Determinar a taxa de ataque secundário e saber mais sobre imunidade da população

Saúde | Investigadores da CUF concluem que quase todos os pacientes de Covid-19 ganham anticorpos

Saúde | Investigadores da CUF concluem que quase todos os pacientes de Covid-19 ganham anticorpos

Pub

 

 

Uma equipa de investigadores do Hospital CUF Porto acaba de revelar que 85% a 90% das pessoas que tiveram a doença Covid-19 e estão em processo de cura desenvolveram anticorpos, revela o Jornal Médico. Os investigadores deste estabelecimento hospitalar divulgam tal conclusão no artigo “Qualitative serology in patients recovered from SARS CoV 2 infection”.

A conclusão foi apurada a partir de um teste qualitativo para determinação de anticorpos e o estudo foi recentemente publicado no Journal of Infection, órgão de comunicação científica oficial da British Infection Association.

Paulo Bettencourt, o coordenador de Medicina Interna no Hospital CUF Porto e um dos investigadores envolvidos no estudo, considera que “é fundamental perceber de que forma o organismo humano se adapta e reage após a infeção e um dos aspetos primordiais é saber quantos de nós desenvolvem anticorpos para a Covid-19”.

“Com essa informação poderemos avaliar o risco de reinfeção, que é algo ainda bastante desconhecido, e perceber qual é o grau de imunidade que as pessoas adquirem após contacto com o vírus”, esclarece.

O investigador relembra que, sobre este tema, a literatura é escassa, existindo “apenas alguns artigos chineses” que sugerem resultados similares aos do estudo português.

O artigo “Qualitative serology in patients recovered from SARS CoV 2 infection” é, assim, considerado um avanço decisivo para a comunidade científica, sendo que a equipa de investigadores ambiciona dar um contributo “ainda maior”.

“O nosso trabalho, além de divulgar esta informação importantíssima, valida este instrumento [teste qualitativo para determinação de anticorpos] como um método para averiguar a frequência de exposição ao vírus na população”, garante Paulo Bettencourt.

Neste sentido, o investigador conclui: “É nessa perspetiva que vai determinar e dar informação muito importante sobre a Taxa de Ataque Secundário: isto é, vamos saber em cada família, dos conviventes com doentes, quantos foram infetados. Este número esclarece-nos, por um lado, sobre o comportamento do vírus e a sua taxa de infeção em ambientes em que a sua prevalência é elevada; por outro lado, ajuda-nos a saber mais sobre a imunidade que a população está a desenvolver para a Covid-19”.

Desenvolvido em parceria com o Centro Hospitalar de S. João e financiado pela Fundação La Caixa, o estudo está em fase de conclusão e pretende trazer  “informação decisiva” à comunidade científica, no combate à doença, já que “ninguém tinha olhado para o problema por este prisma”, remata Paulo Bettencourt.

Fonte: JM; Imagem: CUF

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais.

*

Pub

Categories: Ciência

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.