Ilíido Torres

Olimpismo | Lars e Stig Kall: a vitória do desportivismo nos Jogos Olímpicos de Tóquio 1964

Olimpismo | Lars e Stig Kall: a vitória do desportivismo nos Jogos Olímpicos de Tóquio 1964

Pub

 

 

A Medalha ‘Pierre de Coubertin‘ foi instituída com a finalidade de distinguir comportamentos adornados pelo real e verdadeiro desportivismo – este, um deles. Lars Kall e Stig Kall, dois velejadores suecos, irmãos e amantes do desporto, protagonizaram um dos mais extraordinários actos desse exemplo e espírito.

O insólito evento aconteceria no decurso de uma prova olímpica de vela, nos Jogos de Tóquio, de 1964, quando os dois velejadores se confrontaram com o imperativo ato de suspender a busca por uma brilhante classificação.

Como os demais atletas, a sua preocupação era, naquele momento, cortar a linha de chegada e vencer a regata, o que, no caso, seria uma ajuda, uns pontos mais a juntar para a classificação final.

Em determinado momento da prova foram confrontados com um inesperado acontecimento ao verificarem que a equipa australiana, constituída por John de Dawe e Ian Winter, tinha naufragado – a embarcação encontrava-se completamente virada. De imediato, os velejadores suecos tomaram consciência de que os seus adversários se encontravam numa situação muito perigosa e necessitavam de ajuda imediata que não estava ao alcance da equipa de apoio oficial. Os dois velejadores australianos encontravam-se numa situação tremendamente angustiante, um deles ainda a lutar contra a força do mar – o outro estava já agarrado à embarcação. Os suecos alhearam-se, imediata e completamente, da prova que estavam a disputar e, o mais rápido possível, orientaram o seu barco em direcção aos necessitados australianos que foram socorridos, primeiro o Winter e depois o Dawe, ambos recolhidos para o Hayama, o barco socorrista.

O acto destes homens ocasionou a óbvia perda da regata, mas redundou na salvação dos australianos, gesto apreciado em todo o mundo.

A dita regata de qualificação iria ser vencida  pela Nova Zelândia, seguida da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos.

 

Imagem: IOC

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categories: Crónica, Desporto

About Author

Ilídio Torres

Membro da Academia Olímpica de Portugal, órgão do Comité Olímpico de Portugal.

Write a Comment

Only registered users can comment.