Em medida generalizada a todas as unidades de saúde, serão criadas zonas destinadas ao atendimento de doenças respiratórias

Coronavírus | Famalicão muda regras de atendimento nos Centros de Saúde

Coronavírus | Famalicão muda regras de atendimento nos Centros de Saúde

Pub

 

 

O Agrupamento dos Centros de Saúde do Ave, com sede em Vila Nova de Famalicão, tendo em consideração o facto de o País se encontrar em fase transmissão local do coronavírus causador da Covid-19, fez saber que irão ocorrer mudanças, face à dinâmica da epidemia, ao nível do atendimento, nestas unidades de saúde pública.

“Estão a ser criadas, por todo o País, as chamadas ADC (Áreas Dedicadas para avaliação e tratamento de doentes COVID-19). O procedimento irá variar um pouco consoante a decisão dos responsáveis de cada Centro, mas basicamente irão ser separadas as pessoas com queixas respiratórias (tosse, dor de garganta, febre…) das demais”, destaca Ivo Sá Machado, diretor do ACeS do Ave.

“Lembramos que, por razões diversas, temos alguns profissionais ausentes, a que se soma o número de infetados, segundo as previsões. Queremos servir bem as populações, ajustando a resposta, face às prioridades atuais e futuras”, conclui.

Estas alterações estão a ser generalizadas a todos os Centros de Saúde, refere o médico João Silva, moderador do grupo de interesse do facebook ‘COVID19 Dúvidas respondidas por profissionais de saúde‘.

“Esta área de atendimento específica para doenças respiratórias pode não se encontrar situada no Centro/Posto de Saúde de cada utente, mas em caso de necessidade de atendimento noutras unidades a respetiva explicação será fornecida pelos responsáveis locais”.

Importa assim ter em consideração algumas recomendações muito importantes para que não coloque em risco a saúde de terceiros:

– não recorrer aos cuidados de saúde ao primeiro sinal de doença;

– indicar previamente queixas respiratórias aos enfermeiros que efetuam a triagem;

– respeitar as regras de distância de segurança enquanto se aguarda atendimento;

– não recorrer para pedir máscaras (estas são indispensáveis aos profissionais de saúde e aos utentes que apresentam sintomas);

– aceitar com naturalidade alguma ‘confusão’ da parte dos profissionais de saúde (esta situação é uma novidade também para médicos, enfermeiros e demais pessoal técnico, pelo que há necessidade de adaptação a cada momento a novas orientações e recomendações).

Nos locais de atendimento, deverá encontrar-se informação em locais visíveis.

Numa mensagem emotiva, João Silva conclui: “Todas estas alterações estão a ser feitas para vos “servir melhor” nesta altura de crise!! Força a todos!”.

Fontes: ACeS Ave, COVID19-DRPS; Imagens: (0, 1) ACeS

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.