José Novais

Saúde | A evolução dos Serviços de Saúde de Barcelos em 40 anos de SNS

Saúde | A evolução dos Serviços de Saúde de Barcelos em 40 anos de SNS

Pub

 

 

No dia 15 de setembro de 1979 foi publicada a Lei nº 56/79 que criou o Serviço Nacional de Saúde (SNS), concretizando o direito à proteção e prestação de cuidados de saúde e o seu acesso por todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica e social.

A evolução dos equipamentos de saúde no concelho de Barcelos foi relevante durante os 40 de existência do SNS, com excepção do Hospital. Verificou-se uma evolução na melhoria dos edifícios onde estavam e onde estão as Unidades de Saúde nas diferentes Freguesias do Concelho. Ocorreram encerramentos e agregações de Unidades, geraram-se protestos, construíram-se novas Unidades, mas o Hospital, esse ficou o mesmo.

Até à década de 1980 o Centro de Saúde de Barcelos tinha Sede no Edifício de Santo António. A partir de meados da década de 1980, construíram-se de raiz as seguintes Unidades: Centro de Saúde de S. José (Sede do ACES III Cávado Barcelos/Esposende), Centro de Saúde de Barcelinhos e Unidades de Saúde em Lijó, Vila Seca, Viatodos, Vila Cova, Aborim, Macieira e Martim.

A nova construção em Barcelinhos levou ao fecho das Extensões de Barcelinhos e Rio Covo Santa Eugénia; Vila Seca agregou as Extensões de Cristelo, Milhazes e Vila Seca e Macieira agregou as Extensões de Macieira e Pedra Furada, todas instaladas em edifícios das Casas do Povo respectivas, com excepção de Macieira que já tinha mudado da Casa do Povo para a Junta de Freguesia em 1994.

A Extensão de Martim já tinha mudado da Casa do Povo para instalações adaptadas e situadas nas proximidades e em Lijó, Vila Cova e Aborim mudaram das Casas do Povo respectivas para os novos edifícios. As Unidades de Fragoso, Carapeços, Silveiros e Lama ainda funcionam nos edifícios das Casas do Povo; em Fragoso aguarda a execução de obras de requalificação da antiga Escola Básica para mudar de instalações; em Carapeços e em Silveiros beneficiaram de recentes obras de requalificação no r/c dos edifícios respectivos.

Na Lama são necessárias obras de requalificação no espaço ocupado pela Unidade, mas o edifício tem “corpo” bastante para fazer o que for preciso se existir vontade das entidades responsáveis.

A Unidade de Sequeade, instalada no edifício sede da Junta de Freguesia, tem a concurso obras de requalificação do rés-do-chão; em Alheira, também instalada no edifício sede da Junta de Freguesia, o espaço foi beneficiado com obras de requalificação.

Nos últimos 40 anos, para além dos encerramentos já referidos, também encerrou a Extensão de Durrães, instalada na Casa do Povo e a Extensão de Alvito S. Pedro, instalada em edifício da Didálvi.
Antes da pandemia da COVID-19, as Unidades possuíam as condições de instalações referidas, mas algumas Unidades, com a longevidade de 30 anos, carecem de melhorias e com as novas normas da DGS são necessários espaços adequados para sala de espera dos utentes e outras necessidades.

E a carência de Profissionais de saúde nalgumas Unidades, em diferentes áreas da saúde, é limitadora dos serviços que devem ser prestados e deve ser resolvida com urgência.

São dezasseis os estabelecimentos de saúde do SNS no concelho de Barcelos, enquadrados no ACES Cávado III, sendo sete de cada lado do rio Cávado mais dois na Cidade.

Para além das estruturas que compõem o actual ACES, o Hospital não viu qualquer evolução em termos de novas instalações, para além de naturais beneficiações ou requalificações efectuadas em espaços de alguns Serviços internos.

O Serviço Nacional de Saúde tem de ser sempre uma aposta forte do Governo, tanto na construção e modernização de Hospitais e Unidades de Saúde como na dotação de equipamentos e de recursos humanos indispensáveis para que todos esses estabelecimentos possam prestar o melhor serviço.

A saúde é um dos investimentos inquestionáveis que um Governo deve fazer para benefício da sua população, devendo contar para esse efeito com a colaboração activa dos Municípios.

Os últimos quarenta anos colocaram Portugal num bom patamar quanto à qualidade de vida de milhões de cidadãos, mas esse é um trabalho e uma preocupação que nunca se poderá dar por acabado.

 

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo. Pode fazê-lo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categories: Crónica, Política

About Author

José Santos Novais

• José Gomes dos Santos Novais • Rua do Outeiro, 191, Macieira • 4755-262 Barcelos • 252951360 • 968037050 • josesantosnovais@gmail.com • Nacionalidade Portuguesa • Data de nascimento: 24-04-1956 Formação académica • Licenciatura em Engenharia Electrotécnica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (Ramo de Produção e Transporte de Energia); Ensino Oficial • Professor de Matemática do 3º Ciclo e Secundário entre 1982 e 1988; • Professor de Educação de Adultos entre 1983 e 1985; Portugal Telecom • Engenheiro de Telecomunicações nos CTT/Telecomunicações, de 29/08/1988 a 1992 • Quadro Superior na Telecom Portugal/Portugal Telecom, de 1992 a 01-10-2007 Área Política • Vice-Presidente da Comissão Política Distrital de Braga do PSD desde 11/07/2020 Área Autárquica • Vereador da Câmara Municipal de Barcelos desde Outubro 2017.

Write a Comment

Only registered users can comment.