Manuela Cunha: Ainda há finais felizes

Solidariedade | Quarentena a Bulir oferece primeiro computador

Solidariedade | Quarentena a Bulir oferece primeiro computador

Pub

 

 

Tudo faz Sentido!!!…“, declara abertamente Manuela Cunha. Depois de tantas horas e tanto esforço de entreajuda, tantos têm sido os envolvidos no projeto Quarentena a Bulir, o primeiro de muitos computadores que se espera estejam neste momento a caminho dos seus destinatários oriundo da campanha “Angariação de Computadores“, destinada a plantar sorrisos nas faces de crianças e jovens sem possibilidades de adquirirem este tipo de equipamentos, acaba de ser entregue a um aluno do Agrupamento de Escolas D. Sancho I, de Vila Nova de Famalicão.

“Ainda estou sem palavras…

Saiu do carro da mãe efusivo, como se hoje fosse Natal outra vez! Nem queria acreditar que iria ter um computador só para ele! Que deixaria de ter aulas por videoconferência do telemóvel da mãe!

Oh S’tora, as letras no telemóvel da mãe são tão pequeninas! Não consigo ler os documentos que os professores mostram! E também não consigo escrever!…

Agarrou no computador, abraçou-o nos seus pequenos braços com pressa para ir embora para o pôr a carregar.

O sorriso, maior do que ele, esbanjava uma alegria singular! Volta a olhar para mim e diz-me:

Obrigado!

E nesse Obrigado, ouvi todo o seu sentir!”

É desta forma singela que a professora Manuela Cunha conta, no mural do movimento que lançou quando a Quarentena escolar foi decretada, a forma como um primeiro jovem estudante foi beneficiado pela solidariedade daqueles que acreditam que “ainda há finais felizes. Esta é uma uma história que ficará sempre gravada nos nossos corações”.

Por isso, conclui:

“Amigos! Estamos a cumprir o que prometemos! Todos juntos! Por isso vamos brindar! Brindar a mais esta conquista que não tem preço.

Se tiverem algum P.C. que já não usem, queiram, por favor, ajudar-nos a rasgar Sorrisos como este de um menino do Agrupamento de Escolas D.Sancho I”.

Fonte e Imagem: QaB

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver; e não pagou por isso.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Pub

Categories: Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.