Tag "Rui Nunes"

Voltar à página inicial
Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | O bulldozer do humanismo (apontamentos para nada)

    1. “Há um esgotamento em todos os começos. As coisas ligam-se umas às outras por cansaço” (Rui Nunes, O Anjo Camponês, 2020, p. 30). 2. “[…] uma resposta

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | O direito ao segredo: lendo José Carlos Soares

    A tosse pequena de um deus Por estes dias, qualquer livro que se leia, filme a que se assista ou meditação que nos assalte parece ver escorregar-lhe o

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | Sermos dignos do que nos acontece

    Por estes dias, o imaginário milenar em torno do fim do mundo tem sido, uma vez mais, reacendido pelo êxtase negro da pandemia. Lê-se A Peste, de Camus,

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | Nada de narrativas

    “[…] a precisão da indecisão, isso é a literatura” (página 170, revista Electra, Alexander Kluge). Invejo saudavelmente o uso dos deíticos, esses relâmpagos certeiros que sabem dividir o

Crónica Cultura Sociedade

Dar Coisas aos Nomes | Os mortos expulsam-nos de qualquer regresso

    O noticiário abre com a fotografia de dois cadáveres, Oscar e Valeria Ramírez, pai e filha, afogados no Rio Grande, fronteira entre o México e os EUA, onde

Arte Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | A brutalidade da minúcia: instantâneos a partir de Rui Nunes

    [luz] Há palavras que irradiam uma “luz malevolente” (A Boca na Cinza). Uma malignidade luminosa é aquela que desapropria um corpo, um objeto, um lugar, um livro, da

Crónica

Dar Coisas aos Nomes | Tirar férias à vida – Algumas sugestões de leitura

    A páginas tantas, no primeiro volume de O Homem sem Qualidades, uma das personagens de Musil descreve a condição póstuma que caracteriza a literatura, o que tanto vale