Agostinho Fernandes

Questionário de Proust | Custódio Oliveira

Questionário de Proust | Custódio Oliveira

Pub

 

 

Custódio Oliveira nasceu em Joane, Vila Nova de Famalicão, a 30 de maio de 1951.

É atualmente consultor de comunicação e diretor geral da empresa Omnisinal. Exerce também a docência no Instituto Superior da Maia (ISMAI), na Universidade do Minho (UM) e na ESJ – Escola de Jornalismo do Porto.

No que se refere á formação Custódio Oliveira é Licenciado em Ciência Política, com um Master em Comunicação e Marketing Político pela Universidade de Santiago de Compostela (USC), sendo neste momento Doutorando em Ciência Política na USC com a tese: A influência do sistema mediático nas decisões do poder político.

Custódio de Oliveira é autor de diversos livros, com destaque para “Processo Mediático do Metro do Porto”, edições Afrontamento; “Bernardino Machado um Homem Livre”, edições Afrontamento; “O Cego da Igreja Velha”, Dividendo Edições; “Governar é Comunicar”, edições Omnisinal; “Mil Quilómetros Pelos Caminhos de Santiago”, edições Omnisinal. “Como gerir melhor a sua Instituição” edições Omnisinal. “Como gerir melhor a sua autarquia”, edições Omnisinal.

Militante de causas culturais e sociais, Custódio Oliveira foi fundador e é sócio da Associação Teatro Construção em Joane.

Possui dois hobbies: o teatro e os caminhos de Santiago, com mais de 3 mil quilómetros percorridos: golpe a golpe, verso a verso, como proclama o andaluz António Machado no poema “Caminante no hay camino, el camino hace al andar”.

 

 

 1- Qual é para si o cúmulo da miséria moral?

A falta de autenticidade no que dizemos, defendemos e fazemos. A desconfiança nas relações interpessoais, entre organizações e estados resulta da falta de autenticidade.

 

2- O seu ideal de felicidade terrestre?

Estar bem comigo e com os outros.

 

3- Que culpas, a seu ver, requerem mais indulgência?

A traição sinónimo de falta de lealdade com o outro e com os outros.

 

4- E menos indulgência?

A ignorância daquilo que tínhamos o dever de saber.

 

5- Qual a sua personagem histórica favorita?

Dom Dinis, como rei e muito provavelmente como melhor governante de Portugal.

 

6- E as heroínas mais admiráveis da vida real?

As mulheres do século XXI que procuram conquistar o mundo, ocupando os lugares de liderança.

 

7- A sua heroína preferida na ficção?

A Mãe de Tackhov.

 

8- O seu pintor favorito?

Salgado de Almeida.

 

9- O seu músico favorito?

Jacques Brel.

 

10- Que qualidade mais aprecia no homem?

Solidariedade

 

11- Que qualidade prefere na mulher?

Inteligência e beleza.

 

12- A sua ocupação favorita?

Ler e caminhar, de preferência nos caminhos ditos de santiago.

 

13- Quem gostaria de ter sido?

Eu próprio.

 

14- O principal atributo do seu carácter?

Generosidade.

 

15- Que mais apetece aos amigos?

Disponibilidade.

 

16- O seu principal defeito?

Inconstância.

 

17- O seu sonho de felicidade?

Tempo para caminhar e viajar; e escrever.

 

18- Qual a maior das desgraças?

A guerra.

 

19- Que profissão, que não fosse a de escritor, gostaria de ter exercido?

Camionista de longo curso.

 

20- Que cor prefere?

Azul e branco.

 

21- A flor que mais gosta?

Margarida.

 

22- O pássaro que lhe merece mais simpatia?

O melro

 

23- Os seus ficcionistas preferidos?

Júlio Verne.

 

24- Poetas preferidos?

Tantos… Régio, António Machado, Sophia, Alegre

 

25- O seu herói?

Zé do Telhado.

 

26- Os seus heróis da vida real?

Os que semeiam justiça, beleza, harmonia, paz…

 

27- As suas heroínas da história?

Isabel Allende.

 

28- Que mais detesta no homem?

Hipocrisia e cobardia.

 

29- Caracteres históricos que mais abomina?

Hitler e todos os que ele se assemelham

 

30- Que facto, do ponto de vista guerreiro, mais admira?

A batalha de Covadonga.

 

31- A reforma política que mais ambiciona no mundo?

Dissolução de todas as ditaduras.

 

32- O dom natural que mais gostaria de possuir?

Compreender o que aí vem…

 

33- Como desejaria morrer?

Nunca pensei. Talvez plenamente consciente do facto.

 

34- Estado presente do seu espírito?

Otimismo.

 

35- A sua divisa?

Viver cada momento como fosse o último.

 

36- Qual é o maior problema em aberto do concelho?

A falta de participação r envolvimento cívico e político.

 

37- Qual a área de problemas que se podem considerar satisfatoriamente resolvidos no território municipal?

As infraestruturas mais elementares.

 

38- Que obra importante está ainda em falta entre nós?

O transporte de Metro entre Famalicão-Braga-Guimarães-Famalicão com ligação ao Metro da Área Metropolitana do Porto.

 

39- De que mais se orgulha no seu concelho?

A força e capacidade de iniciativa das pessoas.

 

40- Qual é o livro mais importante do mundo para si?

Tantos. Talvez em primeiro: os três volumes de La Méthode de Edgar Morin.

 

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo. Pode fazê-lo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categories: Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.