem sempre o sonho do empreendedor é ser dono de um negócio. Nem sempre, ou quase nunca, o seu sonho é a liberdade de usufruir do seu tempo como deseja. Nem sempre, ou quase nunca, o seu sonho é a obtenção de independência financeira à custa do negócio que criou.

Uma parte dos empreendedores apenas sonha ganhar mais dinheiro do que ganhava enquanto trabalhadores por conta de outrem. Outros apenas querem ser “chefes” em vez de continuarem a ser “chefiados”. A outros ainda, foi-lhes dito, e eles acreditaram, que era mais meritório arriscar e investir o seu tempo e dinheiro, do que ficarem agarrados ao emprego, às tarefas que muito bem desempenhavam, nas quais eram mestres e até mesmo excelentes formadores.

De qualquer modo, há que ter consciência que o mais certo na vida de um empreendedor, é o risco da perda: da perda de capital, de tempo de vida, de alento, e até mesmo da perda de autoestima. Por isso convenhamos, só vale a pena empreender, se o sonho for “grande”, se o sonho for maior do que ambição por um mero ganho financeiro.

Empreendedores, se sentem no vosso interior aquele motor, aquela energia infindável, aquele desassossego, sonhem mais, sonhem grande, sonhem a liberdade. Não se fiquem pela gestão do negócio que empreenderam. Não se agarrem à gestão do quotidiano, à gestão dos recursos que conjugaram, com o propósito de maximizarem o lucro do negócio que criaram. Assumam o desejo de gerir a vossa vida, o vosso tempo de vida, para que um dia, deixem de servir o negócio que empreenderam, e seja ele que vos sirva.

O risco só vale a pena se a liberdade for o sonho. A oportunidade que um negócio vos oferece para disporem livremente do vosso tempo de vida, da vossa vida, é mais valiosa que a obtenção de mais lucro, do máximo lucro. É mais valiosa que o poder de gerir o negócio e muito, mas muito mais valiosa, do que o micro gerir. É um projeto de vida. Empreendedores, deleguem o quotidiano, deleguem a gestão. Sejam livres.

.

 

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Miguel Matos

Miguel Matos nasceu em Lousado, Vila Nova de Famalicão e reside em Vila Nova de Famalicão. Licenciado em Economia pela Faculdade de Economia do Porto. Pós-Graduação: MBA Executivo pela Porto Business School. Consultor de gestão e desenvolvimento de negócios, especialista em planeamento estratégico e avaliação económica e financeira de projetos de investimento. Fundador e CEO da APAMM Consultores de Gestão, empresa onde desde 1997 aplica o seu método de transformação de Empreendedores em Donos de Um Negócio. Autor do livro Seja Livre, Sendo Dono De Um Negócio (2017). Foi Presidente da Direção do Clube de Ténis Clube de Famalicão entre 2008 e 2016.

Comentários

  1. Anónimo
    Anónimo 10 Março, 2018, 17:40

    Já dizia, e bem, António Gedeão, que “o sonho comanda a vida”. Muito interessante reflexão sobre o tema.
    J. A. Salgado

  2. Anónimo
    Anónimo 22 Fevereiro, 2018, 23:34

    Tu conseguiste alcançar esse sonho que propões dar a conhecer aos outros!!! Parabéns pelo teu exemplo de vida!!
    Maria José Queirós Carneiro.

Apenas utilizadores registados podem comentar.