Terrenos são arrendados pelo município vimaranense a quem os pretenda explorar

Agricultura | Guimarães volta a abrir candidaturas para cedência de terrenos ao Banco de Terras

Agricultura | Guimarães volta a abrir candidaturas para cedência de terrenos ao Banco de Terras

Pub

 

 

As inscrições para cedência de terrenos ao Banco de Terras de Guimarães estão novamente abertas até 30 de abril. O Banco de Terras é um instrumento através do qual proprietários podem arrendar ao Município terrenos abandonados ou sem utilização para que este os subarrende posteriormente a empreendedores com vontade em criar o seu próprio negócio agrícola ou de base rural. Os proprietários interessados deverão consultar o aviso de abertura de candidaturas disponível no site do Município de Guimarães e seguir as orientações para submissão da candidatura.

Destaca-se a possibilidade de integrar no Banco de Terras de Guimarães os prédios inseridos na área geográfica da Penha, contribuindo no Apoio à Candidatura da Montanha da Penha, como área protegida de âmbito local.

O Banco de Terras é um instrumento através do qual proprietários podem arrendar ao Município terrenos abandonados ou sem utilização de que sejam detentores, para que este os subarrende a empreendedores com vontade em criar o seu próprio negócio agrícola ou de base rural.

O Banco de Terras de Guimarães corporiza um conjunto de benefícios para o proprietário, na medida em que valoriza os seus terrenos com potencial agrícola ou florestal, tem garantia de renda por parte do Município de Guimarães, recebe o património fundiário no mesmo estado de uso ou ainda melhor do que o estado inicial e deixa de ter custos com a limpeza anual de vegetação, espécies arbustivas e manta morta.

É possível obter mais informações através de e-mail (ibr@cm-guimaraes.pt), telefone (253 421 200) ou presencialmente nas instalações da Câmara Municipal de Guimarães.

 

Fonte e Imagem: Município de Guimarães

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

 

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.