Vila Nova de Famalicão

Construção | Gabriel Couto amplia instalações da Vieira de Castro

Construção | Gabriel Couto amplia instalações da Vieira de Castro

 

 

 

A empresa Vieira de Castro, o maior fabricante português de bolachas, amêndoas e rebuçados, que tem as suas unidades de produção na freguesia de Gavião, concelho de Vila Nova de Famalicão, escolheu novamente o grupo Gabriel Couto para a construção da ampliação do Armazém de Produto Acabado e Cais de Carga, um projeto que tem a assinatura do Atelier “Arqueuro – Gabinete de Arquitetura e Engenharia”.

 

 

A Vieira de Castro, fundada em 1943, é a marca líder portuguesa na produção e exportação de vários produtos alimentares, exportando para vários mercados em todo o Mundo. Esta empresa minhota possui neste momento três fábricas em Portugal e produz cerca de 15 mil toneladas por ano, das quais exporta cerca de metade para mais de 50 países.

Nos últimos anos, a Vieira de Castro, a comemorar os 75 anos de existência, realizou um investimento superior a 20 milhões de euros, num processo contínuo de expansão para assegurar um crescimento sustentado, tendo fechado o exercício de 2018 com uma faturação muito próxima dos 40 milhões de euros. Aos 75 anos de vida, a marca Vieira de Castro continua a revelar sinais de vitalidade, confiança e visão de futuro, características próprias de uma empresa famalicense com um ADN de permanente audácia e arrojo constante.

Fundada há 75 anos, a Vieira de Castro tem atualmente três gamas de produtos: as bolachas, que valem 81% das receitas e têm várias categorias, como Água e Sal, Digestivas ou Maria; nos chocolates destacam-se as amêndoas e drageias; e a gama de rebuçados Mentolis e Flocos de Neve, sendo que metade das vendas da empresa é proveniente da exportação, com os mercados do Brasil, Reino Unido, Angola, França, China, Japão e Finlândia a equivalerem a cerca de 30% do seu volume de negócios.

Para o CEO da Gabriel Couto, Carlos Couto, empresa que também está a comemorar os 70 anos de atividade, “este é mais um desafio aliciante e fundamental no crescimento de uma grande e histórica empresa famalicense, como é o caso da Vieira de Castro, que demonstra uma total confiança na nossa construtora, já que este é o segundo projeto de ampliação que nos é confiado à nossa responsabilidade, nos últimos anos”.

A empreitada em epígrafe consiste na ampliação do Armazém de Produto Acabado e Cais de Carga. O armazém a ampliar vai ter uma estrutura em pórtico (pilares e vigas) em betão pré-fabricado, fachadas em painel arquitetónico em betão pré-fabricado, com a empena de fecho do topo, sobre o armazém existente, em estrutura metálica. A nova nave industrial terá um comprimento máximo de 84,65m e uma largura total de 36,15m, possuindo uma cércea de 15,90m, e totalizando uma área total de 3.004,80m2.

Faz ainda parte da empreitada a ampliação do pavilhão de expedição do produto acabado, na qual está prevista a construção de 10 novos cais de carga e descarga, com portões seccionados e plataforma móvel e respetivos foles de encosto e guias de pavimento. Este projeto de ampliação materializa-se por extensão do pavilhão existente, com o mesmo princípio e soluções construtivas, totalizando um aumento de área total na zona de expedição do produto acabado em cerca de 1.200,00 m2.

Está ainda prevista a intervenção ao nível da envolvente exterior, com a construção de diversos novos lugares de estacionamento de veículos ligeiros e pesados, assim como a intervenção ao nível dos arruamentos e passeios adjacentes aos novos edifícios. O espaço exterior destinado a espaços verdes também mereceu uma especial atenção.

Carlos Couto recorda que este emblemático projeto industrial, representa “mais um desafio aliciante a ser alcançado num prazo muito exigente”, que adianta ainda: “o êxito obtido com as recentes construções de diversas unidades fabris de Norte a Sul do País, constituem um motivo de orgulho e sinal de confiança que as empresas nacionais e grupos multinacionais têm vindo a depositar na competência técnica evidenciada na construção de grandes projetos industriais”, observa.

A coordenação, gestão e fiscalização desta empreitada estará a cargo da empresa “IGM Project Management”.

 

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver. 

Vila Nova é generalista, independente, plural e gratuita para os leitores e sempre será. 

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à manutenção e desenvolvimento na rede. Só um jornalismo forte pode garantir qualidade no serviço oferecido aos leitores.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu contributo, ainda que simbólico, sob a forma de donativo.

MB Way: 919983484

Multibanco ou netbanking:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Economia

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.