Definir estratégia eficaz e sustentável para apoiar e dignificar o setor apícola com apoio da investigação e da tecnologia

Mel | FENAPÍCOLA debate Apicultura 4.0 online

Mel | FENAPÍCOLA debate Apicultura 4.0 online

Pub

 

 

FENAPÍCOLA realiza, no próximo dia 15, pelas 17h30, um webinar dedicado à promoção da apicultura, onde vários especialistas vão debater a Apicultura 4.0 na vertente da inovação e desenvolvimento associado à investigação e tecnologia, passando pela educação ambiental e turismo.

Por esta ser uma fase conturbada para todos, e para a apicultura em particular, vão estar reunidos neste encontro o Secretário de Estado da Agricultura e da Alimentação, Nuno Russo, a Apistechnology, o Instituto Politécnico de Bragança (IPB), o Centro de Investigação de Montanha (CIMO), o Centro de Investigação em Digitalização e Robótica Inteligente (CEDRI), entre outros, esperando reunir ideias para definir uma estratégia eficaz e sustentável para apoiar e dignificar este setor.

Defender a autenticidade do mel

O mel é considerado um dos produtos mais propensos a ser adulterado, pela dificuldade em prever ou comprovar tal fraude. Uma das grandes ameaças com que o setor se depara é o mercado livre, que facilita o processo da comercialização de mel de menor valor, rotulado como sendo de qualidade superior (como sendo monofloral, DOP ou biológico).

É pela obrigação da determinação e identificação legítima da origem botânica e/ou geográfica do mel, com vista ao reconhecimento de fraudes que a FENAPÍCOLA se bate. Daí ter lançado o AUTENT+, um projeto que visa o desenvolvimento e otimização de uma metodologia de “DNA metabarcoding” para a identificação da origem botânica.

Comparativamente à tradicional análise melissopalinológica, esta técnica apresenta a vantagem de não estar dependente da experiência e conhecimento do técnico e apresentar uma maior resolução taxonómica, podendo a identificação chegar à espécie.

Este projeto também inclui uma modalidade que permite a deteção de não-conformidades relacionadas com a declaração da origem geográfica. Através da autenticação do mel produzido com a abelha autóctone, pretende-se a valorização e diferenciação do mel nacional como produto que aposta na biodiversidade e sustentabilidade dos recursos endógenos.

Apoiar o consumidor na decisão de compra

Por último, o AUTENT+ inclui outrafuncionalidade que visa proporcionar mais informação ao consumidor, conferindo mais valor ao produto. Referimo-nos a um sistema de informação ao consumidor com base em etiquetas de identificação por radiofrequência (RFID) ou QR codes e a utilização de smartphones. O sistema permitirá ao apicultor e suas cooperativas fazer o upload da informação que pretendem disponibilizar (descrição da subespécie de abelha melífera usada na produção (origem geográfica, flora, informação nutricional, informação analítica, entre outras), a qual será acedida pelo consumidor ao passar o seu smartphone no rótulo do produto.

A pertinência desta funcionalidade deve-se à maior consciencialização da população sobre o impacto que a alimentação tem na saúde, tendo vindo a assistir-se a um aumento do número de consumidores interessados nos alimentos que compra, não só do ponto de vista nutricional, mas também sobre a sua origem.Também uma fatia considerável da população se preocupa, cada vez mais, com questões éticas e ambientais, estando atentos a temas como a proteção da biodiversidade e o modo de produção. Estudos indicam, ainda, que muitos destes consumidores estão dispostos a pagar um valor mais elevado por um produto de qualidade comprovada.

 

Fonte: FENAPÍCOLA; Imagem: José Mira

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categorias: Agenda, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.