Autores dão a conhecer projeto em torno de um dos mais relevantes sistemas de captação energética do nosso tempo esta sexta-feira, 23 de outubro, na Casa das Artes de Famalicão

Energia | Mário Passos e Joaquim Carneiro apresentam livro ‘Sistemas Fotovoltaicos’

Energia | Mário Passos e Joaquim Carneiro apresentam livro ‘Sistemas Fotovoltaicos’

Pub

 

 

‘Sistemas Fotovoltaicos – fundamentos sobre dimensionamento’ é o livro que Mário Passos, docente universitário e atualmente vereador dos pelouros do  Desporto, das Freguesias, da Juventude e da Modernização Administrativa no Município de Famalicão, e Joaquim Carneiro, investigador na Universidade do Minho, no Campus de Azurém, em Guimarães, apresentam, esta sexta-feira, 23 de outubro, na Casa das Artes de Famalicão. A ocasião contará com a presença de Paulo Cunha, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão.

Trata-se de um projeto de longa data que vinha sendo alimentado pelos autores, amigos pessoais desde os tempos da universidade. A edição, da responsabilidade da Quântica Editora, surge sob o selo Engebook, a marca editorial portuense dedicada aos livros e revistas de conteúdo técnico.  O livro é um autêntico manual, pelo que inclui os sempre indispensáveis casos de estudo.

Os sistemas fotovoltaicos (SFV) são uma das fileiras das energias renováveis mais limpas e relevantes em Portugal e no mundo. Dito em linguagem simples e acessível a todos, o sistema solar fotovoltaico é um sistema capaz de produzir energia elétrica, através de um semicondutor, a partir da captação da radiação solar. O uso da energia solar é um dos grandes trunfos na descarbonização da matriz energética internacional, estimando-se que, em 2050, o aquecimento solar será responsável por 15% de toda a energia renovável no mundo.

Esta nova obra, além de versar aspectos de índole geral sobre SFV, contém informação sobre materiais semicondutores e as suas propriedades optoelectrónicas e apresenta, com detalhe, metodologias de cálculo adstritas ao dimensionamento de SFV autónomos, SFV ligados à rede e SFV para bombagem de água, através da resolução numérica de casos específicos.

Enquadramento 

Portugal tem assistido a um considerável desenvolvimento ao longo dos últimos anos, traduzido maioritariamente na infra-estruturação do território, “mas deve também traduzir-se na criação de um conjunto de factores de diferenciação em relação aos restantes países visando a atracção do denominado bom investimento para Portugal”, lembram os autores no capítulo de enquadramento do uso desta tecnologia no nosso país.

“O fomento do desenvolvimento sustentável é um dos eixos estratégicos da actual política energética portuguesa, (…) [o que] passa pela adopção e implementação de diversas medidas (….) que contribuam para a real implementação do acordo de Paris sobre alterações climáticas, a plena integração no comércio europeu de emissões e a forte promoção da eficiência energética”.

“A proposta prevê uma redução de 40% das emissões de gases com efeito de estufa em relação aos níveis de 1990, um objetivo vinculativo para toda a UE de forma a que em 2030, 27% do consumo total de energia seja satisfeito a partir de fontes renováveis (pelo menos 20% até 2020). A necessidade de satisfazer o continuo crescimento da procura de energia no futuro próximo, especialmente no domínio da electricidade, em confronto com a necessária redução das emissões de gases com efeito de estufa, impõe um investimento significativo na exploração das fontes endógenas renováveis” Assim sendo, a energia solar e o correspondente subsector da fileira adstrita à energia solar fotovoltaica apresentam uma significativa taxa e perspetiva de crescimento futuras.

Mário Passos, da investigação para a política, sem perder o foco na Física

Nascido em 1966, viveu na freguesia de Nine, em V. N. de Famalicão, onde frequentou o 1º ciclo.

Realizou o ensino básico no mesmo concelho e o ensino secundário em Braga. Licenciou-se em 1991, no curso de Física e Química, pela Universidade do Minho (UM), onde foi monitor no departamento de Física. Ingressou no Departamento de Química, no grupo de Química Física da UMinho, iniciando, assim, a sua carreira académica. Realizou as Provas de Aptidão Pedagógica e Capacidade Científica e as Provas de Doutoramento em Ciências, em cooperação com o Instituto John Innes Centre, Norwich, Inglaterra, tornando-se Professor Auxiliar na mesma universidade, UMinho.

Nesse período, a sua atividade de investigação centrou-se nas áreas da construção de elétrodos modificados por filmes poliméricos condutores e na síntese, caracterização e estudo comportamental de complexos metálicos. Efetuou dezenas de comunicações e publicou vários artigos científicos em revistas nacionais e internacionais.

Foi responsável pela lecionação de diversas unidades curriculares, nomeadamente aos cursos de Física e Química, Química, Geologia, e diversas Engenharias. Orientou múltiplos estágios e participou em diversos júris. Foi, ainda, Presidente da Comissão de Estágio da Licenciatura de Física e Química e secretário da Comissão Coordenadora de Estágios da UMinho. Em 1999, envolveu-se ativamente na política local do concelho de Vila Nova de Famalicão.

Em 2004, é convidado pelo XV Governo Constitucional da República Portuguesa, para Delegado Regional de Braga do Instituto Português da Juventude e, em 2009, é eleito Vereador da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, até à presente data, tendo exercido funções em cerca de uma dezena de pelouros da governação autárquica. Torna-se, entretanto, Professor Convidado da Cooperativa de Ensino Superior e Politécnico Universitário – CESPU.

Joaquim Carneiro, uma vida ligada à investigação, mas com um pé também na atividade política

Nascido em 1966, frequentou o ensino secundário na Escola Secundária de Ponte da Barca.

Doutorado em Engenharia Mecânica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), e Licenciado em Física e Química pela Universidade do Minho (UMinho). Foi vice-director do Núcleo de Investigação em Tecnologias de Energias Renováveis, coordenador do Grupo de Revestimentos Funcionais (GRF) do Centro de Física (CF), membro do Conselho Científico da Escola de Ciências e membro da Comissão Directiva do Centro de Física da Universidade do Minho, onde desenvolve actualmente a sua actividade de investigação científica centrada nas áreas da engenharia de superfícies, nanotecnologia, revestimentos funcionais, energia e materiais fotocatalíticos.

Atualmente é professor responsável pela leccionação de Unidades Curriculares de Física a diversos cursos de Mestrado Integrado em Engenharia e de Energias Renováveis do Mestrado em Ciências e Tecnologias do Ambiente, ministrados na UMinho. É Professor visitante na Jiangsu University of Science and Technology, China.

Autor de mais de uma centena de artigos científicos publicados em revistas internacionais com revisão por pares e factor de impacto, 6 capítulos de livros, 1 patente e membro do Concelho Editorial de revistas
científicas internacionais, participou e liderou diversos projectos de investigação científica com financiamento nacional e europeu (FCT, ADI, FP6, FP7, QREN), tendo também coorganizado e participado em diversas conferências e comités técnico-científicos nacionais e internacionais.

Joaquim Carneiro foi membro da Comissão de Honra do Presidente da República Portuguesa (2005–2015), Deputado da Assembleia Municipal de Ponte da Barca (2013–2017) e Deputado da Comunidade Intermunicipal CIM Alto Minho (2013–2017).

 

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo. Pode fazê-lo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categories: Agenda, Ciência, Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.