Tag "existência"

Voltar à homepage
Cultura Ensaio Filosofia Literatura Sociedade

O Amor

    ” O AMOR não se programa, experimenta-se sem formas, é um movimento intensivo. Só há uma saída para o AMOR: amar na mutabilidade e com forças da impermanência!

Sociedade

Inteligência Emocional | Dormindo com o Inimigo

  A existência humana compreende dois grandes momentos: o dia e a noite. Durante o dia, o organismo está dotado de mecanismos internos para pensar e produzir, durante a noite

Cultura Ensaio Ensino Literatura

Saramago, Ricardo Reis e o ano da nossa morte

  A todos os alunos do 12.º ano com quem partilhei estas e outras derivas.   #1 Must be strangely exciting / to watch the stoic squirm”, confessa Alanis Morissette

Cultura Literatura Poesia

O limão fruto do mês

    No tópico a penumbra limita o céu a deus a mesma paragem passa em liberdade suave textura a mulher tarde horizontal de estrutura espessa o género substantiva camada

Cultura

Raias poéticas, 7ª ed – 2018 | Poesia: Não é dos horizontes que se espera mistérios

    Não é dos horizontes que se espera mistérios – talvez danças crepusculares – mas do lugar presente, à hora do inferno, o inesperado enigma do sangue que se

Cultura Ensaio Fotografia

Dizer adeus às coisas

    Tanta coisa depende daquilo que decidimos escrever no início de um texto. Houve alturas em que uma folha em branco me deixava em pânico. Um pânico absoluto, paralisante:

Cultura Ensaio Fotografia

Aproximações (notas sobre fotografar)

As primeiras vezes, a primeira vez de cada primeira vez. Primeiro, mergulha-se a fundo. É-se irresponsável, faz-se como os putos diante o mar e o rebentar das ondas, sempre primeiras,

Cultura

Literatura | Luís Serguilha e o experimentalismo em Kalahari

    Kalahari, de Luís Serguilha O poeta, através da sua obra, procura incansavelmente a desmedida, a voz do vazio. Move-se entre as sombras, ritmos e energias onde explodem de

Autor Cultura Ensaio Sociedade

O escândalo de existir

    “[O] escândalo do homem”, escreve Peter Sloterdijk, “consiste em que ele se pode achar sem se ter procurado. Tem-se vinte e três anos ou trinta e um, ou