20 a 24/2 | Correntes d’ Escritas. Maré de autores e leitores atinge a Póvoa de Varzim

20  a 24/2 | Correntes d’ Escritas. Maré de autores e leitores atinge a Póvoa de Varzim

Pub

Na Póvoa de Varzim, o Correntes d’Escritas está de regresso. A 19ª edição do sempre ansiado Festival de Escrita de Expressão Ibérica decorre  entre 20 e 24 de fevereiro próximos. 

.

.

Este festival literário, organizado e promovido pelo Município poveiro, está de olhos no futuro. A autarquia pretende candidatar a cidade à categoria de Cidade Literária da UNESCO; e pretende fazê-lo desde já de modo a que na 20º edição do certame, a decorrer em 2019, aconteça já sob esse signo.

A pretensão a este galardão foi anunciada pela organização através de Luís Diamantino, Vice-Presidente e Vereador da Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, na Conferência de Apresentação do evento.

À semelhança do que tem vindo a acontecer ao longo dos anos, são esperados milhares de visitantes nesta 19ª edição do Correntes d’Escritas. Muitos leitores deslocam-se de “todas as regiões do país”, revelou Luís Diamantino. “Em 2017, passaram pelo encontro cerca de 50 mil pessoas.”

Relativamente à edição de 2018, Luís Diamantino, revelou que vai, desta feita, trazer à Póvoa de Varzim, “mais de 80 escritores” de diferentes nacionalidades e geografias das línguas hispânica e portuguesa. Entre eles está o brasileiro Luís Fernando Veríssimo, o caboverdiano Arménio Vieira, os espanhóis António Muñoz Molina e Elvira Lindo, bem como os portugueses Afonso Cruz, Ana Luísa Amaral, Fernando Pinto do Amaral, Francisco José Viegas, Henrique Cayatte, Inês Pedrosa, João Paulo Cotrim, João Tordo, José Carlos Vasconcelos, Onésimo Teotónio de Almeida, Mário Zambujal e Rui Zink.

Serão ainda lançados a público 14 novos títulos literários. Será ainda anunciado o vencedor do Prémio Casino da Póvoa 2018, no valor de 20 mil euros, a um dos 13 autores que foram propostos para receberem o prémio.

Segundo revelou, será também lançada a “17ª Revista Correntes d’Escritas, dedicada a Luis Fernando Veríssimo, que estará presente no festival.”

Na sessão de abertura, para além do lançamento da referida Revista, serão ainda anunciados os vencedores dos Prémios Literários 2018. Recorde-se que o vencedor de 2017 foi Armando Silva Carvalho, com o livro A Sombra do Mar, que o Público deu a conhecer, em antecipação à publicação do livro pela Assírio & Alvim, o Poema que foi Curto:

.

Num poema curto a corrente do sangue corria

como um planeta levando no dorsal

a filosofia pública da hora,

e a luz nua e directa incidia sobre o corpo,

real, absoluta.

.

Hoje o poema teima sempre em ser maior,

e a história, o tempo, a memória e o verso porque é velho,

ocultam-lhe a idade nas curvas irreconhecíveis

dum vulto.

É sempre cada vez mais longa a maratona,

e as insistentes palavras

parecem desistir enquanto avançam.

 .

No presente ano, a Conferência de Abertura, no dia 21, às 15h00, no Cine-Teatro Garrett será diferente do habitual. Ignácio de Loyola Brandão realizará uma conferência-espetáculo, acompanhado pela cantora Rita Gullo e o músico Edson José Alves.

Do programa do Festival, constam 10 mesas que até sábado, dia 24, decorrem no Cine-Teatro Garrett. Além destas, duas outras mesas terão lugar na Fundação Dr. Luís Rainha e no Theatro – restaurante, wine bar, livraria e galeria de artes. Na Fundação Dr. Luís Rainha reunir-se-ão três tradutores: Rita Ray, Michael Kegler e Rui Zink. Irão debater o tema “Traduzir é encolher o mundo”. Já na mesa que se realizará no Theatro, as artes plásticas e a poesia experimental e visual o ponto de partida encontra-se na designação “É arte do poeta arquiteturar palavras.” Esta mesa reunirá Emerenciano, José-Alberto Marques e Fernando Aguiar.

Luís Diamantino deu a conhecer que, entre outros, “o evento contempla ainda duas exposições.” Numa delas, designada Júlio Resende na Póvoa de Varzim. Desenhos – anos 50, a decorrer no Museu da cidade e preparada em colaboração com a Fundação Júlio Resende Lugar do Desenho, são apresentados trabalhos, alguns deles inéditos, do referido artista plástico, que exerceu como professor na Póvoa de Varzim. A outra, preparada em colaboração com a Fundação de Serralves e apresentada na Sala de Atos do Cine-Teatro Garrett,  intitula-se Um Realismo Cosmopolita: em torno do Grupo KWY.   Será ainda lançado um catálogo da autoria do mestre Armando Alves.

Com o objetivo de envolver toda a cidade no espírito literário do Correntes d’Escritas, este ano a Câmara Municipal lançou  aos comerciantes o desafio de apresentarem livros nas suas lojas, sob o mote “Hoje a minha loja também é uma livraria”,  o que certamente dará um ar mais literário à cidade. Haverá ainda poesia na rua, com As Vozes transeuntes nas ruas da poesia, por uma trupe constituída por  Isaque Araújo, João Rios, Renato Filipe Cardoso e Rui Spranger,

Vertente relevante do Correntes d’Escritas é a promoção de encontros de escritores com alunos dos diferentes níveis de ensino das escolas da Póvoa de Varzim.

.

FCM Ciclos de Música e Poesia 20022018 Isaque Ferreira convida Filipa Leal Correntes d'Escritas

 

Fundação Cupertino de Miranda promove Correntes d’Escritas em Vila Nova de Famalicão

Tal como em anos anteriores já assim sucedeu, a Fundação Cupertino de Miranda irá iniciar o seu Ciclo de Música e Poesia com uma sessão em que o diseur convidado pertence à organização do Correntes d’Escritas. A 1ª sessão deste ciclo decorrerá hoje mesmo, 20 de fevereiro, data em que se inicia o Correntes d’Escritas 2018. Para além do coordenador e apresentador destas noites poéticas e musicais, Isaque Ferreira, estará presente Filipa Leal, em representação da organização do evento literário. Na primeira parte, poder-se-á ouvir música de Schumann, por Sofia Sarmento, ao piano, acompanhada pelo próprio Isaque Ferreira a recitar Afonso Lopes Vieira. Para a segunda parte está, como sempre, reservada a entrevista ao convidado e a poesia dita por este e pelo coordenador da atividade. Assim, Filipa Leal e Isaque Ferreira dar-nos-ão a escutar poemas da própria Filipa Leal, Adília Lopes, Pessoa, Camões, Drummond de Andrade, Sylvia Plath, António Maria Lisboa e Natália Correia.

 .

Correntes d’Escritas 2018 – Programa

.

Pub

Categorias: Agenda

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Pedro Costa

Diretor e editor.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.