notícia . análise . contexto . opinião

Espetáculo põe a nu a forma como são produzidas as notícias dos nossos dias

Teatro | ‘Rottweiler’: mentira e pós-verdade na Póvoa de Varzim

Teatro | ‘Rottweiler’: mentira e pós-verdade na Póvoa de Varzim

Pub

 

 

No âmbito da Temporada Teatral da Póvoa de Varzim, será apresentada, no sábado, 7 de março, às 22h00, no Cine-Teatro Garrett, a peça Rottweiler, pelo Teatro do Noroeste. O espetáculo “propõe um jogo cénico que pretende levar as pessoas a pensarem a forma como são feitas as notícias” dos nossos dias.

O recurso à violência por parte de pessoas relacionadas com movimentos de extrema-direita é objeto de reflexão através do questionamento da manipulação informativa exercida por determinados programas televisivos. Por meio de uma personagem cognominada Rottweiler assistimos em direto a um reality show televisivo no qual a entrevista conduzida por um jornalista oportunista terminará de forma inesperada.

“Fake-news. Em português, notícias falsas. Afinal, para que serve uma notícia verdadeira? Uma mentira pode ser difundida como sendo verdade para todo o mundo e para milhões de pessoas, de forma instantânea. O próprio termo mentira tornou-se politicamente incorreto, mediaticamente proibido, interpessoalmente deselegante. Agora chama-se pós-verdade. E uma verdade que é pós, pode ser qualquer coisa. Até uma mentira embrulhada em papel de verdade. Difundida até ao infinito. Até à náusea. Até um Rottweiler. “Não existe verdade. Apenas versões.” – Friedrich Nietzsche”

Informação | Porque acreditamos em notícias falsas?

Segundo Ricardo Simões, diretor artístico do Teatro do Noroeste, em declarações prestadas à Lusa e publicadas pelo DN, trata-se de “um texto muito cru, violento, polémico e que põe o dedo em algumas feridas que, acreditamos, farão o espectador questionar-se acerca do que vemos, ouvimos, lemos, e sobretudo colocará a dúvida sobre uma questão muito importante: Em que podemos acreditar neste mundo digitalizado e mediatizado quando ouvimos, lemos ou vemos uma notícia?”.

O espetáculo, baseado num texto escrito em 2006, estreou-se há cerca de um ano atrás, em Viana do Castelo, tendo desde então percorrido diversas salas do nosso País. Mantém toda a pertinência e atualidade.

De Guillermo Heras; Tradução: Alexandra Moreira da Silva; Dramaturgia e Encenação: Ricardo Simões; Interpretação: Alexandre Calçada e Tiago Fernandes; Iluminação: Nuno Tomás; Sonoplastia: Cláudia Ferreira; Vídeo: Luís Lagadouro; Participação no vídeo: Fernando Borlido e Rita Carneiro.

A Temporada Teatral na Póvoa de Varzim é programada pela Varazim Teatro desde 1998, com o apoio da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, apresentado um espetáculo de teatro sempre no primeiro sábado de cada mês.

Os bilhetes têm o custo de 7,00€ e de 5,00€ com desconto (para estudantes, reformados, menores de 25 anos e maiores de 65 anos, desempregados, pessoas portadoras de deficiência e grupos de 8 pessoas). Associados ao Varazim Teatro pagam apenas 3,50€.

Os ingressos estão disponíveis nas lojas Fnac, Worten e CTT, na BOL e no balcão do Cine-Teatro Garrett. O horário de funcionamento do Garrett é o seguinte: 10h30-12h30 e 15h30-17h30 de terça-feira a sábado, e a partir das 15h30 em dias de espetáculo.

Reservas a partir do email vt@varazimteatro.org e dos telefones Varazim Teatro (916 439 009 e 912 420 129) e Cine-Teatro Garrett (252 090 210).

 

Fontes: Município da Póvoa de Varzim, Teatro do Noroeste, Diário de Notícias; Imagens: (0) Teatro do Noroeste, (1) Município da Póvoa de Varzim

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Agenda, Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.