Campanha da Resinorte e demais concessionárias EGF pretende conduzir à adoção de comportamentos ambientais adequados na gestão diária dos resíduos

Ambiente | ‘O futuro do planeta não é reciclável’

Ambiente | ‘O futuro do planeta não é reciclável’

Pub

 

 

A Resinorte – empresa que serve uma população de aproximadamente 1 milhão de habitantes na região Norte e recebe para tratamento aproximadamente 350 mil toneladas de resíduos urbanos por ano – e as demais concessionárias EGF – Environment Global Facilities, grupo líder no tratamento e valorização de resíduos em Portugal, lançaram, esta quarta-feira, a maior campanha de sensibilização ambiental alguma vez desenvolvida em Portugal com fundos europeus: ‘O futuro do planeta não é reciclável‘.

A reciclagem dos materiais é uma necessidade se queremos um Mundo sustentável e os Portugueses já estão conscientes deste facto. A reciclagem é uma das práticas que facilmente podemos adotar no nosso dia-a-dia e todos sabemos já que terá grande impacto no futuro do Planeta, quer ao nível dos recursos primários que se poupam ao incorporar nos bens materiais reciclados, quer ao nível dos impactos ambientais gerados pelo tratamento dos resíduos urbanos. “Esta consciência ambiental, já enraizada na sociedade Portuguesa, é por si só um facto muito positivo”, considera a EGF.

Segundo o relatório ambiental anual (RARU 2019), publicado pela Agência Portuguesa do Ambiente, a meta da reciclagem atingiu os 41% de resíduos urbanos recicláveis por referência a 2012 (que era 25%), o que demonstra o empenho dos cidadãos, dos municípios e das empresas do setor. Mas ainda temos de evoluir, para fazermos muito mais e melhor, para que seja possível reciclar tudo, sempre e em todo o lado.

O objetivo desta campanha, com base num filme publicitário realizado por Rúben Alves, autor do filme “A Gaiola Dourada”, é apelar à prevenção, reutilização e reciclagem de resíduos urbanos. A EGF pretende levar o cidadão à ação e a fazer parte de um movimento coletivo, através da adoção de comportamentos ambientais adequados na sua gestão diária dos resíduos, integrando-o numa cadeia de valor comunitário.

Campanha pretende provocar consciências

O filme publicitário, da autoria realizador Rúben Alves, que realizou o filme “Gaiola Dourada”, é muito cinematográfico e tem como objetivo provocar consciências e levar à mudança necessária de comportamentos. Neste spot mostra-se o que acontece aos resíduos depois de separados nos ecopontos e dá rosto e voz aos milhares de trabalhadores deste setor de atividade. Além disso, é ainda realçado o papel dos municípios e organizações, que são convidados a promover esta campanha nas suas regiões.

Também a atriz Ana Varela, o humorista, António Raminhos, o cantor Toy e artista urbano Xico Gaivota vão ajudar a dar voz a este movimento, através de várias ações nas redes sociais e na criação de uma instalação para celebrar o movimento. Serão também promovidos eventos e participações regionais, bem como ações de educação ambiental no terreno, como o Programa Ecovalor e o Recycle Bingo.

A campanha publicitária multimeios, com um custo ligeiramente superior a 1 milhão de euros, esteve a cargo da Tux & Gill, vai estar presente em vários suportes nacionais e regionais – imprensa, rádio, outdoors e televisão-, destacando-se as ações integradas nos programas The Voice Portugal, Big Brother e Manhãs da Rádio Comercial.

Destacam-se ainda os cuidados especiais de inclusão e diversidade aplicados nesta campanha, entre os quais, a legendagem dos filmes, a implementação das regras na ordenação dos contentores (azul, verde e amarelo) para invisuais e a criação de uma tatuagem com aplicação dos símbolos ColorADD).

A Resinorte é responsável pelo tratamento e valorização de resíduos urbanos de 35 municípios do norte central: Alijó, Amarante, Armamar, Baião, Boticas, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Chaves, Cinfães, Fafe, Guimarães, Lamego, Marco de Canaveses, Mesão Frio, Moimenta da Beira, Mondim de Basto, Montalegre, Murça, Penedono, Peso da Régua, Resende, Ribeira de Pena, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, Santo Tirso, São João da Pesqueira, Sernancelhe, Tabuaço, Tarouca, Trofa, Valpaços, Vila Nova de Famalicão, Vila Pouca de Aguiar, Vila Real e Vizela.

Fonte e Imagens: EGF

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo. Pode fazê-lo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categories: Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.