Artigos de Diogo Martins

Voltar à página inicial
Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | Desaparecer o mais discretamente possível (com quatro livros)

    “Sempre me faltou a auréola do santo, e só com ela se pode triunfar na literatura”, confessou Robert Walser, criador de anónimos e, como estes, ele próprio um

Crónica Sociedade

Dar | 25 anos de Escutismo em Nine

    “Há muitos anos, sob o luar, um rapaz olhava o vermelho das chamas dançando.” É assim que começa o âmago do imaginário pelo qual serão norteadas as atividades

Cultura Destaque Sociedade

Entrevista | Laço estreito. À conversa com o ator João Veloso

    Um brevíssimo poema de Sandro Penna, poeta italiano, para quebrar o gelo: “Caminhemos, caminhemos desesperadamente / juntos na noite profunda / e leve e aveludada do Verão”. E,

Crónica Cultura Sociedade

Dar Coisas aos Nomes | Os mortos expulsam-nos de qualquer regresso

    O noticiário abre com a fotografia de dois cadáveres, Oscar e Valeria Ramírez, pai e filha, afogados no Rio Grande, fronteira entre o México e os EUA, onde

Arte Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | A brutalidade da minúcia: instantâneos a partir de Rui Nunes

    [luz] Há palavras que irradiam uma “luz malevolente” (A Boca na Cinza). Uma malignidade luminosa é aquela que desapropria um corpo, um objeto, um lugar, um livro, da

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | A matéria do tempo: recordar para se proteger do passado

    Em entrevista ao C7nema, Dídio Pestana (n. 1978), músico e sonoplasta, nascido em Lisboa, diz “[…] que o Cinema é no fundo aquele momento em que as luzes

Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | Ao fim

    Ao fim são muito poucas as palavras que podemos dizer serem realmente nossas. Às tantas, e não são precisos assim tantos anos para o descobrirmos, são mais as

Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | Notre-Dame: todo o tempo é irredimível

    Diante o incêndio que deflagrou na Catedral de Notre-Dame na passada segunda-feira, há pelo menos uma ideia feliz a ter em conta e a preservar: a de que

Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | Diante do tempo [parte 2]

      Bernardo Pinto de Almeida, num livro de breves mas fulgurantes apontamentos sobre a Imagem da Fotografia (2014, 2.ª ed.), cita Clint Eastwood como um dos “cineastas do

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | Robert Redford, o poeta [parte 1]

      Alguém que use do idealismo mais do que a sua melodiosa fachada, esse som de cristal que a palavra, de súbito, parece fazer cintilar aos ouvidos, será

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | Feliz quem um bom dia sai humilde

      Do mais recente filme de Leonor Teles (n. 1992), Terra Franca, poderia dizer-se o que mostram os créditos finais: um álbum de fotografias (anterior ao boom digital),

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | Sombras de sombras de sombras

      (Texto lido na Biblioteca Municipal de Ródão, do concelho de Castelo Branco, a 25 de janeiro de 2019, no âmbito do projeto “Vidas e Memórias de uma

Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | A poesia faz-se contra a poesia (a propósito de Pessoa/Campos)

      (Para o Brandon, o André, o Hélder, a Inês e a Beatriz. Sim, é para rir.)   “Um dia eu, que passei metade / da vida voando

Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | Prodigalidade, mera distração, pura bondade

      O primeiro livrinho de Rui Caeiro que comprei foi Deus e Outros Animais, uma edição da Averno, 2015. Comprei-o ao Duarte, da livraria Snob, há cerca de

Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | Quase um relâmpago de nada: leituras de 2018

      O ponto de partida para este texto, roubo-o a Alberto Manguel, naquilo que pode parecer um tom nostalgicamente humanista e, por isso, quase anacrónico (e que contrariei

Agenda Cultura Local

Concerto | À escuta: um sarau musical e cultural em Nine

      O Agrupamento de Escuteiros de Nine está a organizar um sarau cultural para o dia 5 de janeiro, na igreja paroquial de Nine. À escuta: músicas que

Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | A guerra é sempre fria

      Para quem viu Ida (2013) e não fixou o nome do realizador, ao assistir a Cold War terá imediatamente sentido, como quem se coça sob uma segunda

Crónica Cultura Destaque

Dar Coisas aos Nomes | A paixão segundo Clarice: o perigo de viver

      Quem por hoje se aventurou pelo Google em busca de respostas para o sentido da vida, ter-se-á deparado com um doodle comemorativo dos 98 anos do nascimento

Crónica

Dar Coisas aos Nomes | Pequena história de uma imagem

      Sexta-feira passada, a meio da manhã, interrompo o trabalho para ir comer alguma coisa. Como já é hábito desde há alguns anos, levo a máquina fotográfica comigo.

Crónica

Dar Coisas aos Nomes | Filmar a solidão (sobre uma estreia no Close-Up)

      “Há pessoas que mostram os outros / e por isso estão sós. / Na rua, um carro ou outro / prolonga-lhes o abandono […]”. Estas linhas de

Cultura

Dar Coisas aos Nomes | O lugar da infância, da imanência – The Florida Project, no Close-Up

    Se existe um apelo inequívoco no filme The Florida Project, exibido ontem à noite na terceira edição do Close-Up, na Casa das Artes de Famalicão, é o de

Crónica Cultura

Dar Coisas aos Nomes | Qualquer coisa assim – da poesia em Famalicão

    Sábado de manhã, 29 de setembro, na Fundação Cupertino Miranda, era apresentado o livro Carmina 3 – do corpo: outras habitações, identidades e desejos outros em alguma poesia

Crónica

Dar Coisas aos Nomes | Visões de Adriana Molder na Ala da Frente

    Já não sei ao certo onde li isto: que a intimidade mais profunda começa e acaba na pele (qualquer variação disto, mais coisa menos coisa). E essa profundidade

Mais recentes

Dar Coisas aos Nomes | Parece que foi ontem

    (Consiste este texto na apresentação que fiz para as provas públicas do meu doutoramento, realizado há três anos, dia 11 de setembro de 2015, na Universidade do Minho.